Capa do livro: Nanotecnologia, sociedade e meio ambiente: <br>Convergências, divergências e insurgências tecnológicas

Nanotecnologia, sociedade e meio ambiente:
Convergências, divergências e insurgências tecnológicas

Autores: Jorge Luiz dos Santos Junior (Org.)

Nanotecnologia, sociedade e meio ambiente transita por uma variedade de temas desafiadores e atuais. Abrangendo desde a intrincada governança da inovação tecnológica até as sutilezas do direito privado em um contexto global, esta obra se destina a fugir da simplicidade da monodisciplinaridade. Com uma abordagem transdisciplinar, mescla a expertise de políticos, engenheiros, antropólogos e educadores, entre outros, tecendo uma tapeçaria de perspectivas que ilumina a complexidade da nanotecnologia em sua interação com a sociedade e o meio ambiente. A leitura é uma jornada que promete não apenas informar, mas também transformar o entendimento convencional sobre a interface entre a tecnologia avançada e o tecido social. Cada capítulo deste livro é um convite ao diálogo com as múltiplas facetas da nanotecnologia e sua relação complexa com as forças sociais e ambientais. É um espelho que reflete as convergências e divergências éticas, os desafios de saúde na aplicação de tecnologias avançadas e o impacto da inteligência artificial no tecido dos movimentos sociais.



Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-6143-3
ISBN DIGITAL:978-65-251-6140-2
DOI: 10.24824/978652516143.3
Ano de edição: 2024
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 240
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

  • APRESENTAÇÃO - 13
  • PREFÁCIO - 15
  • CAPÍTULO I AS CONTRIBUIÇÕES DA RENANOSOMA NA CONSTRUÇÃO DE UMA AGENDA PARA A CIÊNCIA DOS IMPACTOS NO BRASIL - 19
  • CAPÍTULO II DELIRIO EPISTEMOLÓGICO, NEGACIONISMO CIENTÍFICO Y SOLUCIONISMO TECNOLÓGICO. HACIA UNA INVESTIGACIÓN CRÍTICA POSCAPITALISTA - 31
  • CAPÍTULO III DESARMAMENTO TECNOLÓGICO: Repensando o Desenvolvimento Tecnológico para um Futuro Sustentável e Democrático - 45
  • CAPÍTULO IV O NEOCOLONIALISMO METABÓLICO - 53
  • CAPÍTULO XVI GOVERNANÇA, INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E DEMOCRACIA: uma perspectiva crítica - 59
  • CAPÍTULO VI DESASTRES AMBIENTAIS E POVOS INDÍGENAS: apontamentos para uma agenda de pesquisa - 69
  • CAPÍTULO VII MUDANÇAS CLIMÁTICAS E SUAS IMPLICAÇÕES NA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL  - 85
  • CAPÍTULO VIII RESISTÊNCIAS DAS MULHERES SÃO ROTAS DE FUGA DO CAPITALISMO VERDE - 93
  • CAPÍTULO IX MUDANÇAS NA LEGISLAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL, CONSEQUÊNCIAS PARA A SAÚDE - 101
  • CAPÍTULO X NOVAS TECNOLOGIAS AGRÍCOLAS E O CAMINHO NECESSÁRIO DA AGROECOLOGIA - 111
  • CAPÍTULO XI CONVERGÊNCIA TECNOLÓGICA E A AGRICULTURA 4.0: agendas para pesquisas e para políticas no Brasi - 121
  • CAPÍTULO XII HUMANIDADES DIGITAIS E VIGILÂNCIA PELA DEMOCRACIA - 133
  • CAPÍTULO XIII INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E A POTENCIAL DESORGANIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS - 145
  • CAPÍTULO XIV INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E CIÊNCIAS SOCIAIS: abordagens e desafios - 157
  • CAPÍTULO XV A NORMATIVIDADE DO DIREITO PRIVADO NO CONTEXTO GLOBAL E RETICULAR DAS FONTES DO DIREITO: caminhos para regular as nanotecnologias - 179
  • CAPÍTULO XVI TECNOLOGIAS EMERGENTES E PROCESSO JUDICIAL: aspectos regulatórios - 189
  • CAPÍTULO XVII O PRINCÍPIO DA PRECAUÇÃO E O AMBIENTE DE TRABALHO: Nanotecnologias no passado, presente (e futuro?) - 199
  • CAPÍTULO XVIII DIVERGÊNCIAS ÉTICAS E DE SAÚDE NA APLICAÇÃO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS E SEU IMPACTO NO MUNDO DO TRABALHO - 207
  • CAPÍTULO XIX NORMAS REGULAMENTADORAS (NRS) E NORMAS TÉCNICAS ISO PARA REGULAR AS NANOTECNOLOGIAS: em busca de saúde e segurança para o trabalhador - 215
  • CAPÍTULO XX CRITÉRIOS ESG COMO CONDIÇÃO DE ATUAÇÃO DO DIREITO FRENTE AOS DESAFIOS DAS NOVAS TECNOLOGIAS - 223
  • ÍNDICE REMISSIVO - 229
  • SOBRE OS AUTORES - 233
ALINE DO MONTE GURGEL


Pesquisadora em Saúde Pública da Fiocruz. Doutora, Mestre e especialista em Saúde Pública. Ao longo dos últimos tem se dedicado aos seguintes temas: saúde ambiental, saúde do trabalhador, saúde coletiva, risco químico, exposição a agrotóxicos, petróleo e derivados, impactos à saúde e ao ambiente decorrentes da instalação de grandes empreendimentos. É Integrante do grupo de pesquisa do Laboratório Saúde, Ambiente e Trabalho do CPqAM. Atua na Coordenação do GT de Agrotóxicos da Fiocruz e no Programa Acadêmico de Pós-Graduação em Saúde Coletiva - mestrado e doutorado - do IAM/Fiocruz.

ANDRESSA MUNARO ALVES

Doutoranda e Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) - Bolsista CAPES. Especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário pela Escola Superior Verbo Jurídico Educacional. Professora da Pós-Graduação em Direito e Processo do Trabalho e Direito Previdenciário da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS/UOL). Professora no Programa de Graduação em Direito nas Faculdades Integradas São Judas Tadeu. Advogada.

ARLINE SYDNEIA ABEL ARCURI

Doutora em Ciências, área de concentração Físico-Química, pela Universidade de São Paulo. Atualmente é pesquisadora Sênior (aposentada) da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO. Tem experiência na área de Saúde dos trabalhadores, com ênfase em Higiene Ocupacional, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde dos trabalhadores, segurança química, nanotecnologia, benzeno e exposição ocupacional a agentes químicos. Foi representante da Fundacentro na Comissão Nacional Permanente do Benzeno desde sua criação em 1995 até sua extinção em 2019. Respondia até o ano de 2016 como co-diretora da FUNDACENTRO na qualidade de Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a saúde dos trabalhadores.

GABRIEL ARTHUR BARBOSA WERNER DE OLIVEIRA

Estudante de Direito dedicado à investigação das intersecções entre ciência, tecnologia e sociedade, com ênfase nas implicações jurídicas das novas tecnologias. Possui particular interesse nas questões regulatórias emergentes neste campo, buscando compreender como o Direito pode moldar e ser moldado por essas inovações.

HENRI ACSELRAD

Possui mestrado em Economia pela Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne) e doutorado em Planejamento, Economia Pública e Organização do Território pela Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne) (1980). É Professor Titular do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, atuando principalmente nos seguintes temas: Modelos de desenvolvimento e conflitos ambientais; Ecologia política da sustentabilidade; Política e regulação ambiental; Apropriações sociais da sustentabilidade urbana; Movimentos sociais, desigualdade e justiça ambiental e Cartografia social.

JEAN MARC VON DER WEID

Mestre em economia do desenvolvimento rural pela Sorbonne, Paris X. Pesquisador do Institut National de la Recherche Agronomique, INRA, do Ministério da Agricultura da França, entre 1974 e 1979. Fundador da ONG Agricultura Familiar e Agroecologia, AS-PTA, em 1983. Diretor executivo até 2002. Coordenador do Programa de Políticas Públicas da AS-PTA de 2003 a 2016. Membro do CONSEA (Conselho Nacional de Segurança Alimentar) em 2003 e do CONDRAF (Conselho Nacional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar) de 2004 a 2016. Consultor da FAO e do PNUD em vários projetos de desenvolvimento na África. Aposentado em 2016 e consultor independente para projetos de agroecologia.

JORGE LUIZ DOS SANTOS JUNIOR

Economista com doutorado Ciências Sociais. Professor da UFES, membro da Rede Brasileira de Pesquisa em Nanotecnologia, Sociedade e Meio Ambiente, e Tem experiência em, Estado e políticas públicas, Políticas de C&T, Estudos Sociais em Ciência e Tecnologia, Análise Estrutural de Redes Sociais e economia do compartilhamento. Recebeu o Prêmio Jabuti 2014 na área de Ciências Exatas, Tecnologia e Informática.

JOSÉ MANUEL RODRÍGUEZ-VICTORIANO

Bacharel em Ciências Políticas e Sociologia, com especialidade em Sociologia Geral, pela Universidade Complutense de Madrid. Doutor em Sociologia pela Universidade de Valência. Desde 1986 é professor do Departamento de Sociologia e Antropologia Social da Universidade de Valência. Ao longo de sua carreira, dirigiu e colaborou em diversas pesquisas nas áreas de sociologia ecológica, sociologia da educação e da juventude, processos sociais emergentes e democratização do conhecimento científico. Sobre esses temas, publicou diversos artigos em revistas nacionais e internacionais e capítulos em livros coletivos.
Foi perseguido política e judicialmente por dirigir uma pesquisa sociológica sobre o Mapa Escolar da cidade de Valência pelo Partido Popular da cidade e criminalizado midiaticamente pelo jornal local Las Provincias. Atualmente, dirige o grupo de pesquisa Estudos de Sustentabilidade (ESDESOST) vinculado ao Instituto Interuniversitário de História da Ciência e da Medicina López Piñero da Universidade de Valência e é presidente da primeira associação espanhola de vítimas e afetados por notícias falsas (AVANF).

JULIO VALENTIM

Jornalista, mestre em Comunicação e doutorando em Ciências Sociais, com vasta experiência em Ciência Social Computacional, Comunicação, Ciências Sociais, Urbanismo, Serviço Social e Educação. Coordena o Laboratório de Antropologia Computacional (Data Kula Lab/UFES) e é pesquisador convidado do Laboratório de Estudos de Identidades e Tecnologias (LEIDTEC/UFES). Pesquisa temas como cibercultura, comunicação política computacional, antropologia computacional, comunicação móvel, cidades inteligentes, educação online, marketing digital e ativismo de dados.

KENNETH ALAN GOULD

Professor de sociologia e Sustentabilidade Urbana no Brooklyn College e professor de sociologia e ciências da terra e do meio ambiente no City University of New York Graduate Center. Seu trabalho se concentra na economia política do meio ambiente, tecnologia e desenvolvimento, sendo mais conhecido por sua contribuição para o modelo de dinâmica socioambiental chamado “Treadmill of Production”.

LEONARDO FERNANDES NASCIMENTO

Técnico em Química, Bacharel em psicologia pela UFBA e Doutor em Sociologia pela UERJ. É membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS/UFBA) e Diretor do Laboratório de Humanidades Digitais da UFBA onde coordena, desde 2021, juntamente com colegas da UFBA e da UFSC, uma investigação sob desinformação e extremismos nos ecossistemas multiplataforma com o apoio do InternetLab e do CNPq.

LOIANNY SILVA KIRMES

Possui graduação em Direito pela Fundação de Assistência e Educação - FAESA (2018). Atualmente é advogada. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil. Possui interesse na área de regulação de tecnologias emergentes.

MARCELO CASTAÑEDA

Doutor e Mestre em Ciências Sociais em Agricultura, Desenvolvimento e Sociedade (CPDA/UFRRJ). Graduado em Ciências Sociais pela UERJ. Professor Adjunto do Departamento de Administração e colaborador no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Tem estágio pós-doutoral no PPGCom/UERJ. Pesquisa organizações, plataformas digitais, política, crítica e consumo.

MARIA DE FÁTIMA TORRES FARIA VIEGAS

Possui Graduação em Medicina pela FTESM. Residência Médica em Pediatria no Hospital dos Servidores do Estado e Especialização Lato-Sensu em Medicina do Trabalho na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Mestrado Acadêmico em Saúde Pública - ENSP/FIOCRUZ. Tem experiência na área de Medicina do Trabalho. Atualmente é Tecnologista da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho, atuando como Médica do Trabalho, se dedicando às pesquisas em Nanotecnologia voltadas à Saúde do Trabalhador e ao Meio Ambiente.

MAURÍCIO DE CARVALHO GÓES

Advogado Trabalhista. Sócio do escritório TozziniFreire Advogados. Doutor em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS. Mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA. Especialista em Direito do Trabalho pela UNISINOS. Professor do Mestrado profissional do Programa de Pós-Graduação em Direito e Negócios da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professor de Direito do Trabalho, de Direito Coletivo do Trabalho e de Direito Processual do Trabalho da Graduação (Law School) e da Pós-Graduação em Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

MAURÍCIO SEBASTIÁN BERGER

Doutor em Ciências Sociais, Pesquisador Adjunto do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET), com sede de trabalho no Instituto de Estudos em Ciência, Tecnologia, Cultura e Desenvolvimento da Universidade Nacional de Rio Negro (CITECDE-UNRN- Sede Andina, Bariloche, Argentina). Diretor do projeto PICT: Desenvolvimento Nanotecnológico na Argentina: Análise de aspectos regulatórios, risco e sustentabilidade.  Autor de livros e artigos nas linhas de Governança da inovação bio-nanotecnológica. Professor de Sociologia da Ciência, Sociologia Ambiental e Sociologia Política.

MIRIAM NOBRE

Engenheira agrônoma e mestre pelo Programa de estudos em integração da América Latina PROLAM-USP. Integra a equipe da SOF Sempreviva Organização Feminista desde 1993 onde realiza formação e pesquisa-ação em agroecologia, economia feminista, economia solidária e soberania alimentar. Compõe a coordenação do GT de mulheres da ANA Articulação Nacional de Agroecologia. É militante da Marcha Mundial das Mulheres, cujo secretariado internacional coordenou entre 2006 e 2013.

NATÁLIA LOBO

Agroecóloga e mestra em ciências sociais em agricultura, desenvolvimento e sociedade pelo  CPDA/UFRRJ. Integra a equipe da SOF Sempreviva Organização Feminista desde 2017 onde realiza formação e pesquisa-ação em agroecologia, transição socioecologica justa, financeirização da natureza. Integra a equipe do projeto de pesquisa GENgiBRE Relação com a natureza e igualdade de gênero, coordenado pelo IRD Instituto de Pesquisa em Desenvolvimento da França.

PATRICIA PAVESI

Graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1997), Especialização em Filosofia Contemporânea pela Universidade Federal do Espírito Santo (1998), Mestrado em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense (2001), Doutorado em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense (2014). Professora Adjunta do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo e docente do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PGCS/UFES). Integrante do Grupo Estudos do Consumo e do Grupo Interinstitucional de Estudos de Cibercultura. Coordenadora do Deep Social Labs e do Data Kula Labs. Tem experiência e interesse de pesquisa orientada por Big Data e Thick Data em Etnografia Digital, Antropologia Computacional, Ciência Social Computacional, Estudos de Ciência e Tecnologia, AI Antropologia e Futuros, Identidades Algorítmicas, Consumo de Tecnologias de Informação, Práticas de Consumo em Plataformas Digitais e Propaganda Computacional.

PRISCILA PEREIRA COLTRI

Graduada e Mestre pela Universidade de São Paulo (USP). Doutora pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com período sanduíche na Universidade de Rennes 2, França. Pós-Doc no “Le Laboratoire des Sciences du Climat et l’Environnement (LSCE)”, França. Pesquisadora e Diretora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura, da UNICAMP. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação EHCT, do Instituto de Geociências (IG/UNICAMP) e do Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática (PECIM).

RAQUEL VON HOHENDORFF

Pós-Doutora em Direito Público pela Universidade de Las Palmas de Gran Canaria - Espanha. Doutora em Direito Público Unisinos (bolsista CAPES). Mestre em Direito Público pela Unisinos (Conceito CAPES 6, bolsista CAPES). Professora do Programa de Pós-Graduação em Direito, Mestrado e Doutorado da UNISINOS, ministrando a disciplina Educação, Transdisciplinaridade e Transformação Social. Participante do grupo de pesquisa JUSNANO (CNPq/Unisinos). Participa do setor da Formação Docente, no Núcleo de Inovação, Avaliação e Formação - NIAF na UNISINOS. Conselheira Municipal do Meio Ambiente, pela Seccional São Leopoldo da Ordem dos Advogados do Brasil. Conselheira titular da Seccional São Leopoldo da Ordem dos Advogados do Brasil. Possui especialização em direito do trabalho pela Unisinos, com atuação na área trabalhista preventiva, especialmente voltada para a saúde, segurança e meio ambiente do trabalho. Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), graduação em Bacharelado em Ciências Jurídicas pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2009) e mestrado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003).

SANDRO JOSÉ DA SILVA

Doutor em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas e Bacharel em Cie?ncias Sociais pela Universidade Federal do Espi?rito Santo. Professor Adjunto na Universidade Federal do Espi?rito Santo na Graduac?a?o em Cie?ncias Sociais e nos Programas de Po?s-Graduaca?o em Cie?ncias Sociais. Membro do Comite? de Quilombos da Associac?a?o Brasileira de Antropologia. Membro do Neab-UFES. Desenvolve projetos de pesquisa e extensa?o sobre relac?o?es etnicoraciais, patrimo?nio cultural e Direitos Humanos no Brasil e na Colômbia. E? consultor da tema?tica povos e comunidades tradicionais.

WILSON ENGELMANN

Professor e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Direito - Mestrado e Doutorado - e do Mestrado Profissional em Direito da Empresa e dos Negócios, ambos da UNISINOS; Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.