Capa do livro: CULTURA IMPRESSA EM ÁFRICA:<br> agências, resistências e cotidianos (séculos XIX-XX)

CULTURA IMPRESSA EM ÁFRICA:
agências, resistências e cotidianos (séculos XIX-XX)

Autores: Raquel Gryszczenko Alves Gomes - Helena Wakim Moreno - Thiago Henrique Sampaio (Orgs.)

livro impresso
de R$ 78,38 por
livro digital
de R$ 78,38 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)
 
Consultar frete e prazo de entrega

Sinopse

Cultura impressa em África. Agências, resistências e cotidianos (séculos XIX-XX) aponta caminhos e possibilidades de reflexão acerca dos processos mobilizados e da atribuição de sentidos a diferentes suportes impressos no ou a partir do continente africano durante o período da dominação colonial.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-1083-7
ISBN DIGITAL:978-65-251-1077-6
DOI: 10.24824/978652511083.7
Ano de edição: 2021
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 252
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

CULTURA IMPRESSA EM ÁFRICA:<br> agências, resistências e cotidianos (séculos XIX-XX)

Autores

ORGANIZADORES
RAQUEL GRYSZCZENKO ALVES GOMES
Professora de História Contemporânea na Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, onde também realizou sua graduação (2006), mestrado (2010) e doutorado (2015). É membro do NEELIM – Núcleos de Estudos da Edição, Literatura e Imprensa (IFCH/Unicamp). Coordena o grupo de estudos Mulheres de Letras: escritoras dos séculos XIX e XX, Brasil, Europa e África e também integra o grupo Religiões e Trajetórias das Experiências Missionárias em África: Arquivos, Acervos e Pesquisas (EFLCH/Unifesp).

HELENA WAKIM MORENO
Graduada em História pela Universidade de São Paulo – USP (2010); Mestra em História Econômica pela mesma instituição (2014), com período sanduíche na Universidade de Lisboa. Atualmente conclui sua pesquisa de doutorado em História Social na USP, com estágios de pesquisa e período sanduíche no Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa. Integra os grupos de pesquisa “A itinerância de atores e saberes e as resistências e estratégias políticas na África (séculos XIX-XX)” (FFLCH/USP) e “Religiões e Trajetórias das Experiências Missionárias em África: Arquivos, Acervos e Pesquisas” (EFLCH/Unifesp).

THIAGO HENRIQUE SAMPAIO
Doutorando em História pela Unesp, Mestre em História (2018) e Letras (2021) pela Unesp/Assis. Membro do Núcleo de História Econômica da Faculdade de Ciências e Letras (Unesp/Assis), do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Africanos e Afro-brasileiros (Unesp/Assis), do grupo Religiões e Trajetórias das Experiências Missionárias em África: Arquivos, Acervos e Pesquisas sediado na Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Unifesp), do Núcleo de História da África Contemporânea (Unifesp) e do grupo Economia e Política dos Impérios Ibéricos (sécs. XV-XX) da Cátedra Jaime Cortesão (FFLCH/USP).

AUTORAS
ANA CAROLINA SCHVEITZER
Atualmente é doutoranda na área de História da África no Departamento de Estudos Africanos da Humboldt Universität zu Berlin. Possui graduação (2013) e mestrado (2016) em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Seu projeto de doutorado é financiado pelo Deutscher Akademischer Austauschdienst (DAAD) e tem por escopo analisar a produção de fotografias sobre trabalho durante o colonialismo alemão (1884-1918). Tem interesse nos estudos de História da África, colonialismo, visualidade e História Global.

ANGELA FILENO DA SILVA
Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (2016) e pesquisadora do Instituto Çarê (Paraty Mirim/RJ). Autora do livro Amanhã é dia santo: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na Costa da Mina (2014) e de capítulos de livros, entre eles Ideias e práticas em trânsito: poderes e resistências em África (séculos XIX e XX). Trabalha com temas de pesquisa relacionados aos brasileiros em Lagos (Nigéria) e, mais recentemente, tradições caiçaras no litoral sul fluminense.

BRUNA PERROTTI
Mestranda e bacharela em História pela Universidade Estadual de Campinas, com pesquisas de Iniciação Científica e monografia sobre a obra de Assia Djebar, e estágio na Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris 3. Atualmente pesquisa mulheres na Revolução Argelina vinculada ao Núcleo de Estudos da Edição, Literatura e Imprensa – NEELIM/Unicamp e ao Grupo de Estudos Mulheres de Letras: escritoras do século XIX e XX, Brasil, Europa e África.

EVELYN ROSA DO NASCIMENTO
Nasceu em 3/12/1988 e, debaixo das asas da “Vóva” Maria da Glória, cresceu em Duque de Caxias/RJ. Doutorou-se em História Social da Cultura (PUC-RIO) com pesquisas na área de História da África e dos povos de Matriz Africana, com ênfase no Congo-Kinshasa. Atualmente é professora efetiva na SEEDUC/RJ, coordenadora do “Projeto Girassol: produção sustentável e integrada” e voluntária na ONG Negrosim.

ISABELLE CHRISTINE SOMMA DE CASTRO
Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (Nupri-USP). Concluiu pesquisa de pós-doutorado no Departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo e na Universidade de Columbia, com bolsa Fapesp. É doutora em História Social (USP), com estágio doutoral na Universidade de Cambridge, e mestre pelo programa de Língua, Literatura e Cultura Árabe do Departamento de Letras Orientais (USP).

JÉSSICA C. ROSA
Graduada pela Universidade Estadual de Campinas e mestranda em História Social da África pela mesma instituição. Pesquisa São Tomé e Príncipe desde 2016, e realiza estudos sobre a imprensa republicana publicada no arquipélago há 4 anos. Atualmente, seus interesses de pesquisa envolvem as relações entre os sujeitos colonizados, a partir do recorte de cidadania e raça.

NOEMI ALFIERI
Investigadora Integrada do CHAM – Centro de Humanidades (FCSH-UNL, UaC), onde integra o Grupo de Investigação Leitura e Formas d’Escrita e as linhas de Estudos Africanos e História da Mulher e do Gênero. É doutora em Estudos Portugueses, com especialidade em História do Livro e Crítica Textual. Foi bolseira de doutoramento da FCT-IP com a tese “(Re)Construir a identidade através do conflito: uma abordagem às Literaturas Africanas em Língua Portuguesa (1961-74)”.

SUELLEN CAROLYNE PRECINOTTO
Doutoranda em História pela Universidade Federal do Paraná, sob orientação do professor Dr. Hector Guerra Hernandez. Tem como tema de pesquisa a formação do SPLA/M (Sudan People’s Liberation Army/Movement) e a influência de John Garang e sua proposta do “Novo Sudão”. Outras áreas de interesse são História da África, História da antropologia da África e da antropologia africana, estados modernos africanos e violência política, decolonialidade, práticas e políticas de ações autodenominadas humanitárias, entre outros.