Capa do livro: BRASIL:<br> Indústria e Desenvolvimento em um cenário de transformação do paradigma tecno-produtivo<br><br> Coleção Centros e Núcleos

BRASIL:
Indústria e Desenvolvimento em um cenário de transformação do paradigma tecno-produtivo

Coleção Centros e Núcleos

Autores: Antônio Carlos Diegues - Fernando Sarti (Orgs.)

livro digital
de R$ 0,00 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

Na Compra de 3 livros do site, frete grátis

Na Compra de 2 livros do site, 50% de desconto do frete

Na Compra de 1 livro do site, 15% de desconto do frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

O Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT) do Instituto de Economia da UNICAMP, congrega desde 1985, docentes, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação e colaboradores externos que desenvolvem pesquisas individuais. Desde então, foram desenvolvidos trabalhos de grande repercussão sobre o investimento direto estrangeiro, sobre o comércio exterior das filiais das empresas estrangeiras, sobre a internacionalização das grandes empresas nacionais, sobre as pequenas e médias empresas industriais, sobre arranjos locais de produção e de inovação e sobre políticas industriais e estratégias de desenvolvimento econômico.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-251-0956-5
DOI: 10.24824/978652510956.5
Ano de edição: 2021
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 352
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

BRASIL:<br> Indústria e Desenvolvimento em um cenário de transformação do paradigma tecno-produtivo<br><br> Coleção Centros e Núcleos

Autores

ANTÔNIO CARLOS DIEGUES
Professor do Instituto de Economia da UNICAMP e Coordenador do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT), da mesma instituição, e Editor Convidado (2020) para Seção Especial da Revista Brasileira de Inovação intitulada ‘Novos Paradigmas Produtivos: Desafios ao desenvolvimento em um cenário de emergência da Indústria 4.0 e da retomada da Política Industrial’. Anteriormente foi Professor Adjunto IV no Departamento de Economia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), onde atuou durante 08 anos. Adicionalmente, foi Coordenador Adjunto da Graduação em Ciências Econômicas no período entre 2016 a 2017. Graduado (2005), Mestre (2007) e Doutor (2010) em Economia pelo IE-UNICAMP, participou como membro da Comissão Avaliadora do 35o Prêmio BNDES de Teses e Dissertações em Economia (2015) e atuou em projetos de pesquisa vinculados à formulação de políticas públicas, coordenados por instituições como BNDES, ABDI, IPEA, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, entre outros. Dentre suas principais áreas de atuação, destacam-se política industrial e análise do desenvolvimento em perspectiva comparada, com ênfase nas transformações da estrutura produtiva. Atualmente, seus principais projetos de pesquisa são: (a) As limitações da contribuição da indústria brasileira ao desenvolvimento entre os governos Lula e Dilma, (b) Os limites do arcabouço convencional de política industrial em um cenário de estruturas produtivas fluidas e (c) A relação entre Política Industrial e as transformações no modelo de desenvolvimento chinês a partir da reconfiguração de sua estrutura produtiva. Como indicadores síntese de sua atuação acadêmica, destacam-se: (a) Artigos aceitos para publicação: 2 (b) Artigos em periódicos: 31 (c) Capítulos de livro: 11 (d) Artigos em publicações jornalísticas: 84 javascript:void(0) (e) Orientações de Doutorado: 02 em andamento (f) Orientações de Mestrado: 12, sendo 09 concluídas e 03 em andamento (g) Orientações de IC: 12, sendo 10 concluídas e 02 em andamento (h) Orientações de Graduação: 41, sendo 33 concluídas e 08 em andamento (i) Bancas: participação em 158 bancas, sendo: (i) 05 como membro Titular de Concurso Público para Provimento de Vaga de Professor Doutor (e 04 como suplente), (ii) 03 de doutorado, (iii) 05 qualificações de doutorado, (iv) 23 de mestrado, (v) 11 qualificações de mestrado, (vi) 111 de graduação.

BRUNA MIYASHIRO TÁPIAS
Graduação em andamento em Ciências Econômicas. Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.

CAMILA VENEO CAMPOS FONSECA
Doutora em Teoria Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 2019), com Mestrado em Teoria Econômica pela mesma instituição (UNICAMP, 2015) e Bacharelado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 2012). Atualmente é professora da Faculdade de Campinas (FACAMP), professora nas Especializações de Marketing, Finanças Corporativas e Direito & Economia, Modalidade Extensão Universitária, no Instituto de Economia da UNICAMP (IE/UNICAMP) e pesquisadora do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT-IE/UNICAMP) e do Núcleo de Pesquisa de Economia e Gênero (NPEGen - FACAMP). Desenvolve pesquisas e atua como consultora nas áreas de finanças, economia da tecnologia e desigualdades socioeconômicas relacionadas ao gênero e à raça, sendo também especialista em pesquisa e análise de dados.

CAROLINA TRONCOSO BALTAR
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001), mestrado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2007), doutorado no Land Economy pela Universidade de Cambridge, Reino Unido (2012) e pós-doutorado no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professora do Instituto de Economia da Unicamp. Desenvolve suas atividades de pesquisa nas áreas de Macroeconomia, Economia Internacional, Comércio Exterior e Economia Industrial.

CÉLIO HIRATUKA
Professor Livre Docente e Diretor Associado do Instituto de Economia da Unicamp, Pesquisador do NEIT e Coordenador do Grupo de Estudos Brasil China . Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1992), mestrado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atua principalmente nas áreas de Economia Internacional, Economia Industrial e da Inovação e Desenvolvimento Econômico. Tem como temas principais de pesquisa: comércio internacional, empresas transnacionais, investimento direto estrangeiro, desenvolvimento industrial e relações Brasil-China

CLARA MENDONÇA SALIBA
Graduação em andamento em Ciências Econômicas. Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.

FERNANDO SARTI
Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em 1987, mestrado em Economia pela UNICAMP (1994) com a dissertação: Evolução das Estruturas de Produção e de Exportação da Indústria Brasileira nos Anos 1980? e doutorado em Economia pela UNICAMP (2001) com a tese “Internacionalização Comercial e Produtiva no Mercosul nos anos 90”. Participante da terceira edição do Cambridge Advanced Programme on Rethinking Development Economics (CAPORDE) na Universidade de Cambridge-Inglaterra em 2004. Pós-Doutorado no Institut de Recherches Économiques et Sociales (IRES) na França. Professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas nos cursos de Economia Internacional e Microeconomia. Pesquisador do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT-IE-UNICAMP) e da Rede Mercosul. Principais áreas de pesquisa: Economia Industrial e Internacional e Finanças Corporativas. Principais temas de pesquisa: concorrência, competitividade, comércio exterior, investimento estrangeiro, acordos de integração, Mercosul, indústria automobilística, política industrial e tecnológica, Tecnologia da Informação, Economia do Turismo e Economia do Saneamento, Financeirização.

IVETTE LUNA
Professora do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, no Departamento de Teoria Econômica (DTE). Possui mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (2003/2007). Atualmente coordena o Núcleo de Economia Aplicada, Agrícola e do Meio Ambiente (NEA+) e participa ativamente do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT). Também é membro do grupo de trabalho em IA do Instituto de Estudos Avançados (IdEA/Unicamp) e da Associação Brasileira de Economia Industrial e Inovação (ABEIN). As suas pesquisas se caracterizam pela análise empírica no campo microeconômico, utilizando instrumentos de Simulação, Ciência dos Dados e Complexidade Econômica na análise de temáticas diversas, porém com predominância no estudo da dinâmica industrial, estrutura produtiva e desenvolvimento econômico.

JOÃO PAULO FARIAS FENELON
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Piauí (2015) e mestrado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2020). Atuou como professor substituto do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Piauí (2015-2017). É atualmente doutorando em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas. Desenvolve suas atividades de pesquisa na área de Macroeconomia, com ênfase nos temas de Crescimento Econômico e Distribuição de Renda.

MARCO ANTONIO MARTINS DA ROCHA
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), é mestre e doutor em Teoria Econômica pela Universidade Estadual de Campinas. Concentra seus estudos na área de Economia Industrial e História do Pensamento Econômico. Foi coordenador e atualmente atua como pesquisador do Núcleo de Economia Industrial e Tecnológica (NEIT - IE/Unicamp) e professor do Instituto de Economia da Unicamp.

MARCOS JOSÉ BARBIERI FERREIRA
Professor de Economia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) na Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), desde 2011, nas áreas de Economia Internacional, Economia Brasileira e Organização Industrial. Doutor em Teoria Econômica pelo Instituto de Economia (IE) da UNICAMP (2009) com tese voltada para o estudo da Dinâmica da Inovação na Indústria Aeroespacial. Mestre em Economia (1995) e bacharel em Ciências Econômicas (1990), ambos pelo IE/UNICAMP. Especialista em Organização Industrial pelo Institut Aéronautic et Spatial (IAS), em Toulouse, França (2010). Desde 2004 vem atuando como especialista nas indústrias aeroespaciais e de defesa, tendo participado e coordenado diversas pesquisas para instituições públicas e privadas, dentre as quais: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Ministério da Defesa (MD), Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e Confederação Nacional da Indústria (CNI). Cabe destacar que foi o pesquisador responsável pela elaboração dos estudos referentes às Missões Técnicas Aeroespaciais realizadas pelo governo brasileiro na Suécia (2009), França (2010), EUA (2011) e Canadá (2013). Coordenador do Laboratório de Estudos das Indústrias Aeroespaciais e de Defesa (LabA&D) da UNICAMP, desde sua constituição em 2013, e pesquisador associado do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT), também da UNICAMP, desde 1997. Membro da Ordem do Mérito Militar, no grau de Cavaleiro, através de título concedido pela Presidência da República Federativa do Brasil, no ano de 2012.

MARIANO FRANCISCO LAPLANE
Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Hebraica de Jerusalém (1980), mestrado em Planejamento Urbano - Universidade da Califórnia em Berkeley (1982) e doutorado em Economia na Universidade Estadual de Campinas - Unicamp (1992). Foi diretor do Instituto de Economia da Unicamp (2007 a 2011) e presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos em Ciência, Tecnologia e Inovação (CGEE), em Brasília (2011 a 2017). Atualmente é Diretor Executivo de Relações Internacionais da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp. Foco de pesquisa em Desenvolvimento industrial, atuando sobre os seguintes temas: competitividade industrial, política industrial e de inovação, integração regional e investimento direto estrangeiro.

MIGUEL JUAN BACIC
Possui graduação em Contador Público - Universidad Nacional Del Sur (1976), mestrado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1990) e doutorado em Administración - Universidad Nacional Del Sur (1998). É Livre Docente em Economia (área Economia de Empresas) pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atualmente é professor MS 6 (professor titular) da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência nas áreas de Administração e Economia de Empresas, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de custos, estratégia empresarial, gestão da qualidade, economia das pequenas empresas, políticas de desenvolvimento local, empreendedorismo e economia solidária. Professor Titular do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

PAULO HENRIQUE ASSIS FEITOSA
Graduado em Ciências Econômicas (2006) e Mestre em Economia (2010) pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES; Doutor em Teoria Econômica (2017) pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Atualmente é Professor Doutor (MS-3, RDIDP) do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo - USP. É Editor Associado das revistas Innovation & Management Review e Podium Sport, Leisure and Tourism Review. Foi bolsista de Pós-Doutorado da FAPESP no Departamento de Política Científica e Tecnológica - DPCT/UNICAMP (2018) e pesquisador visitante no Science Policy Research Unit - SPRU na Universidade de Sussex, Reino Unido (2015-2016). Tem experiência na área de Economia Industrial e da Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologia, Inovação, Indústria, Desenvolvimento e Economia do Turismo.

PAULO SÉRGIO FRACALANZA
Livre Docente do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Diretor do Instituto de Economia da Unicamp entre 2015 e 2019, Coordenador Geral da Pós-Graduação entre 2011 e 2015 e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência Econômica entre 2008 e 2011. Coordenador da Graduação do Curso de Economia das Faculdades de Campinas (FACAMP), entre 2006 e 2008. Pesquisador do Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT) e colaborador do Centro de Estudos Sindicais e do Trabalho (CESIT) e do Grupo de Pesquisa em SocioEcoEconomia (FEA/UInicamp).No Instituto de Economia leciona na graduação e na pós-graduação nas disciplinas de Teoria Econômica. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Industrial, Economia do Trabalho e Políticas Públicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Redução do Tempo de Trabalho, Economia da Inovação e Abordagem Evolucionária, Economia Política Contemporânea e Transições para a Sustentabilidade. Possui Bacharelado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1991), Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1993), Mestrado em Economia pela Universidade de São Paulo (1995), Doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2001), com Estágio Doutoral na Université Louis Pasteur em Strasbourg, França (1997 - 1998). Em 2008, participou do Entrepreneurship Research Conference na Babson College (MA - EUA) e em 2006, do CAPORDE (Cambridge Advanced Programme on Rethinking the Development Economics) na University of Cambridge, UK. Atualmente preside a Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Economia (Ange).

RENATO DE CASTRO GARCIA
É Economista, graduado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1991), Mestre (1996) e Doutor (2001) em Economia pela Universidade Estadual de Campinas. Foi Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo de 2002 a 2014. Atualmente é Professor Associado do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, em regime de dedicação exclusiva (MS5.1; RDIDP). É editor-adjunto da Revista Brasileira de Inovação e coordena um projeto de pesquisa, com apoio da Fapesp, sobre o tema “Geografia da Inovação”. Seus trabalhos de pesquisa estão inseridos na área de Economia, com ênfase em Economia Industrial e da Tecnologia, atuando principalmente em temas como geografia da inovação, sistemas locais de produção e aglomerações de empresas, interações universidade-empresa, indústria brasileira, política industrial, estratégias empresariais e metodologia de análise regional.

ROBERTO ALEXANDRE ZANCHETTA BORGHI
Economista e Professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Doutor pela Universidade de Cambridge, Reino Unido. Mestre e Bacharel pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil. Possui larga experiência nas áreas de Economia Industrial, Economia Internacional e Macroeconomia, com ênfase em Brasil e China, desenvolvimento econômico e inserção externa, estudos setoriais e análises de insumo-produto. Possui diversos artigos publicados em revistas especializadas nacionais e internacionais, além de capítulos de livros e artigos de opinião. Participa regularmente de conferências no Brasil e no exterior.

ROSANA ICASSATTI CORAZZA
Professora Doutora MS3.2 do Instituto de Geociências, atuando na graduação (cursos de Geografia e Geologia) e na pós-graduação (Programa de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológica - strictu sensu - e no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo Científico - lato sensu). Economista, mestre e doutora em Política Científica e Tecnológica pela UNICAMP. Estágio de doutorado no Bureau d’Économie Théorique et Appliquée (BETA, Université Louis Pasteur/Université de Strasbourg (França, 1997-98). Atuou como consultora junto a organizações internacionais (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD e Banco Mundial) e a organismos governamentais no Brasil. Experiência em pesquisa em planejamento e gestão da pesquisa pública (Laboratório de Estudos sobre Organização da Pesquisa e Inovação - GEOPI/DPCT/Unicamp, 1995-2001 e 2009-2010) e em Economia Industrial, da Inovação e do Meio Ambiente (NEIT/IE-Unicamp, 2006-2007 e 2013-2014). Membro da Comissão de Graduação e da Comissão de Biblioteca do IG/Unicamp. Membro da Comissão Assessora do Observatório de Direitos Humanos da Unicamp. Assessora ad hoc na avaliação de projetos: FAPESP (São Paulo), FACEPE (Pernambuco) e FAEPEX (Unicamp, SP) e no apoio a decisões editoriais de periódicos científicos de seletiva política editorial. Pesquisadora colaboradora do Laboratório de Estudos sobre Mudança Tecnológica, Energia e Meio Ambiente (LABIMEM- IG/Unicamp) e vice-coordenadora do Laboratório de Tecnologias e Transformações Sociais (LABTTS - G/Unicamp). “Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente” tem sido eixo transversal em atividades ensino, pesquisa e orientações em temáticas muito variadas (Mudanças Climáticas, Energia, Mineração, Biodiversidade, Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos), em diálogo com aportes teórico-conceituais que incluem a Governança Ambiental e dos Comuns, os Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia, a Economia da Inovação, a Ecologia Política e a Economia Política Internacional.

ROSÂNGELA BALLINI
Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal de São Carlos (1994), mestrado em Ciências, área de concentração Ciências da Computação e Matemática Computacional, pela Universidade de São Paulo (1996) e doutorado em Engenharia Elétrica, área de concentração Automação, pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é Professora Associada no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Tem interesse em Métodos e Modelos Matemáticos e Econométricos, particularmente nos tópicos: análise e previsão de séries temporais, sistemas fuzzy, redes neurais, redes neuro-fuzzy, modelos dinâmicos, modelos de simulação.

WILSON SUZIGAN
Economista, graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1965), mestrado pela Escola de Pós-Graduação em Economia-FGV/Rio (1968) e doutorado pela Universidade de Londres (1984). Foi professor do Instituto de Economia/Unicamp (1985-2004) e do Departamento de Economia da PUC-Rio (1967-1980). Atuou como economista no Instituto Brasileiro de Economia/FGV-Rio (1967-1971) e técnico em planejamento e pesquisa no IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (1971-1984). Atualmente é Professor Colaborador do Departamento de Política Científica e Tecnológica, Instituto de Geociências/Unicamp, editor da Revista Brasileira de Inovação e editor associado da Revista de Economia Política. Suas áreas de interesse em pesquisa abrangem: economia da inovação, política científica e tecnológica, política industrial, desenvolvimento industrial, sistemas locais de produção e inovação, e história econômica do Brasil.