Capa do livro: Uma epistemologia da vida: <br> Georges Canguilhem em perspectiva

Uma epistemologia da vida:
Georges Canguilhem em perspectiva

Autores: Vinícius Armiliato - Francisco Verardi Bocca

"O valor da vida, a vida como valor não se enraizaria no conhecimento de sua precariedade essencial?", pergunta Georges Canguilhem (1904-1995) ao final do verbete Vida que escreveu para a Encyclopédie Universalis, publicado em 1973. Trata-se de uma passagem célebre entre aqueles que se dedicam ao estudo de sua obra, pois, no seio de seu trabalho, podemos dizer que a indagação sobre a vida e as possibilidades de refletir sobre ela se vincula com o engendramento de uma perspectiva epistemológica própria. A obra de Canguilhem comporta um raciocínio que ampliou as possibilidades da filosofia nas indagações sobre aquilo que vive. Nesse sentido, percebemos como a envergadura de sua obra alcança o domínio não só da filosofia, como também da medicina, psicologia, biologia, história das ciências, epistemologia.
Nos últimos anos, o Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR tem se dedicado a ampliar a rede de pesquisadores interessados nas elaborações de Georges Canguilhem por meio de seminários, grupos de estudos, participações em eventos dentro e fora do Brasil, bem como por meio de publicações como esta. O leitor tem em mãos o terceiro volume da coletânea Georges Canguilhem em Perspectiva, a qual reúne uma série de artigos de pesquisadores do Brasil e de países como Chile, Argentina, França, Argélia, Itália. Neste último volume, a coletânea conta com trabalhos exclusivos de pesquisadores que compõe o grupo de trabalho A psicanálise revitalizada pela epistemologia histórica. Conforme o leitor poderá notar, cada capítulo que compõe este volume procura aprofundar temas inerentes à filosofia de Canguilhem que, como nos parece indicar cada autor à sua maneira, trata-se de uma filosofia inquieta diante da vida e das formas possíveis de se estabelecer um saber filosófico sobre esta.
Esperamos que este terceiro volume possa indicar aos pesquisadores brasileiros como a obra de Georges Canguilhem é profícua, atual e politicamente potente quando se procura estabelecer um saber sobre a vida que seja emancipados modelos teóricos totalitários que, para funcionarem enquanto saber, necessitam suplantar os modos singulares de existência, suas infindáveis possibilidades de construir novos arranjos nas relações com o meio e a normatividade que opera a partir dos valores vitais sentidos pelo vivente. Que este apanhado de capítulos possa arejar modos de leitura sobre as formas que a vida se manifesta e o modo como temos procurado apreender suas expressões singulares.

Impresso
de R$ 60,00 por
R$ 51,00
Digital
de R$ 60,00 por
R$ 42,00

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-4970-7
ISBN DIGITAL:978-65-251-4966-0
DOI: 10.24824/978652514970.7
Ano de edição: 2023
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 170
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

APRESENTAÇÃO - 9

 

PREFÁCIO CANGUILHEM COMO UM NIETZSCHIANO CRÍTICO - 11

 

O VITALISMO CRÍTICO DE GEORGES CANGUILHEM  - 27

 

ENTRE BACHELARD E CANGUILHEM: da psicanálise do fogo à pedagogia da cura - 45

 

A CRÍTICA DE CANGUILHEM AO REDUCIONISMO MECANICISTA DO FENÔMENO REFLEXO: um retorno à tese de 1955  - 69

 

FILOSOFIA BRASILEIRA DA PSICANÁLISE E EPISTEMOLOGIA HISTÓRICA - 105

 

DA REPRESENTAÇÃO POLÍTICA À NORMATIVIDADE SOCIAL - 121

 

NORMATIVIDADE COMO ESTILO DE VIDA - 139

 

PRECÁRIA E NORMATIVA, A VIDA É UMA CRÍTICA À PSICOLOGIA - 153

 

ÍNDICE REMISSIVO - 167

CAIO PADOVAN

Doutor em Psicopatologia e Psicanálise pela Université Paris Diderot, Paris 7 (2018). Mestre em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013). Psicólogo e Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (2010). Desenvolveu estudos junto ao departamento de Filosofia e ao departamento de Letras desta mesma Instituição entre 2006 e 2010. Colabora atualmente com o departamento de Psicologia da Université Paul Valéry Montpellier 3 e é pesquisador a nível de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Editor associado da Revista Latino-Americana de Psicopatologia Fundamental e atual Atual coordenador da PhilPsyCh, Rede de pesquisa em história e filosofia dos saberes psy e das ciências humanas. Possui interesse pelos seguintes temas: Psicopatologia, Psicologia clínica, História e filosofia da psicanálise, da psiquiatria e das ciências humanas.

CAIO SOUTO

Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Amazonas, Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA) da mesma instituição. É Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos (2013-2019) com estágio na Sorbonne-Panthéon Paris-I (2017), Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos (2010-2012), Licenciado em Filosofia pela Universidade de Franca (2015-2017) e Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004-2008). Advogado desde 2009. Concluiu estágio de Pós-Doutorado na linha de Filosofia de Psicanálise vinculada à Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2021-2022). É membro do GT Filosofia Francesa Contemporânea, do GT Filosofia e Psicanálise e do GT Neokantismo e Filosofia da Cultura, da ANPOF. Tem experiência de pesquisa na área de epistemologia histórica e filosofia contemporânea, em especial a partir de autores como Georges Canguilhem, Gaston Bachelard, Simone Weil, Jean Cavaillès, Alexandre Koyré, Michel Foucault e Friedrich Nietzsche. Também tem interesse nas epistemologias do sul, no pensamento africano, afrodiaspórico, latino-americano, ameríndio e brasileiro, sob uma perspectiva decolonial. É o criador do canal Conversações Filosóficas, no YouTube.

FRANCISCO VERARDI BOCCA

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela PUCCAMP (1985); bacharel e licenciado em Filosofia pela UNICAMP (1997); mestre e doutor em Filosofia pela UNICAMP (1994-2001). Pós-doutor em Filosofia pela UFSCar (2009) e pela Universidade de Paris VII – Denis Diderot (2014). Professor Titular do Programa de Mestrado e Doutorado em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Atua nos seguintes temas: filosofia da história, psicanálise, materialismo e evolucionismo. Compõe a linha de pesquisa Filosofia da Psicanálise do PPGF-PUCPR, Compõe e lidera o grupo de pesquisa Filosofia da Psicanálise (PUCPR), compõe ainda os grupos de pesquisa Filosofia e Psicanálise (UFSCar), Filosofia e Práticas Psicoterápicas (UNICAMP) e o Centro de Estudos de História e Filosofia das Ciências Humanas (UFJF), cadastrados no CNPQ. No biênio de 2008 a 2009 ocupou a coordenação do G. T. Filosofia e Psicanálise da ANPOF. Membro associado da Associação Brasileira de Estudos do Século XVIII. Foi bolsista produtividade pela Fundação Araucária – PR no ano de 2013. É coautor da obra “Ontologia sem espelhos” (Ed. CRV, 2015) (Reeditada em francês em 2019 pela editora L`Harmattan, Paris), autor da obra “Do Estado à Orgia” (Ed. CRV, 2016) e co-autor da obra “O pêndulo de Epicuro” (Ed. CRV, 2019). Atualmente é bolsista produtividade PQ-CNPq.

VINÍCIUS ARMILIATO

Pós-doutorado na linha de Filosofia da Psicanálise do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PPGF-PUCPR), com bolsa CAPES/Fundação Araucária. Professor Adjunto I do curso de Psicologia da Universidade da Região de Joinville (Univille), pesquisador vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e Sociedade da Univille (PPGPCS-Univille) e em colaboração com o Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR. É psicólogo clínico e psicanalista. Doutor e Mestre em Filosofia pela PUCPR (linha de pesquisa: Filosofia da Psicanálise), realizou estágio doutoral na Université de Paris 7 – Diderot (mar./17-fev./18), no Centre de Recherches Psychanalyse Médecine et Societé. Especialista em Sociologia Política (UFPR), graduado em Psicologia (PUCPR) e Bacharel em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Organizador da coletânea Georges Canguilhem em Perspectiva. Possui experiência no trabalho clínico e em psicologia escolar, notadamente no trabalho de inclusão envolvendo o autismo. Atualmente pesquisa as bases epistemológicas da psicopatologia contemporânea.

WEINY CÉSAR FREITAS PINTO

Professor do curso de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Possui graduação, especialização, mestrado e doutorado em Filosofia. Atua nas áreas de História da Filosofia moderna e contemporânea, especialmente tradição francesa, com ênfase nos estudos de filosofia da subjetividade, filosofia da psicanálise, epistemologia das ciências humanas. No momento desenvolve pesquisa em duas frentes de investigação: 1) História da Filosofia da Psicanálise: sobre a recepção filosófica da psicanálise pelas tradições francesa, alemã, anglo-saxã e brasileira; 2) Estudos de Filosofia Ricoeuriana, análise da obra filosófica de Paul Ricoeur (1913-2005). Coordena o Grupo de Pesquisa Subjetividade, Filosofia e Psicanálise (UFMS). É membro da Rede Brasil-Ricoeur e da PhilPsyCh – Rede de pesquisa em história e filosofia dos saberes psy e das ciências humanas, da qual foi coordenador em 2022. É pesquisador do Grupo de Pesquisa em Filosofia e Psicanálise da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), do Grupo de pesquisa Filosofia da Psicanálise da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná) e do Centro de Estudos de História e Filosofia das Ciências Humanas da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora). Atualmente coordena o GT Filosofia e Psicanálise da ANPOF (2023-2024). Em 2014/2015 realizou estágio de doutorado em Paris-França, na EHESS – École des Hautes Études en Siences Sociales, e foi pesquisador associado ao Fonds Ricoeur, centro internacional de pesquisa da filosofia de Paul Ricoeur.