Capa do livro: POÉTICAS EM TRÂNSITO<br> Coleção PPLIN PRESENTE <br>Volume 2

POÉTICAS EM TRÂNSITO
Coleção PPLIN PRESENTE
Volume 2

Autores: Maria Aparecida Fontes - Shirley de Souza Gomes Carreira - Paulo Cesar Silva de Oliveira (Orgs.)

livro digital
de R$ 0,00 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)
 
Consultar frete e prazo de entrega

Sinopse

Poéticas em trânsito é uma coletânea de textos que reúne pesquisas acerca das inúmeras formas e possibilidades de representação dos sujeitos migrantes e/ou em trânsito. Focalizando questões como etnicidade, gênero, nacionalismo, aculturação e identidade cultural, reflete a literatura vista como um campo aberto em permanente diálogo transdisciplinar.


Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-2644-9
DOI: 10.24824/978652512644.9
Ano de edição: 2022
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 312
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

POÉTICAS EM TRÂNSITO<br> Coleção PPLIN PRESENTE <br>Volume 2

Autores

ORGANIZADORES
MARIA APARECIDA FONTES
É Professora de Literatura Portuguesa-Brasileira do Dipartimento di Studi Linguistici e Letterari (DISLL), da Università Degli Studi di Padova. Foi professora visitante na Universidad Católica de Chile. É Membro do CLEPUL e IECCPMA/Portugal, da AIL e AISPEB, do centro de pesquisa Matrimoine Afro-américano-caribéen da Université Clermont Auvergne, entre outros. Dirige as Coleções RUDÁ (Tab-Edizione, Roma) e LABRA (Aracne/Editrice, Roma).

PAULO CESAR SILVA DE OLIVEIRA
É doutor em Letras (Ciência da Literatura) pela UFRJ e pós-doutor em Estudos de Literatura pela UFF. É professor adjunto de Teoria Literária da FFP/UERJ, vice-líder do Grupo de Pesquisa CNPq Poéticas da Diversidade (UERJ), membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da FFP/UERJ (PPLIN), bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e bolsista do Programa Prociência da FAPERJ/UERJ.

SHIRLEY DE SOUZA GOMES CARREIRA
É doutora em Letras (Literatura Comparada)pela UFRJ e pós-doutora em Literaturas de Língua Inglesa pela UERJ. É professora adjunta de Literaturas de Língua Inglesa da FFP/UERJ, líder do Grupo de Pesquisa CNPq Poéticas da Diversidade (UERJ), membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da FFP/UERJ (PPLIN), bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e bolsista do Programa Prociência da FAPERJ/UERJ.

AUTORES
ALBERTO SISMONDINI
É professor Auxiliar do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É doutorado pela Universidade de Siena (Itália) em Literaturas Comparadas e Tradução Literária, com uma tese sobre autores brasileiros de origem sírio-libanesa. Desde 2006 é membro integrado do Centro de Literatura Portuguesa /F.L.U.C. onde colabora atualmente nos projetos “Literatura, Imagologia e Transnacionalismo: Representação de Migrações” e “Cartografar Voltaire em Portugal e na Literatura Portuguesa (sécs. XVIII-XXI)”. A sua atividade de investigação incide nos autores brasileiros de origem árabe e dela destaca duas publicações: I Cedri del Sertão [Florença 2015] e Arabia brasilica [Cotia(SP) 2017].

AMANDINE MOLIN
É professora de literatura na escola francesa de Brasília. Doutorado em literatura pela Universidade de Brasília (2021), mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (2015) e graduada em engenharia agrícola — Ecole Supérieure d’Agriculture d’Angers (1999). Foi Responsável da plataforma Brasil — Europa na ONUDI (Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial) em Paris. Em Curitiba foi Diretora da filial brasileira da empresa francesa PENA especializada em tratamento de resíduos.

CARLOS MAGNO GOMES
É professor de Teoria Literária da Universidade Federal de Sergipe. Pesquisador Produtividade do CNPq na área dos estudos comparados. Doutor em Literatura pela UnB (2004) com pós-doutorado em Estudos Literários pela UFMG (2013). Professor vinculado aos Programas de Pós-graduação em Letras PPGL e PROFLETRAS/UFS. Editor Chefe da Revista Interdisciplinar: Estudos de Língua e Literatura. Membro do GT da Anpoll: A mulher na literatura. Líder do Grupo de Pesquisa GELIC/CNPq. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Mulher na Literatura (NIELM/UFRJ/CNPq). Autor de diversos artigos que abordam as diferentes formas como o feminicídio é representado na literatura de autoria feminina brasileira e latino-americana: Lygia Fagundes Telles, Maria Colasanti, Patrícia Melo, Nélida Piñon, Arminé Arjona, Marjorie Agosín e Selva Almada.

DANIELA BIRMAN
É professora do departamento de Teoria Literária do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (IEL/Unicamp). Doutora em Letras pela UFRJ (programa Ciência da Literatura, 2007), possui graduação em Comunicação Social (habilitação jornalismo, 1997) e mestrado em Comunicação e Cultura (1999), ambos pela Escola de Comunicação da UFRJ. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira e Literatura Comparada. Atua principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira contemporânea; literatura brasileira e violência; narrativas de exílio; literatura do fora. Também trabalhou como jornalista, tendo sido redatora do suplemento literário Prosa & Verso, do jornal O GLOBO, além de repórter deste mesmo veículo e da editora Abril.

GÍNIA MARIA GOMES
É professora Titular de Literatura Brasileira no Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Organizou os seguintes livros: Narrativas contempora?neas: recortes cri?ticos de Literatura Brasileira (2021); Literatura Brasileira Contempora?nea: geografias (2013); Se?culo XXI: perspectivas para a Literatura Brasileira (2015); (Des)contextos da narrativa brasileira contempora?nea (2017); Alteridades em tra?nsito: este?tica e representac?a?o na narrativa brasileira do se?culo XXI (2018); Mobilidade e resiste?ncia na Literatura Brasileira Contempora?nea (2020); Narrativas brasileiras contempora?neas: memo?rias da repressa?o (2020); e Vozes da resistência: ecos ditatoriais na literatura do século XXI (2021). Desenvolve pesquisa em Literatura Contemporânea, com o projeto “Os percalc?os da memo?ria: migrac?a?o e exi?lio no romance do se?culo XXI”.

JACQUES FUX
É escritor e professor. Matemático, mestre em Computação, doutor em Literatura pela UFMG e pela Université de Lille 3. Foi pesquisador em Harvard (2012- 2014). Autor de Literatura e Matemática (Perspectiva, 2016), vencedor do Prêmio Capes pela melhor tese do Brasil e finalista do Prêmio APCA; Antiterapias (Scriptum, 2012), Vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura; Brochadas (Rocco, 2015), Prêmio Nacional Cidade de Belo Horizonte; Meshugá: um romance sobre a loucura (José Olympio, 2016), vencedor do Prêmio Manaus; Nobel (José Olympio, 2018); Georges Perec: a psicanálise nos jogos e no trauma de uma criança de Guerra (Relicário, 2019); O enigma do infinito (Positivo, 2019), finalista do Prêmio Barco a Vapor e Jabuti e Selo Altamente Recomendável FNLIJ; Ménage literário (Relicário, 2019) e Um labirinto labiríntico (Biblioteca do Paraná, 2020), vencedor do Prêmio Paraná. Seus livros foram publicados na Itália, México, Peru e Israel.

LEONARDO TONUS
É professor de literatura brasileira na Sorbonne Université (França). Em 2014 foi condecorado pelo Ministério de Educação francês Chevalier das Palmas Acadêmicas e, em 2015, Chevalier das Artes e das Letras pelo Ministério da Cultura francês. Curador do Salon du Livre de Paris de 2015 e da exposição “Oswald de Andrade: passeur anthropophage” no Centre Georges Pompidou (França, 2016). É o idealizador e organizador do festival Printemps Littéraire Brésilien e do Projeto MIGRA. Publicou diversos artigos acadêmicos sobre autores brasileiros contemporâneos e coordenou, entre outros, a publicação de Samuel Rawet: ensaios reunidos (José Olimpio, 2008), do volume 4 da Chiricú Journal: Latina/o Literatures, Arts, and Cultures (Indiana University Press, 2020) e das antologias La littérature brésilienne contemporaine — spécial Salon du Livre de Paris 2015 (Revista Pessoa, 2015), Olhar Paris (Editora Nós, 2016), Escrever Berlim (Editora Nós, 2017) e Min al mahjar ila al watan — Da Terra de Migração Para a Terra Natal (Revista Pessoa/ Abu Dhabi Departement of Culture and Tourism/Kalima, 2019). Vários de seus poemas foram publicados em antologias e revistas nacionais e internacionais. É autor de três coletâneas de poesia: Agora Vai Ser Assim (Editora Nós, 2018), Inquietações em tempos de insônia (Editora Nós, 2019) e Diários em mar aberto (Folha de Relvas Edições, 2021).

LUIZ MANOEL DA SILVA OLIVEIRA
É professor associado de Literaturas de Expressão Inglesa no DELAC — Departamento de Letras, Artes e Cultura da UFSJ — e professor docente permanente e coordenador do Programa de Mestrado em Teoria Literária e Crítica da Cultura na UFSJ — Universidade Federal de São João del-Rei. É membro do Grupo de Pesquisa “Poéticas da Diversidade” (UERJ). Seus interesses de pesquisa são as questões de gênero, raça, etnia, deslocamentos e diáspora na escrita de autoria feminina.

MARIA APARECIDA FONTES
É Professora de Literatura Portuguesa-Brasileira do Dipartimento di Studi Linguistici e Letterari (DISLL), da Università Degli Studi di Padova. Foi professora visitante na Universidad Católica de Chile. É Membro do CLEPUL e IECCPMA/Portugal, da AIL e AISPEB, do centro de pesquisa Matrimoine Afro-américano-caribéen da Université Clermont Auvergne, entre outros. Dirige as Coleções RUDÁ (Tab-Edizione, Roma) e LABRA (Aracne/Editrice, Roma). Especialista em Literatura Portuguesa e Brasileira, com ênfase em Vanguardas e Poesia Experimental, Imigração, Memória e Identidade Nacional, relações entre Artes e Literatura. É autora de Mímesis (des)encarnada:Entre imagens e textos luso-brasileiros (2020); Lei. Studio sulle scrittrici brasiliane contemporanee (2018); A beleza é voz de Estado. Futurismo: Mito, arte, política e poética na construção da identidade nacional (2015) e Geografias literárias de língua portuguesa no século XXI (org.) (2021).

MARIA APARECIDA ANDRADE SALGUEIRO
É professora Titular da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Pós-Doutora pela Universidade de Londres (UCL), Inglaterra (2008), Doutora pela Universidade Federal Fluminense (UFF), em 2000. Distinguished Visiting Scholar na University of Houston, Estados Unidos (Spring 2020); Visiting International Scholar no Dartmouth College, uma das Ivy Leagues nos Estados Unidos (invernos setentrionais — 2010/2015). Pesquisadora do CNPq, Cientista do Nosso Estado / FAPERJ, PROCIENTISTA UERJ/FAPERJ e líder de GRPesq nacional. Na UERJ, Professora e Orientadora do Programa de Pós-Graduação em Letras / Estudos Literários e Coordenadora Geral do Escritório Modelo de Tradução Ana Cristina César.

PATRÍCIA MARTINHO FERREIRA
Ensina na University of Massachusetts Amherst (EUA). É licenciada em Estudos Portugueses (2005), mestre em Teoria e Análise da Narrativa (2009) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e mestre em Ensino do Português como Língua Estrangeira (2012) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Em 2018, doutorou-se em Estudos Portugueses e Brasileiros pela Brown University (EUA). Tem apresentado e publicado trabalhos nas áreas das literaturas e culturas lusófonas. É autora de Órfãos do Império: Heranças Coloniais na Literatura Portuguesa Contemporânea (Lisboa: ICS, 2021).

PAULO CESAR SILVA DE OLIVEIRA
É doutor em Letras (Ciência da Literatura) pela UFRJ e pós-doutor em Estudos de Literatura pela UFF. É professor adjunto de Teoria Literária da FFP/UERJ; membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da FFP/UERJ (PPLIN); bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e bolsista do Programa Prociência da FAPERJ/UERJ.

ROGÉRIO LIMA
É professor associado da Universidade de Brasília. Graduado na Universidade Federal Fluminense (1989), obteve pela Universidade Federal do Rio de Janeiro os títulos de mestrado em semiologia (1995) e de doutorado em semiologia (2001), realizou estudos de pós-doutorado na Fondation Maison des Sciences de l’Homme — Paris (2008) e na Universidade Rennes 2, França, (2013). Coordena a seção brasileira do Programa Internacional de Investigação Científica Nantes, Aveiro, Brasília (Rede PICNAB). Presidiu a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras (ANPOLL), e presidiu também a Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC), gestão 2018-2019. É pesquisador visitante na Universidade Federal Fluminense (UFF), no Programa Pesquisador Visitante da FAPERJ/2021.

SHIRLEY DE SOUZA GOMES CARREIRA
É mestre em Linguística Aplicada (UFRJ), doutora em Literatura Comparada (UFRJ) e pós-doutora em Literatura Inglesa. É Professora Adjunta do Curso de Letras da Faculdade de Formação de Professores da UERJ e integra o quadro permanente do Mestrado em Estudos Literários do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UERJ. É membro do projeto de extensão Labletras (FFP/UERJ), líder do Grupo de Pesquisa CNPq Poéticas da Diversidade, bolsista do Prociência UERJ/FAPERJ e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (PQ). Tem artigos publicados em livros e periódicos nacionais e internacionais. Sua pesquisa aborda os seguintes temas: Estudos Culturais; Estudos Pós-coloniais; relações entre história, ficção e literatura, questões de identidade e de gênero, diásporas, migrações e memória.

STEFANIA CHIARELLI
É professora Associada de Literatura Brasileira na Universidade Federal Fluminense, doutora em Estudos de Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2005). Publicou os ensaios O cavaleiro inexistente de Italo Calvino — uma alegoria contemporânea (EDUCS, 1999) e Vidas em trânsito: as ficções de Samuel Rawet e Milton Hatoum (Annablume, 2007) e coorganizou diversas coletâneas sobre literatura brasileira contemporânea, além do volume Rawet em diálogo (Pontes, 2019).

VERA LÚCIA DE OLIVEIRA
É Vera Lúcia de Oliveira nasceu em Cândido Mota (Brasil) e reside na Itália desde 1985. É poeta, ensaísta e professora de Literatura Brasileira na Universidade de Perugia. Formou-se em Letras no Brasil e doutorou-se na Itália. Escreve em português e em italiano e tem poemas publicados em vários países. Sua obra aborda temas como os processos de alteridade, deslocamentos, desterritorialização, marginalização de indivíduos. Recebeu diversos prêmios, entre os quais: Prêmio Sandro Penna (Perugia, 1988), Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras (2005), Prêmio Literatura para Todos (Brasília, 2006), Prêmio Internacional de Poesia Pasolini (Roma, 2006). Entre os livros publicados: Geografia d’ombra, 1989; La guarigione, 2000; Poesia, mito e história no Modernismo brasileiro, 2015; A chuva nos ruídos, 2004; Verrà l’anno, 2005; A poesia é um estado de transe, 2010; La carne quando è sola, 2011, Vida de boneca (infantil), 2013; O músculo amargo do mundo, 2014; Ditelo a mia madre, 2017; Minha língua roça o mundo, 2018; Um avesso de país: representações da literatura brasileira contemporânea. Campinas, SP: Pontes Editores, 2020.

XIMENA ANTONIA DÍAZ MERINO
Possui Estágio Pós-Doutoral em História da América pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro/UERJ. Doutora e Mestre em Letras Neolatinas opção Literaturas Hispânicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ. Atualmente Coordenadora dos Cursos de Graduação em Letras do Departamento de Letras do Instituto Multidisciplinar da UFRRJ; Professora Adjunta de Culturas e Literaturas Hispânicas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/UFRRJ. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação Saberes e Linguagens na Amazônia da UFPA- Campus Bragança — PA; Coorientadora no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Federal Fluminense/UFF. Lider do GP CARDILLA: Cartografias do discurso decolonial literário e linguístico latino-americano; Membro Fundador da Rede Internacional de Estudos Patagônia e Amazônia (RIEPA) da UFPA/Universidade de Lisboa/Universidad Nacional de Quilmes — Argentina; Pesquisadora dos seguintes Grupos de pesquisa cadastrados no CNPq: Laboratório Interdisciplinar Latino-americano — UFRJ; Poéticas do Imaginário e Memória — UNIOESTE. Desenvolve estudos relativos aos sistemas de domínio e exploração resultantes do colonialismo e da colonialidade e suas ressonâncias na Literatura e na História dos espaços culturais da Amazônia, dos Andes e da Patagônia chilena; Mapeamento textual e geográfico dos processos literários Latino-Americanos com enfoque nas discussões da Modernidade/Colonialidade/Decolonialidade. Último livro publicado como Organizadora e Coautora Literatura, Decolonialidade e Patrimônio Cultural na América Latina (UFRRJ/IFRJ/CARDILLA) 2021.

WAÏL S. HASSAN
É Professor Titular de literatura comparada na University of Illinois at Urbana-Champaign (EUA) e ex-presidente da American Comparative Literature Association. Especialista na literatura árabe moderna, é autor de Tayeb Salih: Ideology and the Craft of Fiction (2003) e Immigrant Narratives: Orientalism and Cultural Translation in Arab American and Arab British Literature (2011). Atualmente está escrevendo um livro chamado Arab Brazil: Literature, Culture, and Orientalism. Organizou varios livros, inclusive The Oxford Handbook of Arab Novelistic Traditions (2017) e Literatura e (i)migração no Brasil (2020, com Rogério Lima).