Capa do livro: OS 200 ANOS DE INDEPENDÊNCIA E SEUS SIGNIFICADOS PARA A AMAZÔNIA <br>Coleção ANPUH-AM <br>Volume 2

OS 200 ANOS DE INDEPENDÊNCIA E SEUS SIGNIFICADOS PARA A AMAZÔNIA
Coleção ANPUH-AM
Volume 2

Autores: Francisca Deusa Sena da Costa - Anderson Vieira Moura (Organizadores)

No seu 12º ano de existência, a ANPUH - Amazonas, pela primeira vez, conseguiu realizar nosso Encontro Estadual bienal no interior do estado – em um estado onde 50% da população se concentra na capital –, democratizando o alcance de acadêmicos sediados na região, oportunizando intercâmbios presenciais e aproximações com os colegas historiadoras e historiadores de todas as IFES da região Norte (UEA, UFAM, UFAC, UFRR, UFRO) e algumas universidades do restante do país (USP, UFOP, UNIFESP), além de possibilitar a todos os participantes conhecerem a competente produção dos colegas do interior, muitos dos quais constam como autores na presente obra. A parceria com os colegas do Colegiado de História de Parintins/CESP-UEA foi crucial para concretizar o evento. A realização do VI Encontro Estadual de História da ANPUH Amazonas (18 a 21 de outubro de 2022) e a edição desta obra só foram possíveis graças ao apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, a quem agradecemos.

Impresso
de R$ 55,00 por
R$ 45,00
Digital
de R$ 55,00 por
R$ 38,50

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-4412-2
ISBN DIGITAL:978-65-251-4413-9
DOI: 10.24824/978652514412.2
Ano de edição: 2023
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 146
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

OS 200 ANOS DE INDEPENDÊNCIA E SEUS SIGNIFICADOS PARA A AMAZÔNIA <br>Coleção ANPUH-AM <br>Volume 2
CÉSAR AQUINO BEZERRA
Acreano-amazonense, é licenciado em História pela UEA, Mestre e doutorando em História pela UFAM. É membro do Grupo de Estudos Históricos do Amazonas (GEHA/UEA/CNPq) e editor adjunto da Manduarisawa – Revista Eletrônica Discente do Curso de História da UFAM.

CLARICE BIANCHEZZI
Catarinense, Doutora em Antropologia com área de concentração em Arqueologia pela UFPA. Professora Adjunta no curso de História no Centro de Estudos Superiores de Parintins da Universidade do Estado do Amazonas – CESP/UEA. É Vice-Coordenadora do GEPIA – Grupo de Pesquisas em Educação, Patrimônio, Arqueometria e Ambiente na Amazônia.

CRISTIANE DA SILVEIRA
Mineira, Doutora em História pela PUC-SP. Professora Associada no Centro de Estudos Superiores de Tefé da Universidade do Estado do Amazonas – CEST/UEA e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas UEA/CEST. Coordenadora dos cursos modular telemediados de História da UEA. Orienta trabalhos sobre processos de (re)afirmação indenitárias e culturais em comunidades tradicionais, educação escolar indígena, história do pensamento social, ensino de história, formação docente e formação continuada, entre outros.

DIEGO OMAR DA SILVEIRA
Mineiro, Mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e doutorando em Antropologia Social na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É Professor do curso de História no Centro de Estudos Superiores de Parintins da Universidade do Estado do Amazonas – CESP/UEA. Foi Presidente da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR) entre 2019 e 2021 e ocupa, atualmente, a presidência da Seção Amazonas da Associação Nacional de História (ANPUH-AM).

ÉRICO SILVA MUNIZ
Fluminense, Doutor em História da Ciências e da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, é Professor Adjunto da Faculdade de História da Universidade Federal do Pará, campus de Bragança, atuando também no Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia da mesma instituição (PPLSA-UFPA). É Coordenador do Laboratório de História e Patrimônio Cultural na Amazônia (LABHIST-UFPA) e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Interculturais Pará-Maranhão (GEIPAM).

JAMES DA COSTA BATISTA
Amazonense, doutorando em História Social pelo Programa de Pós-Graduação em História (PPGH UFAM). É Professor Efetivo da Secretaria Estadual de Educação do Amazonas (SEDUC).

JOÃO MARINHO DA ROCHA
Paraense, Professor Adjunto B do colegiado de História da Universidade do Estado do Amazonas, Centro de Estudos Superiores de Parintins, UEA/CESP. Doutor em Sociedade e cultura na Amazônia pela UFAM. É Vice-Coordenador do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros – NEAB UEA/CESP e do Grupo de Estudos Históricos do Amazonas – GEHA/UEA.

JÚLIO CLAUDIO DA SILVA
Carioca, Doutor em História Social pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense, é Professor Associado do Colegiado de História Centro de Estudos Superiores de Parintins da Universidade do Estado do Amazonas – CESP/UEA, atuando também como Professor Permanente no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Amazonas. É coordenador do GEHA-UEA/CNPq e do NEAB/CESP-UEA e pesquisador do LABHOI-UFF e do LABHOI-UFJF.

KÁTIA CILENE DO COUTO
Goiana, Doutora em História pela Universidade de Brasília, Professora de História da América Latina na Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Coordenadora do Grupo de Pesquisa “Migrações e Africanidades Caribenhas e Latino-Americanas”. Realiza pesquisas nos seguintes temas: Migrações, Identidades, Memória e movimentos sociais, Caribe.

KEITH VALÉRIA DE OLIVEIRA BARBOSA
Carioca, Doutora em História das Ciências e da Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ (2014). Mestre em História pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ (2010). Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (2008). Professora do curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas – UFAM. É autora do livro “Doença e cativeiro: um estudo sobre mortalidade e sociabilidades escravas no Rio de Janeiro, 1809-1831” (Editora CRV, 2020) e “Escravidão, Saúde e Doenças nas Plantations Cafeeiras do Vale do Paraíba Fluminense, Cantagalo (1815-1888)” (Editora CRV, 2022).

LUIZ ANTONIO BARBOSA GUERRA MARQUES
Goiano, Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) e vencedor do Prêmio CAPES 2022 de Melhor Tese na área de Sociologia, do Prêmio Tese Destaque USP e do Prêmio Sílvio Romero do CNFCP-IPHAN. É Professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

MARINEIDE DA SILVA RIBEIRO
Amazonense, Mestra em História Social pela Universidade Federal do Amazonas e Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em História da mesma instituição (PPGH-UFAM). Participa do LHIA – Laboratório  de História da  Impressa  no Amazonas, é membro do GT Mundos do Trabalho – AM. Atualmente, é professora na Secretaria de Estado e Educação – SEDUC-AM.

MICHELE PIRES LIMA
Travesti amazônica, graduada, Mestra e doutoranda em História Social pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM. Coordena o GT de Estudos de Gênero da Associação Nacional de História – Seção Amazonas. É membro da coordenação da Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado do Amazonas – ASSOTRAM.

MÔNICA XAVIER DE MEDEIROS
Amazonense, Doutora em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC-SP, é Professora Adjunta do curso de História do Centro de Estudos Superiores de Parintins/CESP da Universidade do Estado do Amazonas/UEA. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Teoria Social Crítica, Estado, Movimentos Sociais e Políticas Sociais (TEMPPUS).

ROBEILTON DE SOUZA GOMES
Amazonense, doutorando em História pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Foi Professor no curso de História da Universidade Federal do Amazonas e no Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR), entre 2011 e 2018. Foi Professor de História no Centro Universitário Nilton Lins (2013-2016). É membro do Núcleo de Pesquisa em Política, Instituições e Práticas Sociais – POLIS – UFAM e do Laboratório de Pesquisas em Teoria da História e Interdisciplinaridades – LAPETHI – UFRRJ. Atualmente é professor concursado da rede pública do Estado do Amazonas (SEDUC-AM).

SIDNEY BARATA DE AGUIAR
Amazonense, Doutor pelo Programa de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA), da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Mestre em História Social pelo Programa de Pós-Graduação de História (PPGH) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Especialista pelo Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Desenvolvimento, Etnicidade e Políticas Públicas na Amazônia (DEPPA) do IFAM – CMZL (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - Campus Manaus/Zona Leste). Professor de História das redes públicas de educação do Estado do Amazonas (SEDUC) e do município de Manaus (SEMED). Vinculado ao Núcleo de Pesquisa Migrações e Africanidades Caribenhas e Latino-americanas (UFAM). Pesquisador de movimentos e culturas urbanas brasileiras e estrangeiras.  

TENNER INAUHINY DE ABREU
Amazonense, possui graduação em História pela UFAM (2002) e Mestrado em História Social pela UFAM (2012). Atualmente é doutorando em História no PPGHIS – UnB. É Professor Assistente vinculado ao colegiado de História do Centro de Estudos Superiores de Tefé, da Universidade do Estado do Amazonas – CEST/UEA.

TIAGO FONSECA DOS SANTOS
Gaúcho, Mestre em Educação Ambiental pela FURG/RS, é Professor Lotado no Colegiado de História do Centro de Estudos Superiores de Tefé da Universidade do Estado do Amazonas – CEST/UEA. Atualmente, cursa o Doutorado no Programa de Pós-Graduação em História na Universidade Federal do Amazonas (PPGH/UFAM). Dedica-se ao estudo do indigenismo, do movimento indígena, do meio ambiente, dos direitos humanos e dos projetos de desenvolvimento para a Amazônia durante a Ditadura Militar (1964-1985).

WANDERLENE DE FREITAS SOUZA BARROS
Maranhense, graduada em administração de empresas pelo CIESA; Especialista em Gestão de Pessoas pela Faculdade Martha Falcão; Licenciada em História, Mestra e doutoranda em História pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM. Foi secretária do GT Mundos do Trabalho – Seção Amazonas 2017/2018; Membro do LABUHTA – Laboratório de estudos sobre História Política e do Trabalho na Amazônia desde 2017; Membro da Diretoria da ANPUH/AM 2019/2020, 2021/2022. Desenvolve pesquisas voltadas para o trabalho, cidade e cotidiano com ênfase em leis trabalhistas e de justiça, trabalhadores formais e informais e suas relações, movimentos sociais, além de projetos voltados para a preservação documental de arquivos.

WELLINGTON BERNARDELLI SILVA FILHO
Paranaense, graduado e Mestre em História pela Universidade Estadual do Paraná, Doutor em História e Filosofia das Ciências pelo Departamento de História e Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa. Atua como Professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas. Realiza pesquisas nos seguintes temas: História da Saúde e das Doenças, Circulação do Conhecimento no Império português e Publicações Médico-Farmacêuticas da Época Moderna.

YOMARLEY LOPES HOLANDA
Aamazonense, Doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia pela UFAM. É Professor Adjunto, Coordenador Pedagógico e da Residência Pedagógica no Colegiado de História do Centro de Estudos Superiores de Tefé, da Universidade do Estado do Amazonas – CEST/UEA, atuando também como Docente e Subcoordenador do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UEA).