Capa do livro: XISTO:<br>  Pesquisas, Revisões e Ensaios Realizados no Brasil

XISTO:
Pesquisas, Revisões e Ensaios Realizados no Brasil

Autores: Rosalvo Stachiw

livro impresso
de R$ 59,25 por
livro digital
de R$ 59,25 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Este livro é resultado de um esforço conjunto na consolidação de parte do conhecimento existente no Brasil sobre o xisto, sob a visão de diferentes professores e pesquisadores, auxiliando a geração de conhecimento nesse setor. Esta obra trata da indústria do xisto desde sua caracterização até sua aplicação industrial, passando por áreas específicas envolvendo aspectos ambientais que hoje são bastante sensíveis para a sociedade de modo geral. Trata-se de importante fonte de consulta para jovens universitários que buscam conceitos sobre o assunto ou mesmo para os profissionais do mercado que intencionam aprofundar-se nos conhecimentos acerca deste importante tema.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-8042-852-0
DOI: 10.24824/978858042852.0
Ano de edição: 2014
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 200
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

XISTO:<br>  Pesquisas, Revisões e Ensaios Realizados no Brasil

Autores

Rosalvo Stachiw(Organizador )

Bacharel em Química pela Universidade Federal de Mato Grosso (2001), atuou na indústria de alimentos (ADM Company) em 2001/2002 no controle de qualidade, fez mestrado em Ciências (química analítica/quimiometria) no CEFETPR (2004) e doutorado em Ciências na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), em 2008, com o trabalho intitulado Modelagem e Simulação do Processo de Adsorção de Compostos Orgânicos em Xisto, Catalisador Exaurido de FCC e Carvão Ativado em Pó. Lecionou na Universidade Estadual e na Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Mato Grosso e, desde 2009, é professor Adjunto da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), onde ministra aulas de Química Geral, Analítica e Orgânica. Além disso, faz parte do corpo editorial da Revista Brasileira de Ciências da Amazônia e é orientador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da UNIR. Atua em projetos de Extensão e Científicos. É membro da Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia do Conselho Nacional dos Recursos Hídricos. É coordenador do Laboratório de Análise de Águas e concentra suas ações no tema Recursos Hídricos.

Autores

Dórian L. Bachmann

Graduado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Paraná, Pós-Graduado em Engenharia de Processamento de Petróleo pela Universidade Corporativa da Petrobras, tem um MBA pela COPPEAD/UFRJ em Gestão de Negócios e Marketing e outro em Gestão de Negócio e Tecnologia da Informação pela Fundação Getulio Vargas. Trabalhou na IBM do Brasil, na Companhia de Urbanização de Curitiba e na Petrobras, onde exerceu a gerência geral da Unidade de Negócio da Industrialização do Xisto. É sócio e diretor técnico da Bachmann & Associados, consultoria especializada em indicadores de desempenho e benchmarking. 

Antonio Salvio Mangrich

É pesquisador 1B do CNPq, fator H 22. Licenciado e bacharel em Química pela UERJ (1970), mestre (1974) e doutor (1983) em Química pela UFRJ. Possui mais de 130 trabalhos publicados em periódicos de circulação internacional. Orientou e orienta estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) no período 2006 - 2008. Foi coordenador do Comitê de Química da Fundação Araucária (PR) e membro do Comitê de Química da CAPES. Foi consultor da Petrobras para o projeto Xisto Agrícola. É autor de patentes de fertilizantes de liberação lenta de nitrogênio e de potássio, uma delas em processo de industrialização. Possui o Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia - Pesquisador Cientista - para Ciências Exatas e da Terra, versão 2007. Na pós-graduação do Departamento de Química da UFPR foi criado, em sua homenagem, o prêmio Antonio Salvio Mangrich de Produtividade Científica para estudantes de pós-graduação. Em maio de 2012, recebeu a Medalha "Simão Mathias", SBQ, que homenageia químicos de destaque na comunidade nacional e internacional. Atualmente presta consultoria a empresas em desenvolvimento científico e tecnológico e, principalmente, em inovações, para ganharem mercados principalmente internacionais.  O Prof. Mangrich lidera, no DQ/UFPR, o Laboratório de Processos e Projetos Ambientais com seu grupo de pesquisa atuando na área de desenvolvimento de novos fertilizantes agrícolas mais adequados aos solos brasileiros. No DQ/UFS (Sergipe) coordena projeto piloto de uso de novos materiais que atenuam os efeitos das secas na região Nordestina.  

Jaqueline Nicolini

Graduada em Química (2004), mestre em Química (FURB, 2007) e doutora em Química pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2011) e pela Karlsruher Institüt für Technologie (KIT) / Engler Bunte Institute em Karlsruhe - Alemanha (KIT, 2010). Atualmente trabalha como professora efetiva do Instituto Federal do Paraná (IFPR), tendo 9 artigos publicados em revistas indexadas,  51 trabalhos e resumos apresentados em eventos científicos, autora do prefácio do livro “Pirólise de Biomassa em Baixas Temperaturas” e já orientou 7 alunos de iniciação científica. Também atua como líder do grupo de pesquisas “Pesquisa aplicada no estudo de corantes e processos pirolíticos”. 

Keller Paulo Nicolini

É graduado em Ciências Biológicas e Licenciado em Química pelas Faculdades Reunidas de Administração, Ciências Contábeis e Econômicas de Palmas, mestre em Química pela Fundação Universidade Regional de Blumenau e doutor em Química pela Universidade Federal do Paraná. É professor efetivo do Instituto Federal do Paraná,  atua como líder do grupo de pesquisa aplicada no estudo de corantes e processos pirolíticos  e é autor do livro “Pirólise de Biomassa em Baixas Temperaturas”. 

Dulce Maria de Araújo Melo

Professora titular da Universidade federal do Rio Grande do Norte, pesquisadora IB do CNPq, tem mestrado e doutorado em Química Inorgânica pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo-SP. É fundadora do programa de Pós Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais da UFRN. Atua na área de materiais estratégicos para tecnologias ambientais, materiais cerâmicos, materiais nanoestruturados como catalisadores e adsorventes para proteção ambiental. Coordena o Laboratório de Tecnologia Ambiental e Laboratório de Catálise, é um dos membros gestores do Núcleo de Tecnologia em Cimentação de poços de Petróleo da UFRN. É membro titular do Comitê Assessor da área de Materiais Cerâmicos do CNPq. É autora de 190 trabalhos publicados e coordenadora de vários projetos em parceria com a Petrobras, Ministério de Ciência e Tecnologia e Finep. É autora de capítulos de livros envolvendo a área de cerâmica, além de várias patentes publicadas.

Marilin Mariano dos Santos

Graduada em Engenharia Petroquímica pela Universidade Mackenzie (1981), com curso de especialização em Gestão e Tecnologias Ambientais pelo PECE/USP (2000).  É Mestre em Saúde Publica pela Universidade de São Paulo (2003) e Doutora em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Energia do IEE/USP onde desenvolveu pesquisa na área de análise de risco para implantação de empreendimentos na área de energia (2010). Ex-pesquisadora do Laboratório de Energia Térmica, Motores e Emissões do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo- IPT, onde atuou de 1979 até maio de 2009 desenvolvendo trabalhos na área de combustão industrial e gaseificação. O foco principal dos trabalhos de pesquisa é o experimental, com acumulação de conhecimento em monitoramento de variáveis de processo industriais e qualidade do ar. Atualmente ministra cursos na área de poluição atmosférica e gestão ambiental em cursos Lato Sensu. Atua, também, como consultora na área de energia, meio ambiente e monitoramento de emissões atmosféricas. 

Patrícia Helena Lara dos Santos Matai

Bacharel em Química pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo (1978), mestre em Engenharia Química pela Universidade de São Paulo (1992) e doutora em Engenharia Química pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é professora doutora da Universidade de São Paulo no Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo da Escola Politécnica da USP. Atua como docente e orientadora no Programa de Pós-Graduação em Energia da USP onde ministra disciplinas e orienta alunos em programas de mestrado e de doutorado. Foi presidente da Comissão do Ciclo Básico da EPUSP no período de 2008 a 2011. Atualmente é responsável pela coordenação do Ciclo Básico do curso de Engenharia de Petróleo da Escola Politécnica em Santos. 

Verônica Marinho Fontes Alexandre

Formada em Engenharia Química (2010) e tem Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos (2013) pela Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro, já atuou no tratamento enzimático e biológico anaeróbio de efluente de indústria de pescado em conserva e no tratamento combinado de efluente de unidade de produção de óleo de xisto. Atualmente trabalha como pesquisadora em projeto de pesquisa que busca alternativas para redução de lodo de excesso em sistemas de Lodos Ativados tratando efluente de refinaria de petróleo. 

 Priscilla Lopes Florido

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1996) e Mestrado em Engenharia Metalúrgica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1999). Atualmente é Químico de Petróleo Pleno da Petróleo Brasileiro S/A. Atuando principalmente nos seguintes temas: reuso de efluente, filtração por membranas, biorreator com membranas, carvão ativado, compostos orgânicos refratários.

Rodrigo Suhett Souza Graduado em Engenharia Quimica pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Atua na área de Tratamento e Reúso de Efluentes da Indústria do Petróleo desde 1998, com experiência em processos biológicos e processos de separação por membranas, como ultrafiltração, osmose inversa e eletrodiálise reversa. 

Ana Cláudia Figueiras Pedreira de Cerqueira

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989), Mestrado (1992) e Doutorado (2005) em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é Profissional de Meio Ambiente Pleno no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Petrobras. Tem experiência em processos biológicos e oxidativos, com ênfase em processos avançados, atuando principalmente nos seguintes temas: reúso de água, processos de separação por membranas, tratamento de efluente sanitário e industrial. 

Vania Maria Junqueira Santiago

Graduada em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), com pós graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental (Delft, Holanda). Atua desde 1982 na área ambiental da Petrobras. É consultora Senior em Tratamento e Reúso de Efluentes da Indústria do Petróleo, com experiência em processos biológicos de tratamento de efluentes, processos terciários para polimento da água, como remoção de compostos refratários por adsorção em carvão ativado, e processos de dessalinização empregando membranas de osmose inversa e eletrodiálise reversa. 

Magali Christe Cammarota

Tem graduação em Engenharia Química (1985) e Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos (1991) pela Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Doutorado em Bioquímica pelo Instituto de Química/UFRJ (1998). É professora Associada III do Departamento de Engenharia Bioquímica da Escola de Química/UFRJ e atua no Programa de Mestrado Profissional em Engenharia Ambiental da Escola Politécnica e Escola de Química/UFRJ. Responsável pelo Laboratório de Tecnologia Ambiental da EQ/UFRJ, onde orienta pesquisas nos seguintes temas: tratamento biológico de efluentes industriais com ênfase em biorreatores anaeróbios e produção de metano, processos híbridos de tratamento (enzimático/biológico) de efluentes de indústrias alimentícias com alto teor de gordura e proteína e processos de tratamento de efluentes recalcitrantes. 

Claudio Costa Neto

É químico, nascido na cidade do Rio de Janeiro, é Professor Emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, membro titular da Academia Brasileira de Ciências, Comendador da Ordem do Mérito Nacional Científico. Coordenou o Projeto Xistoquímica do Instituto de Química UFRJ. É presentemente Presidente do Instituto Vila Rosário (antiga Sociedade QTROP de Química Fina para o Combate a Doenças Tropicais), cuja saga está descrita no seu livro "Vila Rosário". É autor de "Análise Orgânica" livro técnico de suas atividades como professor da disciplina de mesmo nome no Instituto de Química, UFRJ. Em seu livro "A Filosofia do Óbvio" expõe ao leitor reflexões e questionamentos, em pensamentos variados, sobre a natureza humana e seu cotidiano. Em seu último livro "Tuberculose e Miséria", estabelece a doutrina da "Cadeia da Miséria", uma série de elos entrelaçados (doença-fome-renda-educação-cultura), responsáveis pela presença das muitas doenças chamadas tropicais, que ainda assolam o país. 

Ana Carolina Feitosa de Vasconcelos

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (1997), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Paraíba (2001) e doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade de São Paulo (2007), com período na Virginia Polytechnic Institute, Estados Unidos. Atualmente é pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade e pesquisador da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas, atuando principalmente nos seguintes temas: salinidade, mudança climática e estratégias de adaptação, fertilidade de solos e nutrição de plantas. 

Lucia Helena Garófalo Chaves

 Possui graduação em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1977), mestrado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1983) e doutorado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1985). Atualmente é professora titular da Universidade Federal de Campina Grande com Pós-Doutorado na Universidade do Arizona, USA (2004). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Química do Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: fertilidade, salinidade, propriedades químicas, variabilidade espacial e uso de rejeitos. 

Marcus Vinicius de Araujo Fonseca

Engenheiro Químico (1978 - EQ/UFRJ) com M.Sc. pela Coppe/UFRJ (1983) e D.Eng. pela Escola Politécnica da USP (1990). É Professor do PEP/Coppe/UFRJ, responsável pela disciplina de Inovação nas Organizações; orientou 18 dissertações e 12 teses. No IQ/UFRJ leciona disciplina de graduação – Química Industrial – e desenvolve pesquisas na área de química de materiais cerâmicos e vítreos, no âmbito do aproveitamento de resíduos industriais; orientou duas dissertações e duas teses. É autor de mais de 110 trabalhos publicados. Atua como consultor nas áreas tecnológica, de gestão e inovação, e como coordenador de projetos da Fundação Coppetec, contratados por empresas públicas e privadas. Programa de Engenharia de Produção – Coppe/UFRJ; Polo de Xistoquímica – IQ/UFRJ. 

Rosalvo Stachiw

Possui Bacharelado em Química pela Universidade Federal de Mato Grosso (2001), atuou na indústria de alimentos (ADM Company) em 2001/2002 no controle de qualidade, fez mestrado em ciências (química analítica/quimiometria) no CEFETPR (2004) e doutorado em ciências na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) em 2008, com o trabalho intitulado “Modelagem e Simulação do Processo de Adsorção de Compostos Orgânicos em Xisto, Catalisador Exaurido de FCC e Carvão Ativado em Pó”. Lecionou na Universidade Estadual e na Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Mato Grosso e, desde 2009, é professor Adjunto da Universidade Federal de Rondônia - UNIR, onde ministra aulas de Química Geral, Analítica e Orgânica. Além disso, faz parte do corpo editorial da Revista Brasileira de Ciências da Amazônia e é orientador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da UNIR. Atua em projetos de Extensão e Científicos. É membro da Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia do Conselho Nacional dos Recursos Hídricos. É coordenador do Laboratório de Análise de Águas e concentra suas ações no tema Recursos Hídricos. 

Flavio Neves Junior

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (1987), mestrado em Engenharia Elétrica e Informática Industrial pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (1989) e doutorado em Automação - Universite de Toulouse III (Paul Sabatier) (1998) [LAAS/CNRS]. Atualmente é professor associado da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Automação e Otimização de Sistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: automação industrial, sistemas de apoio à decisão, scheduling e otimização. Aplicações reais na indústria de petróleo e gás (redes de polidutos, mistura em linha, transferência e estocagem), energia elétrica (distribuição e transmissão) e indústria de processos (clp, sdcd e redes industriais). 

Patrícia Mendonça Pimentel

É graduada em Química (1997-DQ/UFRN), doutora em Ciências e Engenharia de Materiais (2005-PPGCEM/UFRN) com especialização em petróleo e gás pelo PRH-30/ANP. Tem experiência nas áreas de química e de Engenharia de Materiais, atuando principalmente nos seguintes temas: Síntese de materiais cerâmicos para pigmentos e catalisadores, produção de adsorventes para tratamento de água, aproveitamento de rejeitos industriais, entre outros.  Em sua tese de doutorado usou o xisto retortado para remover íons metálicos de águas provenientes da indústria de petróleo. Atualmente é professora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), lecionando as disciplinas de química geral, inorgânica e química aplicada à Engenharia.