Capa do livro: DIDÁTICA, DECOLONIALIDADE E EPISTEMOLOGIAS DO SUL:<br> uma proposta insurgente contra a neoliberalização do ensino escolar e universitário

DIDÁTICA, DECOLONIALIDADE E EPISTEMOLOGIAS DO SUL:
uma proposta insurgente contra a neoliberalização do ensino escolar e universitário

Autores: Pedro Jônatas Chaves

Em uma época em que a educação e, especialmente a Didática, reivindicam novos estatutos epistemológicos, surge um pesquisador que pretende enfrentar com profundidade essa questão. Ele é Pedro Jônatas, forte e corajoso como um verdadeiro nordestino; rebelde e insurgente como se requer ao pesquisador da educação. Pedro traz a proposta de rever e reconstruir os pressupostos epistemológicos da Didática. Sugere, com cuidado, flexibilizações em sua concepção como prática social. Vislumbra a urgência e a necessidade de uma Didática crítica que decolonize processos e práticas pedagógicos, na perspectiva de um ensino mais emancipatório e justo. Para tanto, lança mão das epistemologias do Sul, conforme estudos de Boaventura Santos, para fundamentar argumentos que possam construir novas reflexões sobre as possibilidades de práticas educativas que potencializem movimentos em direção à justiça cognitiva e social. Parabéns a Pedro Jônatas e vida longa para novas pesquisas que possam fortalecer as bases de uma educação crítica e decolonial.

Profa. Dra. Maria Amélia Santoro Franco
Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE)
Universidade Católica de Santos (UNISANTOS)


Pedro Jônatas nos convida, por meio de consistente texto teórico, a romper com os paradigmas tradicionais de uma Didática única, centrada nos valores eurocêntricos e imperialistas, apontando para os valores culturais, próprios da gênese do povo e de localidades representativas da nossa gente. Dessa forma, apresenta a possibilidade do enfoque decolonial, com o objetivo de maior aproximação das flexibilizações da Didática com a realidade local, suas tradições e a cultura que as representa. É um estudo cuidadosamente aprofundado, com a utilização de autores da atualidade, que contribuem, com novos olhares, para o debate no campo da formação de professores. A pesquisa nos enriquece com uma abordagem, que se direciona para a necessidade de um olhar mais a tento para o papel da Didática na docência.

Profa. Dra. Maria Socorro Lucena Lima
Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE)
Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Pedro Chaves oferece-nos uma pesquisa que aborda, com sensibilidade e inteligência, um tema que me parece central, para academia, mas também para todos nós, cidadãos e cidadãs. Em especial quando vivemos, em várias
partes do globo, um momento paradoxal de fortalecimento de concepções conservadoras e até retrógradas acerca da vida em sociedade e, ao mesmo tempo, de fortalecimento dos lugares de fala, político e epistemológicos,
por parte de setores historicamente subalternizados nessa mesma sociedade: mulheres, sexualidades não normatizadas, negros, indígenas etc. De modo que, quando Pedro articula o debate da educação com as “epistemologias do Sul”, ele dá um impulso para que esse debate continue a ocorrer a partir do ponto de vista da transformação em uma sociedade mais justa, mais horizontal, mais pluralista.

Prof. Dr. Alexandre Almeida Barbalho
Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS)
Universidade Estadual do Ceará (UECE)


O livro “Didática, Decolonialidade e Epistemologias do Sul: uma proposta insurgente contra a neoliberalização do ensino escolar e universitário”, de autoria de Pedro Jônatas Chaves, propõe uma reflexão que entretece Didática, Pensamento Decolonial e Epistemologias do Sul com o foco nas implicações para o enfrentamento da tendência essencialista e normatizante da Didática. O jovem pesquisador lança luzes a uma temática importante e traz à tona um debate que tenta romper com a perspectiva colonial arraigada à nossa formação, ao mesmo tempo propiciar um diálogo com uma Pedagogia Decolonial, considerando criticamente contextos de marginalização e resistência, que possibilitam a construção de novas possibilidades à Didática e, quiçá, uma descolonização do professor, do ensino e da escola/universidade.

Prof. Dr. Elcimar Simão Martins
Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE)
Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Impresso
de R$ 70,20 por
R$ 54,00
Digital
de R$ 70,20 por
R$ 49,14

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-1063-9
ISBN DIGITAL:978-65-251-1058-5
DOI: 10.24824/978652511063.9
Ano de edição: 2021
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 208
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

DIDÁTICA, DECOLONIALIDADE E EPISTEMOLOGIAS DO SUL:<br> uma proposta insurgente contra a neoliberalização do ensino escolar e universitário
PEDRO JÔNATAS CHAVES
É pedagogo, mestre e doutorando em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Integrante do GDESB – Grupo de Pesquisa Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (PPGE-UECE). Membro do GT04 Didática da ANPEd – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Associado da ANDIPE – Associação Nacional de Didática e Prática de Ensino. Possui experiência na Educação Básica como professor e professor formador de professores. Atualmente exerce a função de professor e pesquisador em cursos de graduação e pós-graduação lato sensu.