Capa do livro: HISTÓRIA, TRABALHO E CIDADANIA NA AMAZÔNIA

HISTÓRIA, TRABALHO E CIDADANIA NA AMAZÔNIA

Autores: César Augusto Bubolz Queirós - Wanderlene de Freitas Souza Barros (Orgs.)

livro impresso
de R$ 62,00 por
livro digital
de R$ 62,00 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Em um momento no qual, em virtude de um vertiginoso crescimento dos desmatamentos e dos incêndios na floresta, a Amazônia brasileira emerge de forma tão avassaladora nos noticiários, analisar criticamente a região a partir de uma perspectiva histórica e historiográfica é fundamental para conhecermos – e reconhecermos – os dilemas e os desafios enfrentados na atualidade. Nesse sentido, a presente obra propõe a análise da Amazônia a partir de duas categorias analíticas fundamentais: Trabalho e Cidadania. Este livro reúne doze artigos de pesquisadores de quatro estados da região Norte (Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima) que, a partir de aportes teóricos e metodológicos diversos, buscam problematizar questões de grande impacto para a história da região. A obra é a primeira tentativa de sistematização dos resultados de esforços intelectuais – individuais e coletivos – concentrados em torno do Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Ditadura (LETRAD).

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-3927-2
DOI: 10.24824/978854443927.2
Ano de edição: 2019
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 222
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

HISTÓRIA, TRABALHO E CIDADANIA NA AMAZÔNIA

Autores

WANDERLENE DE FREITAS SOUZA BARROS
O Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Ditadura (LETRAD) foi criado no âmbito do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), a partir da necessidade de aglutinar e de promover o diálogo entre os diversos pesquisadores que vinham realizando atividades tanto na graduação quanto na Pós-Graduação. O LETRAD desenvolve três linhas de pesquisa: Trabalho e trabalhadores no pós-30; Trabalhismo e populismo no Brasil e Ditadura; autoritarismo e repressão no Brasil e na América Latina. Em um contexto político como o atual, quando observamos velhos esqueletos saindo dos armários, torna-se ainda mais necessária a sistemática reflexão sobre autoritarismo, política e ditadura.

AMAURY OLIVEIRA PIO JUNIOR
Mestre em História Social pela UFAM e Graduado em História pela UNICENTRO/Pr. Atua na área de pesquisa sobre a política e o sindicalismo amazonense na década de 1930, resultando em obras como “Uma Viagem pela História do Amazonas” (2016) e mais recentemente a colaboração em um capítulo do livro “Trajetórias Políticas na Amazônia Republicana” (2019).

CARLA MONTEIRO DE SOUZA
Doutora em História pela PUCRS. Realizou estágio pós-doutoral na Universidade de Lisboa, junto ao Instituto de Geografia e Ordenamento Territorial – IGOT/UL. É professora associada da Universidade Federal de Roraima (UFRR), atuando no Curso de História e no Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Fronteiras (PPGSOF).

CÁTIA FRANCIELE SANFELICE DE PAULA
Doutora em História Social pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) (2018), mestra em História, na Linha de Trabalho e Movimentos Sociais, pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) (2012), especialista em História, Ensino e Pesquisa (2009) e graduada em História (2006) pela mesma instituição. Desde 2013, é professora de Teoria e Filosofia da História na Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Atualmente é professora Adjunta do Departamento de Ciências da Educação, Campus de Ariquemes. É líder do Grupo de Pesquisa Trabalho, História e Memória nas relações entre Campo e Cidade em Rondônia e autora do livro “Trabalhadores e a transformação das relações capitalistas em Rolim de Moura/RO (1970?2018)” publicado em 2019 pela Editora Appris. Tem experiência nos seguintes temas: ensino de História, história e memória, movimentos sociais, campo e cidade, atingidos por barragens, migração, cultura e relações de trabalho e de trabalhadores.

CÉSAR AUGUSTO BUBOLZ QUEIRÓS
Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor Adjunto da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), atuando no Departamento de História e no Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) daquela universidade, além de atuar como professor do Programa de Pós-Graduação em História da UNIFAP. Foi Coordenador do GT Mundos do Trabalho (2014?2016). É líder do Centro de Estudos sobre Trabalho e Ditadura (CNPq) e Coordenador do Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Ditadura (UFAM). Atualmente, é presidente da seção estadual da Associação Nacional de História no Amazonas (2018/2020). Tem pesquisas no campo da História Social do Trabalho e História Política, com ênfase nos estudos sobre o golpe de 1964 e a Ditadura Militar no Amazonas.

DAVI MONTEIRO ABREU
Licenciado em Pedagogia pelo Centro Universitário do Norte (UNINORTE); Professor da Secretaria Municipal de Educação (SEMED); Pós-graduando em História Social pelo Programa de Pós-Graduação em História (PPGH-UFAM); Membro do Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Ditadura (LETRAD).

KÍVIA MIRRANA DE SOUZA PEREIRA
Licenciada em História pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Discente do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) com o projeto “As elites se divertem: Sociabilidades e Identidades nos Clubes Recreativos em Manaus (1880?1916)”. Bolsista CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

MARCO ANTÔNIO DOMINGUES TEIXEIRA
Graduou-se em História pela Universidade Federal do Pará, em 1982. Especializou-se em História do Brasil pela PUC/MG, em 1985. Cursou o mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco, obtendo título de mestre em 1997. Em 2004, concluiu o doutorado em Ciências do Desenvolvimento Socioambiental pela Universidade Federal do Pará. É professor do Departamento de História da Universidade Federal de Rondônia/UNIR, desde 1984. É professor do Mestrado em Direitos Humanos e Exercício da Justiça/DHJUS e do Mestrado em História e Estudos Culturais/MHEC. Tem experiência na área de História e Socioambientalismo, com ênfase em Amazônia, atuando principalmente nos seguintes temas: Remanescentes de Quilombo do Vale do Guaporé, Populações Afro-Amazônicas, Populações Indígenas, Cidadania, Diversidade Etno-Racial Ações Afirmativas, Religiosidade, cultos Afro-Amazônicos, Gênero e Sexualidade, História Regional, Identidade Social, Cultura e Televisão, Cultura Popular, Estado e Violência., Impactos Socioambientais de Grandes Empreendimentos em áreas de Populações Periféricas e/ou Tradicionais.

MARINEIDE DA SILVA RIBEIRO
Mestra em História Social pela Universidade Federal do Amazonas, graduada em História pelo Centro Universitário do Norte, tem experiência como docente nos ensinos fundamental, médio e superior. Atua nas áreas de pesquisas que abordam migração, trabalho e cidade, e faz parte do grupo de pesquisa Mundos do Trabalho-AM.

MOISÉS DIAS DE ARAÚJO
O professor e pesquisador Moisés Dias de Araújo possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM – e Mestrado em História Social pela mesma Universidade. Atualmente ocupa o cargo de professor efetivo na Secretaria Municipal de Educação – SEMED – o e na Secretaria de Estado de Educação – SEDUC/AM. Possui experiência na área de História, com ênfase em História do Amazonas e em História dos Movimentos Sociais no Amazonas, aonde vem realizando estudos sobre o Trabalho e trabalhadores nacionais e estrangeiros na cidade, durante os períodos da Primeira e da Segunda Guerra Mundiais, assim como o estudo de História e Meio Ambiente da Amazônia e Trabalho e Ditadura no Amazonas.

RENNERYS SIQUEIRA SILVA
Graduado em História e Especialista em História da Amazônia pela Universidade Estadual de Roraima (UERR). Atualmente é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Fronteiras (PPFGSOF/UFRR).

SERGIO CARVALHO DE LIMA
Possui graduação em História pela Universidade Federal do Amazonas (1997?2001); especialização em Tecnologias em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2009?2010); Mestrado em História Social pela Universidade Federal do Amazonas (2015?2017). Atualmente é professor da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC/AM) e da Secretaria Municipal de Educação (SEMED/Manaus). Tem experiência na área de História com ênfase na história do trabalho e história do Amazonas.

THIAGO BRONI DE MESQUITA
Professor da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará e do Mestrado Profissional em Ensino de História/UFPA. Possui doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal do Pará, atualmente coordena projetos de pesquisa na área de Ensino de História da Ditadura Militar no Brasil e na América Latina, além de projetos de ensino ligados a área de tecnologias da informação e suas interfaces com a História Pública. Possui experiência de pesquisa nas áreas de História Política, História Agrária, História da Amazônia, Ensino de História, Teoria Política, Teoria Democrática, Instituições Políticas e Políticas Públicas.

THIAGO ROCHA DE QUEIROZ
Doutorando em História Social pela Universidade Federal do Amazonas. Possui Mestrado e graduação na área pela mesma instituição. Desenvolve pesquisas em torno do contexto da Ditadura Militar em Manaus com ênfase no uso de fontes humorísticas, tais como charges, caricaturas e afins.

WANDERLENE DE FREITAS SOUZA BARROS
Graduou-se em História pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), em 2015. É mestra em História Social pela Universidade Federal do Amazonas, 2018. Secretária do GT Mundos do Trabalho – seção Amazonas 2017/2018. Tesoureira da diretoria da ANPUH/AM, gestão 2019/2020. Desenvolve pesquisas voltadas para o trabalho, cidade e cotidiano com ênfase em leis trabalhistas e de justiça, trabalhadores formais e informais, e suas relações.