Capa do livro: NIETZSCHE E A INTERPRETAÇÃO

NIETZSCHE E A INTERPRETAÇÃO

Autores: Vânia Dutra de Azeredo - Ivo da Silva Júnior

livro impresso
de R$ 53,76 por
livro digital
de R$ 53,76 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Na Compra de 3 livros do site, frete grátis

Na Compra de 2 livros do site, 50% de desconto do frete

Na Compra de 1 livro do site, 15% de desconto do frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

O tema de “Nietzsche e a interpretação” refere-se diretamente a como a especificidade dos textos do filósofo implica a impossibilidade de estabelecer a verdade iniludível de cada proposição, do mesmo modo que possibilita a multiplicidade de interpretações. Isso se deve à característica e à singularidade de um tipo de texto que se pode reconhecer na abertura irredutível expressa na proposição de perspectivas que suscita, ao mesmo tempo, possibilidades de leitura um tanto perspectivas. Afinal, o texto nietzschiano permite uma diversidade de possibilidades em termos de interpretação, pois não formula proposições inequívocas, cujo corolário seria evidente, mas se apresenta como algo a ser decifrado.

O livro foi pensado para apresentar a discussão que se desenvolveu no II Encontro do GT Nietzsche da ANPOF, ocorrido em outubro de 2009, nos dias 28, 29 e 30. O tema do evento foi a interpretação, mas a discussão desenvolveu-se em torno de duas abordagens possíveis, quais sejam: ou o tema da interpretação em Nietzsche ou a proposta de uma interpretação para a filosofia de Nietzsche. Além disso, este volume visa a divulgar parte da pesquisa Nietzsche no Brasil, desde os primeiros formadores, passando pela geração seguinte, por professores convidados, pela pesquisa na pós-graduação e, finalmente, pelo começo da pesquisa com a iniciação científica. 

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-8042-428-7
DOI: 10.24824/978858042428.7
Ano de edição: 2012
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 316
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

NIETZSCHE E A INTERPRETAÇÃO

Autores

Scarlett Marton

Professora Titular de Filosofia Contemporânea da Universidade de São Paulo. Escreveu Nietzsche: das forças cósmicas aos valores humanos (2. ed., UFMG, 2000); Extravagâncias: ensaios sobre a filosofia de Nietzsche (Discurso Editorial; Unijuí, 2000); A irrecusável busca de sentido (Ateliê Editorial; Unijuí, 2004); Nietzsche: seus leitores e suas leituras (Barcarolla, 2010); Nietzsche, filósofo da suspeita (Casa da Palavra, 2010) , dentre outros. Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil, na Alemanha, na Áustria, na Espanha, na França, em Portugal, nos Estados Unidos, na Colômbia, na Venezuela, na Bolívia, no Chile e na Argentina.

Fundou o GEN – Grupo de Estudos Nietzsche, os Cadernos Nietzsche e a coleção de livros Sendas e Veredas. Junto com três colegas europeus, dirige o GIRN – Groupe International de Recherche sur Nietzsche.

 

Gilvan Fogel

Professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Escreveu O Homem Doente do Homem e a Transfiguração da Dor (Mauad, 2010); “Notas sobre o Corpo”, em Arte: Corpo, Mundo e Terra (7letras/FAPERJ, 2009); Que é Filosofia? (Idéias & Letras, 2009); Conhecer é criar: um ensaio a partir de F. Nietzsche (Discurso; Unijui, 2003); Da Solidão Perfeita – Escritos de Filosofia (Vozes, 1998); Nietzsches Gedanke Der Überwindung Der Metaphysik (Ruprecht-Karl-Universität in Heidelberg, 1980). Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior. É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Oswaldo Giacoia Junior

Professor Adjunto da Universidade Estadual de Campinas.

Escreveu Nietzsche X Kant: um debate a respeito de liberdade, autonomia e dever (Casa da Palavra, 2012); Além do Princípio do Prazer: um dualismo incontornável (Civilização Brasileira, 2008); Pequeno Dicionário de Filosofia Contemporânea (Publifolha, 2006); Nietzsche & Para Além de Bem e Mal (Jorge Zahar, 2005); Sonhos e pesadelos da razão esclarecida: Nietzsche e a modernidade (Editora da Universidade de Passo Fundo, 2005); Nietzsche como Psicólogo (2. ed., Unisinos, 2004); Nietzsche – Para a Genealogia da Moral (Scipione, 2001); Nietzsche – Folha Explica (Publifolha, 2000); Os Labirintos da Alma: Nietzsche e a auto-supressao da moral (Edunicamp, 1997). É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.

 

 

Antonio Edmilson Paschoal

Graduado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1985), mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1994) e doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1999), com pesquisa desenvolvida na Freie Universität Berlin. Como pesquisador, realizou dois estágios de pós-doutorado, um na Universität Leipzig, com pesquisa na Biblioteca Anna Amalia em Weimar (final de 2007 – início de 2008) e outro na Ernst Moritz Arndt Universität Greifswald (segundo semestre de 2010 – primeiro semestre de 2011). Atualmente é professor titular do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR e pesquisador (PQ-2) do CNPq. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Contemporânea, atuando em projetos sobre a “má consciência e o ressentimento” e sobre “os limites da razão”, nos quais desenvolve estudos sobre aspectos da filosofia de Nietzsche em interface com o pensamento de Kant, Dostoiévski, Schopenhauer, Freud e Foucault. Atua também na área de ensino de filosofia, com atividades na graduação em filosofia na PUCPR, com pesquisas sobre “leitura e ensino de filosofia” e também por meio de assessoria prestada ao MEC e à SEED – PR. Na área de filosofia no país, tomou parte em comissões do MEC, da SEED e da ANPOF, coordenou o GT Nietzsche da ANPOF e atuou como avaliador e parecerista para a CAPES, o CNPq e outros veículos de publicação da área. É autor de várias traduções e publicações autorais, destacando-se os livros A genealogia de Nietzsche e Nietzsche e a auto-superação da moral. Atualmente é um dos editores da revista Estudos Nietzsche, do GT Nietzsche da ANPOF.

 

André Luís Mota Itaparica

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1996), mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1999) e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2003). Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Moderna e Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: Nietzsche, Crítica da Moral, Idealismo, Realismo, Natureza e Cultura.

Escreveu Nietzsche: Estilo e Moral. (Discurso Editorial; Editora da UNIJUÍ, 2001) Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.  É membro do GEN – Grupos de Estudos Nietzsche e do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Anna Hartmann Cavalcanti

Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1991), doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2003), doutorado sanduíche pela Universität Leipzig (2000) e pós-doutorado em Filosofia pela UFRJ (2006). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Estética, atuando principalmente nos seguintes temas: arte e memória, linguagem, estética em Nietzsche.

Escreveu Símbolo e Alegoria: a gênese da concepção de linguagem em Nietzsche (Annablume; Fapesp; Daad, 2005).

Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.  É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Rosa Dias

É professora associada do Departamento de Filosofia da UERJ. Publicou Nietzsche: vida como obra de arte (Civilização Brasileira, 2011); Amizade Estelar: Schopenhauer, Wagner e Nietzsche (Imago, 2009); Lupicínio e a dor de cotovelo (Língua Geral, 2009); Nietzsche e a música (Discurso Editorial; Unijuí, 2005) e Nietzsche educador (Scipione, 1991). Coorganizou Leituras de Zaratustra, (Mauad, 2011); Arte Brasileira e Filosofia (Uapê, 2007) e Assim falou Nietzsche III – Para uma filosofia do futuro (7Letras, 2001). É bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Recebeu, em 2002, o prêmio “Candango de melhor roteiro” pelo filme Dias de Nietzsche em Turim. Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior. É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Rogério Antônio Lopes

É doutor em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2008). Professor adjunto do Departamento de Filosofia da UFMG desde 2008. Atua nas seguintes áreas: filosofia alemã do século XIX com ênfase em Nietzsche, história do ceticismo, ética contemporânea e retórica filosófica.

Escreveu Elementos de retórica em Nietzsche (Edições Loyola, 2006).

Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior. É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Ivo da Silva Júnior

É professor adjunto de História da Filosofia e vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em filosofia da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Graduou-se em filosofia, defendeu o mestrado (2000) e o doutorado (2005) pela Universidade de São Paulo – USP. Realizou estudos na Universidade de Reims, França (2003-4). Faz atualmente estágio pós-doutoral na Universidade de Reims (2010-11). É editor-responsável dos Cadernos Nietzsche. É membro do GIRN – Groupe International de Recherches sur Nietzsche, do GT Nietzsche da ANPOF e do GEN – Grupo de Estudos Nietzsche. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase no pensamento de Nietzsche e na filosofia francesa contemporânea.

Escreveu Filosofia e cultura: Festschrift para Scarlett Marton (Barcarolla, 2011) e Em busca de um lugar ao sol: Nietzsche e a cultura alemã. (Discurso Editorial; Editora da Unijuí, 2007).

Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.

 

Miguel Angel de Barrenechea

Possui Graduação em Filosofia pela Universidad Nacional de La Plata (1978), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991), doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e pós-doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2006). Atualmente, é professor Associado II da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, atuando como docente e pesquisador nos Programas de Pós-Graduação em Memória Social e Educação e no Departamento de Filosofia e Ciências Sociais. É coordenador de disciplina, bolsista da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Rio de Janeiro (CECIERJ/CEDERJ). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Nietzsche, atuando principalmente nos seguintes temas: Nietzsche, memória, tragédia, educação, ética e arte.

Escreveu Nietzsche e o corpo (7Letras, 2009); Nietzsche e a liberdade (2. ed., 7Letras, 2008) e Filosofia e Educação – Material Didático para EAD (Fundação CECIERJ, 2012). Organizou Nietzsche e as ciências (7Letras, 2011); As dobras da memória (7Letras, 2008); Nietzsche e os gregos: arte, memória e educação (DP&A, 2006); Memória e Espaço: Trilhas do Contemporâneo (7Letras, 2003); Assim Falou Nietzsche IV – A fidelidade à terra ( DP&A, 2002); Assim Falou Nietzsche III – Para uma filosofia do Futuro (7Letras, 2001).  Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.  É membro do GT Nietzsche da ANPOF.

 

Vânia Dutra de Azeredo

É professora de Filosofia Contemporânea no Curso de Filosofia da PUC-Campinas. Escreveu Nietzsche e a aurora de uma nova ética (Humanitas; FAPESP, 2008) e Nietzsche e a dissolução da moral (2. ed., Discurso Editorial; Unijuí, 2003). Organizou Nietzsche: Filosofia e Educação (Unijuí, 2008); Falando de Nietzsche (Unijuí, 2005); Caminhos percorridos e terras incógnitas (Unijuí, 2004) e Encontros Nietzsche (Unijuí, 2003).

Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior. É membro do GEN – Grupo de Estudos Nietzsche; do GIRN – Groupe International de Recherche sur Nietzsche e do GT Nietzsche da ANPOF. Coordena o grupo Ética, Política e Religião: questões de fundamentação.

 

Maria Cristina Franco Ferraz

Professora titular de Teoria da Comunicação da UFF e da UFRJ, com três estágios de pós-doutoramento em Berlim. Doutora em Filosofia pela Universidade de Paris 1-Sorbonne. Autora das seguintes obras: Nietzsche, o bufão dos deuses (Relume Dumará, 1994; Ediouro; Sinergia, 2009; L’Harmattan, 1998); Platão: as artimanhas do fingimento (Relume Dumará, 1999; Ediouro; Sinergia, 2009; Nova Vega, 2010); Nove variações sobre temas nietzschianos (Relume Dumará, 2002) e Homo deletabilis – corpo, percepção e esquecimento: do século XIX ao XXI (Garamond; FAPERJ, 2010). É membro do GT Nietzsche da ANPOF. Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.

 

Clademir Luís Araldi

Graduou-se em Filosofia pela FAFIMC–RS (1992). Concluiu o mestrado na UFRGS (1995) e o doutorado em Filosofia na USP (2002). É professor associado do Departamento de Filosofia da UFPel. Realizou estágios de pesquisa na Universidade Técnica de Berlim – Alemanha (2001-2002, 2007-2008) e participou de eventos nacionais e internacionais sobre o pensamento de Nietzsche. É autor do livro Niilismo, Criação, Aniquilamento: Nietzsche e a filosofia dos extremos (Discurso Editorial; Ed. Unijuí, 2004). Publicou artigos em revistas nacionais e internacionais. Traduziu o livro de W. Müller-Lauter, Nietzsche: seine Philosophie der Gegensätze und die Gegensätze seiner Philosophie (Nietzsche: sua filosofia dos antagonismos e os antagonismos de sua filosofia [Editora UNIFESP, 2011]). É membro do GEN – Grupo de Estudos Nietzsche, do GT Nietzsche da ANPOF e do GIRN – Groupe International de Recherches sur Nietzsche.

 

Wilson Antonio Frezzatti Jr

Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e professor associado dos cursos de Graduação e Mestrado em Filosofia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Coordenador do GT Nietzsche da ANPOF e do Grupo de Pesquisa “Filosofia, Ciência e Natureza na Alemanha do século XIX” da UNIOESTE. Membro do Grupo de Estudos Nietzsche (USP) e do Groupe International de Recherches sur Nietzsche (GIRN). Escreveu Nietzsche contra Darwin (Discurso Editorial; Ed. Unijuí, 2001) e A fisiologia de Nietzsche: a superação da dualidade cultura/biologia (Ed. Unijuí, 2006), além de diversos artigos em revistas especializadas.

 

Jorge Luiz Viesenteiner

É doutor em filosofia pela Unicamp e professor do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR. Fez doutorado sanduíche pela Ernst Moritz Arndt Universität Greifswald/Alemanha, sob orientação do professor dr. Werner Stegmaier. Atualmente, é também membro oficial do GIRN (Groupe International de Recherches sur Nietzsche) pela Universität Greifswald. Pós-doutorado na Radboud University Nijmegen/Netherland, com trabalhos realizados em conjunto com o professor dr. Paul van Tongeren. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia Contemporânea, atuando principalmente com filósofos como Nietzsche, Kierkegaard, Heidegger e Deleuze. Possui também frequentação com literatura estrangeira moderna. É membro do GT Nietzsche da ANPOF. Publicou ainda artigos em livros e revistas especializadas no Brasil e no exterior.

 

Adriana Delbó

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1997), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2000) e doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2006). Pós-doutoramento na Universidade de São Paulo (2008). Atualmente, é professora na Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, Estética e Ética, atuando principalmente nos seguintes temas: conexões entre política, moral e estética em Friedrich Nietzsche; crítica ao Estado moderno; entrelaçamento entre moral e política; conexão entre Estado, arte, cultura e geração do gênio; vínculos entre Estado-ilusão-verdade; poder e política.

 

José Nicolao Julião

Possui graduação (1987) e mestrado (1994) em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado (2001) em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas. Fez estágios nas universidades de Leipzig e Bielefeld, na Alemanha, em nível de doutorado sanduíche como bolsista do DAAD e da CAPES. Atualmente, está afastado, fazendo estágio Pós-Doutoral na Technische Universität Berlin. É professor Associado II da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: a crítica de Nietzsche à cultura e a sua recepção; a Filosofia da História, de Sto. Agostinho ao historicismo. Também atua nos seguintes temas: Aristóteles e a transmissão do aristotelismo; Teoria do Conhecimento, sobre o relativismo; Ética, questões de fundamentação e multiculturalismo. Fez parte do programa de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal de Goiás (2001) e da Universidade Gama Filho-RJ (2006-2010). Faz parte do programa de pós-graduação em história da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Faz parte dos seguintes GTs da ANPOF: GT Filosofia da História e Modernidade; GT Pragmatismo; GT Nietzsche.

 

Samuel Mendonça

Concluiu o doutorado em Educação (Filosofia da Educação) – Universidade Estadual de Campinas, em 2009. Atualmente é Professor Pesquisador e Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da PUC Campinas, consultor do Comitê Assessor Especial da Coordenação Geral de Cooperação Internacional da CAPES, assessor Científico da FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, e parecerista Ad Hoc do GT 17 – Filosofia da Educação da ANPED – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. É presidente da ALFE – Associação Latino-americana de Filosofia da Educação, membro do INPE – International Network of Philosophers of Education, do PES – Philosophy of Education Society e da Sociedade Brasileira de Filosofia da Educação. Autor de Projeto e Monografia Jurídica (4. ed., Millennium, 2009). É orientador de Mestrado e de Iniciação Científica.

 

Jelson Roberto de Oliveira

Professor do programa de pós-graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, diretor do Curso de Filosofia da mesma universidade. Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (1999), especialização em Sociologia Política e mestrado em História da Filosofia Moderna e Contemporânea pela mesma universidade (2004) e doutorado em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos, com pesquisa sobre a Amizade em Nietzsche. É autor de vários artigos e livros, dentre os quais: A solidão como virtude moral em Nietzsche (Champagnat, 2010).

 

Oscar Augusto Rocha Santos

Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2011), bacharel e licenciado em Filosofia pela Universidade Federal de São João del-Rei (2006). Atua nas áreas de História da Filosofia, Ética e Teoria de Valores com ênfase no pensamento de Friedrich Nietzsche. Atualmente, dedica-se à pesquisa de doutorado, tendo como tema as relações de Nietzsche com a tradição utilitarista.

 

Francisco Rafael Leidens

Possui mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas (2011) e graduação em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (2007). Atualmente, é membro do Grupo de Estudos Nietzsche (UFPel) e do grupo de pesquisa “Estética e crítica da modernidade”.

 

Wander Andrade de Paula

Possui graduação em Filosofia (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Estadual de Campinas (2006), Mestrado em Filosofia pela mesma universidade, com a dissertação “O(s) Sócrates de Nietzsche: uma leitura d’O nascimento da tragédia”, sob orientação do professor Oswaldo Giacoia Junior (2009). Atualmente, é doutorando, sob a mesma orientação, desenvolvendo a tese “Nietzsche e a transfiguração do pessimismo schopenhaueriano”. É membro do Grupo Crítica e Modernidade (CriM), da UNICAMP, e do Grupo Nietzsche, da UFMG. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, Ética, Estética e Filosofia de Friedrich Nietzsche.

 

Tiago Lemes Pantuzzi

Mestrando da Universidade de São Paulo e integrante do Grupo de Estudos Nietzsche de São Paulo. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética, atuando principalmente na temática da moral em Nietzsche. Publicou um artigo sobre a moral em Nietzsche nos Cadernos de Iniciação Filosófica do Rio Grande do Sul e escreveu um texto sobre o vício no trabalho na revista Filosofia Ciência e Vida.

 

Thiago Harrison Felício

Formado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Atualmente, é mestrando da Universidade de Campinas (Unicamp). Trabalha na área de Filosofia Antiga e atua, principalmente, nos seguintes temas: Epicuro; Lucrécio; phrónesis; philosophia. Entre os artigos publicados, está “A amizade em Epicuro”.