Capa do livro: SER BANCÁRIO<br> Viver o Esplendor Social ou o Trabalho Precário?

SER BANCÁRIO
Viver o Esplendor Social ou o Trabalho Precário?

Autores: Livia de Oliveira Borges - Gabriel Eduardo Vitullo - Júlio Ramon Teles da Ponte

livro impresso
de R$ 67,07 por
livro digital
de R$ 67,07 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Na Compra de 3 livros do site, frete grátis

Na Compra de 2 livros do site, 50% de desconto do frete

Na Compra de 1 livro do site, 15% de desconto do frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

O mundo do trabalho vivencia um novo ciclo de profundas transformações, desde a segunda metade do século passado. Tal ciclo no setor bancário brasileiro agudizou-se na última década do século passado, desde quando foram mais frequentes as fusões de bancos, o encerramento das atividades e as privatizações de outros, bem como a introdução de novos modos de organização do atendimento bancário, dos tipos dos serviços prestados, dos estilos de gestão e dos processos e tecnologias de trabalho. Todas essas mudanças econômicas e gerenciais desdobram-se em outras relativas nas relações de trabalho. Os postos de trabalho diminuíram. Para quem continua bancário, o medo da perda do emprego, a submissão no trabalho e a competitividade entre colegas acentuaram-se. A sindicalização reduziu-se e, com ela, decaiu o poder de barganha dos trabalhadores nas negociações coletivas. As expectativas de um emprego estável, com uma carreira de ascensão para a vida inteira, se enfraqueceram. Muitos bancários perderam a assistência com que supunham contar. Os bancos passaram a exigir mais do desempenho e do envolvimento no trabalho. Com tantas perdas, significativa parte dos bancários já não nutre os mesmos laços identitários de longo prazo com os bancos. A questão – o que é ser bancário? – tornou-se instigante. Organizamos, então, o presente livro abrangendo quatro partes que tratam: da inserção do setor bancário no sistema capitalista; das vivências psíquicas dos bancários em um setor em transformação; de tais vivências no contexto dos bancos federais e das experiências de ex-bancários dos antigos bancos estaduais.

 

Livia de Oliveira Borges

Gabriel Eduardo Vitullo

Júlio Ramon Teles da Ponte

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-8042-537-6
DOI: 10.24824/978858042537.6
Ano de edição: 2012
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 314
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

SER BANCÁRIO<br> Viver o Esplendor Social ou o Trabalho Precário?

Autores

Aécio Alves de Oliveira

Professor da Universidade Federal do Ceará. Graduado em Ciências Econômicas (1969), Mestre em Economia (1975) e Doutor em Sociologia (2006) pela Universidade Federal do Ceará. Tem preferência na área de Economia em Estado e Economia, atuando principalmente nos seguintes temas: mundo do trabalho, economia ecológica, economia solidária, reestruturação produtiva, macroeconomia e financeirização da economia.

 

Alcides Fernando Gussi

Professor do Depto. de Economia Doméstica do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal do Ceará (UFC). Coordena o Programa Mestrado em Avaliação de Políticas Públicas (MAPP) e é docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Faculdade de Educação (FACED), ambos da UFC. Membro do Corpo Editorial da Revista AVAL – Avaliação de Políticas Públicas. Graduado em História, Mestre em Antropologia Social e Doutor em Educação na área "Educação, Sociedade, Cultura e Política" pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua, particularmente, com os temas: identidades sociais, memória, trabalho, abordagem biográfica, programas de microcrédito, avaliação de políticas públicas de caráter social, metodologias qualitativas de avaliação, e inclusão sociodigital e educação.

 

Ana Magnólia Bezerra Mendes

Professora do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho e do Programa de Pós-graduação em Psicologia Social e do Trabalho e das Organizações do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB). Estágio pós-doutorado no Conservatoire National des Arts et Métiers (CNAM), Paris, doutorado em Psicologia pela UnB com estágio doutoral na Universidade de Bath, Inglaterra, mestrado e graduação em Psicologia. Coordenadora do Laboratório de Psicodinâmica e Clinica do Trabalho, onde orienta teses, dissertações e monografias nas temáticas: organização do trabalho, prazer-sofrimento e saúde; estratégias de mediação do sofrimento; patologias e adoecimento psíquico; violência no trabalho; práticas em clinica psicodinâmica do trabalho. Pesquisadora do CNPq desde 1996.

 

Ana Patrícia Dias

Professora adjunta da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Graduada (1998) e mestre (2002) em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Doutora em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba, com estágio doutoral no Centro de Estudos Sociais (CES), da Universidade de Coimbra. Possui experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia do trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: precarização, flexibilização, terceirização, reestruturação produtiva, educação e trabalho e trabalho e qualificação.

 

Chantal Cossalter

Pesquisadora do Laboratório IDHE (Instituições e dinâmicas da história econômica) vinculado ao Centre Nationale  de Recherche Scientifique (CNRS) e à Universidade Paris Ouest Nanterre La Défense. Doutora em sociologia. Especialista na análise do trabalho, das organizações, do emprego e das competências. Conduziu estudos e pesquisas  sobre a evolução do trabalho nos setores financeiro, bancários e securitário no Centro de Estudos e Pesquisas sobre qualificação profissional (1997-1993) e, em seguida, atuou no Laboratório Trabalho e Mobilidades (1993-2004).

 

Elizabeth Zulmira Rossi

Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília, com estágio doutoral no Conservatoire National des Arts et Métiers-Laboratoire de Psychologie du Travail et de l´Action – Paris. Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás. Estágio em Docência Universitária na PUC-GO. Experiência na área de gestão de Recursos Humanos, em pesquisas nas áreas de valores e cultura organizacionais e em saúde no trabalho, com enfoque no aporte teórico da Psicodinâmica do Trabalho.

 

Gabriel Eduardo Vitullo (Organizador)

Professor e Tutor do PET de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Graduado em Ciência Política (1994) e em Direito (1995), pela Universidad de Buenos Aires. Mestre (1999) e Doutor (2005) em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Teoria Política Contemporânea, Teoria Democrática e Política Latino-Americana.

 

Iuri Roberto Sacramento Ramos

Professor da Universidade do Estado da Bahia. Graduado em História pela Universidade Católica do Salvador (1994). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade de Educação da Bahia (2001) e Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2007). Atua nas áreas de Sociologia do Trabalho e Ensino de História.

 

Janine Maranhão de Campiello Varella

Funcionária do Ministério do Trabalho e do Emprego. Graduada e mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Experiência profissional na área de Psicologia do Trabalho e das Organizações.

 

Júlio Ramon Teles Ponte (Organizador)

Analista do Banco do Brasil na Gerência Regional de Gestão de Pessoas do Rio Grande do Norte (GEPES-Natal). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (2001). Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (2004). Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2011).

 

Livia de Oliveira Borges (Organizadora)

Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (a partir de 2009). Docente do Programa de Pós-graduação em Psicologia da mesma universidade. Ex-professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1990-2008) e docente colaboradora do Programa de Pós-graduação em Psicologia dessa universidade. Psicóloga e Mestre em Administração de Recursos Humanos pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Doutora em Psicologia pela Universidade de Brasília. Estágio pós-doutoral na Universidade Complutense de Madri. Bolsista de produtividade do CNPq (PQ-1B). Ex-presidente da Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho (SBPOT). Atualmente, é membro da Comissão de Avaliação da Pós-graduação na área de Psicologia para a CAPES. Participante do Laboratório de Estudos sobre o Trabalho, Saúde e Sociabilidade da UFMG.

 

Lea Carvalho Rodrigues

Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), na área de Antropologia do departamento de Ciências Sociais. Docente no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e do Mestrado em Avaliação de Políticas Públicas da UFC. Graduada em Ciências Sociais, Mestre em Antropologia Social e Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Fez estágio Pós Doutoral em Antropologia Social pelo CIESAS, México (2011). Coordena o Grupo de Estudos sobre Trabalho e Transformações Capitalistas (GET). Em 2008 criou a Revista AVAL - Avaliação de Políticas Públicas e a Coleção Políticas Públicas: teoria e métodos das quais é editora. Atua particularmente com os temas: turismo; projetos de desenvolvimento e populações locais; identidades e nacionalidades; trabalho, processos de transformação capitalistas e análise institucional.

 

Liceu Luís de Carvalho

Bancário da Caixa Econômica Federal. Sociólogo e mestrando em educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ex-diretor do Sindicato dos Bancários (RN).

 

Selma Borghi Venco

Professora do programa de pós-graduação em educação da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) e docente credenciada nos programas de pós-graduação do IFCH-UNICAMP e da Faculdade de Educação-UNICAMP. Socióloga, mestre(1999),  e doutora (2006) em educação pela Universidade Estadual de Campinas, com estágio doutoral em Sociologia na Université Paris X, Nanterre (2003/2004). Desenvolveu pós-doutoramento no Laboratoire Genre, Travail et Mobilités, Univeristé Paris X´ (2008) e no departamento de sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (2007-2009). O campo de pesquisa atual analisa as características da atual política educacional no estado de São Paulo e sua articulação com o trabalho docente.