Capa do livro: MusiCS: <br>Musicologia Histórica, Composição e Performance

MusiCS:
Musicologia Histórica, Composição e Performance

Autores: Acácio T. C. Piedade - Marcos Holler (Orgs.)

livro digital
de R$ 0,00 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Na Compra de 3 livros do site, frete grátis

Na Compra de 2 livros do site, 50% de desconto do frete

Na Compra de 1 livro do site, 15% de desconto do frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

MusiCS – Música, Cultura e Sociedade é o grupo de pesquisa formado por professores e pesquisadores do Departamento de Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) coordenadores de projetos de pesquisa envolvendo estudos histórico-culturais, estéticos, analíticos, composicionais e interpretativos. Esta diversidade de perspectivas do grupo MusiCS se faz presente nesta coletânea e revela uma característica do grupo: a transversalidade. Cremos que as pesquisas dos autores neste livro são como linhas oblíquas que se encontram em determinados pontos, como pensamentos que se cruzam no atravessamento de uma musicologia ampliada que abraça os processos criativos. Tendo a Cultura e a Sociedade como fundamento, as disciplinas da História, Composição e Performance se tangenciam na produção dos membros do grupo e nos artigos desta coletânea.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-1335-7
ISBN DIGITAL:978-65-251-1336-4
DOI: 10.24824/978652511335.7
Ano de edição: 2021
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 288
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

MusiCS: <br>Musicologia Histórica, Composição e Performance

Autores

ACÁCIO T. C. PIEDADE
É bacharel em Composição pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Estudou com Almeida Prado, Damiano Cozzella, Hans-Joachim Koellreutter, entre outros. Após sua formação em composição, pesquisou a música de povos indígenas e concluiu mestrado e doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, na área de Antropologia. Realizou um estágio pós-doutoral em Musicologia Analítica na Universidade Paris Sorbonne, França, com apoio do CNPq, e um segundo pós-doutorado em Composição e Música Transcultural na Hochschule für Musik Franz Liszt Weimar, Alemanha, com apoio do DAAD. Compositor ativo e premiado, tem obras gravadas e executadas em concertos e festivais nacionais e internacionais. É professor associado na Universidade do Estado de Santa Catarina junto aos cursos de graduação e pós-graduação em música.

CASSIANO BARROS
É bacharel (2001 – Música – Regência e Cravo), mestre (2006) e doutor (2011) em Música pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Dedica-se principalmente ao ensino e à pesquisa, com ênfase nas áreas da Musicologia, História da Teoria Musical (poéticas antigas e retórica musical), Regência e Educação Musical. Atualmente, desenvolve projeto de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC com apoio da Capes. É autor do livro Uma chave para a música do século XVIII, publicado pela Editora Appris em 2019.

CRISTINA MOURA EMBOABA DA COSTA JULIÃO DE CAMARGO
É professora efetiva no Departamento de Música do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC desde 2015 em Regência, Coral e Prática de Conjunto. Seu projeto de pesquisa é sobre a atuação do “Regente na construção da aísthesis musical do educando” e em seu programa de extensão “Engenho Musical” coordena os grupos Madrigal Udesc, Big Band Udesc e coral infantil Viva a Voz. Tem Doutorado e Mestrado em musicologia pela Pós-Graduação da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo ECA/USP. Bacharelado em Música com habilitação em Regência pela Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP. Atuou como regente coral em corais universitários (UNESP – campi de Franca e Jaboticabal, Madrigal ADEMUS/USP), corais de escola, empresas e instituições públicas. É Regente e Docente convidada do Festival Internacional Fiato al Brasile (Itália) desde 2013 em edições anuais.

LOURDES JOSÉLI DA ROCHA SARAIVA
É natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Completou os cursos de Bacharelado e Mestrado em Composição na Universidade do Estado do Rio Grande do Sul – UFRGS sob a orientação de Celso Loureiro Chaves e de Antônio Borges Cunha. Em 2013 completou o Doutorado na Universidade de York, Inglaterra, sob orientação de Thomas Simaku, com bolsa da Fundação CAPES. Foi indicada como melhor compositora ao Prêmio Açorianos de Música 2014, com a peça Retrato Metafísico de Porto Alegre, para violão solo, do CD ‘Porto Alegro’ gravado por Daniel Wolff. Suas obras incluem peças orquestrais, ensemble contemporâneo, peças para voz, e solo para diversos instrumentos as quais tem sido tocadas e gravadas no Brasil, e também no âmbito internacional – Estados Unidos, Peru, Canadá, México, Inglaterra, Suécia, Alemanha e China. No Departamento de Música da UDESC ministra disciplinas na área de Percepção Musical e Composição. Dedica-se à pesquisa em composição, etnomusicologia e em estética.

LUÍS FERNANDO HERING COELHO
É doutor (2009) e mestre (2003) em Antropologia Social pela UFSC e licenciado em Educação Artística/Habilitação em Música pela UDESC (1999). É professor adjunto no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, atuando principalmente no curso de Bacharelado em Música – Ciências Musicais, onde coordena o Laboratório de Etnomusicologia, ao qual está vinculada a Discoteca L. C. Vinholes. O livro Os Músicos Transeuntes: de palavras e coisas em torno de uns Batutas (2013), resultante de sua pesquisa de Doutorado, foi contemplado com o Prêmio Funarte de Produção Crítica em Música (2012). Atuou como professor nos cursos de graduação em música da UNIVALI (2009-2014) e da UDESC (2011-2014) e como professor convidado no Programa de Pós-Graduação em Música da UDESC (2010-2015). Como músico/violonista participou do Grupo Teatro Jabuti (Florianópolis) de 1999 a 2002 e criou, em 2000, juntamente com a cantora Ive Luna, o grupo Cravo-da-Terra (Florianópolis), de cuja formação participou até 2005.

LUIZ HENRIQUE FIAMINGHI
É professor Associado da Universidade Estadual de Santa Catarina -UDESC – nas áreas de Percepção Musical, Musicologia, Etnomusicologia e Processos Criativos. Estudou violino com Paulo Bosísio e Ayrton Pinto (UNESP). É bacharel em composição e regência pela UNICAMP. Como bolsista do CNPq especializou-se em violino barroco na Holanda. É Doutor em Música pela UNICAMP, com tese sobre a rabeca e José E. Gramani. É rabequista, arranjador e diretor musical do grupo ANIMA, com o qual foi ganhador dos prêmios APCA (1998) e Carlos Gomes (2000), gravou 8 CD’s, e tem realizado turnês no Brasil e exterior. Coordena o grupo de pesquisa “A Vez e a Voz da Rabeca”. Como intérprete e pesquisador atua nas áreas de música antiga (violino e viola barroca) e tradição oral brasileira (rabecas) e rítmica.

LUIZ MANTOVANI
É violonista e professor da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC em Florianópolis, desde 2003. Possui PhD em Musicologia pelo Royal College of Music em Londres, Mestrado e Artist Diploma pelo New England Conservatory of Music em Boston, e Bacharelado pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Instrumentista com atuação internacional e especialista em música de câmara, integrou por 11 anos o Quarteto Brasileiro de Violões – com quem recebeu o Grammy Latino em 2011 – e atualmente integra o NOVA Guitar Duo.

MARCOS HOLLER
É bacharel em cravo, mestre em artes e doutor em musicologia pela UNICAMP. Em 2012 realizou estágio pós-doutoral na Universidade Nova de Lisboa e em 2016 atuou como pesquisador visitante na Hochschule für Musik Franz Liszt Weimar, Alemanha, como bolsista da Fundação Alexander von Humboldt/Capes. Foi professor de História da Música na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e atualmente é membro do programa de pós-graduação em música na mesma instituição, onde se dedica à pesquisa na área de musicologia histórica, principalmente sobre a história da música em Santa Catarina e sobre a música na atuação dos jesuítas nas Américas. Entre 2015 e 2019 foi editor da Opus (revista da ANPPOM). É autor do livro Os jesuítas e a música no Brasil colonial, lançado em 2010.

VALERIA BITTAR
Graduou-se em flauta doce na Universidade de Música e Artes Dramáticas de Viena, como bolsista da Fundação Alban Berg. Doutorou-se em Artes na UNICAMP. Trabalha performance em música através da percepção corpórea, sendo formada em Didática da Técnica Klauss Vianna – Escuta do Corpo. É professora de Prática de Conjunto e Flauta Doce na UDESC, coordenando o projeto de pesquisa “Músicos, música e instrumentos: investigação da performance na música histórica e na música popular tradicional” e o programa de extensão “Flauta Doce – performance e formação”. Responsável pela direção executiva dos oito CDs e espetáculos do Grupo ANIMA, do qual é fundadora e com o qual recebeu os prêmios: Funarte Música Brasileira, APCA e V Prêmio Carlos Gomes, apresentando-se no Brasil, Alemanha, Áustria, Suíça, França, Itália, Luxemburgo, EUA, Canadá, Argentina, Bolívia, Paraguai, Colômbia, Uruguai e México. Integra o grupo Harmonia Universalis e integrou o Núcleo Tálea-música medieval.