Capa do livro: VIOLÊNCIA, COTIDIANO E HISTÓRIA MÍNIMA:  <br>o sujeito contemporâneo e a narrativa da Geração Granta

VIOLÊNCIA, COTIDIANO E HISTÓRIA MÍNIMA:
o sujeito contemporâneo e a narrativa da Geração Granta

Autores: Rosane Maria Cardoso - Rafael Eisinger Guimarães - Fabiana Quatrin Piccinin - Luana Teixeira Porto (Organizadores)

O livro analisa a narrativa contemporânea advinda das edições brasileira e espanhola da renomada Revista Granta. Pesquisadores, escritores e, inclusive, editores da Revista problematizam o papel do periódico na legitimação de novos talentos literários, a “Geração Granta”, e refletem sobre esse polissistema literário e suas relações com o cânone.

Impresso
de R$ 63,48 por
R$ 53,88
Digital
de R$ 63,48 por
R$ 44,44

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2534-3
DOI: 10.24824/978854442534.3
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 202
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

VIOLÊNCIA, COTIDIANO E HISTÓRIA MÍNIMA:  <br>o sujeito contemporâneo e a narrativa da Geração Granta
ANDERSON BASTOS MARTINS
Mestre em Teoria Literária pela Universidade Federal de Juiz de Fora e doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal de Belo Horizonte. É professor de Língua Inglesa e Literaturas em Inglês no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora. Interesses de pesquisa em Literatura Comparada e Teoria Literária, com enfoques sobre Literatura Mundial, Literatura Contemporânea e Globalização, Pós-Colonialidade e Cosmopolitismo.

IVETE WALTY
Ivete Lara Camargos Walty é doutora em Literatura Comparada e Teoria Literária pela USP, com pós-doutourado na Universidade de Ottawa, Canadá. É professora do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUC Minas e professora aposentada da Faculdade de Letras da UFMG. Pesquisadora nível 1 D do CNPq, é organizadora do livro Literatura marginal, sua crítica (Hucitec, no prelo); e autora de A rua da literatura e a literatura da rua (Editora da UFMG, 2014), Corpus rasurado: exclusão e resistência na narrativa urbana (Autêntica, 2005) e O que é ficção (Brasiliense, 1985).

LILIA BARANSKI FERES
Licenciada em Letras pela UniRitter e Mestre em Letras pela UniRitter com bolsa integral Fapergs/Capes. É doutoranda em Letras pelo UniRitter (CAPES). Atuou como bolsista de Iniciação Científica no projeto Leitor, tradutor, autor: a tradução como leitura e exercício autoral. Atualmente, trabalha como tradutora e supervisora de língua inglesa no Colégio Marista Champagnat. Realiza pesquisa relacionada aos Estudos da Tradução. Trabalhou como professora de inglês no Laureate English Program (LEP) do UniRitter e em escolas de idiomas como o Cultura Inglesa, o CCAA, entre outras.

LIZANDRO CARLOS CALEGARI
Doutor em Letras (Estudos Literários) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS). Tem artigos publicados em periódicos especializados no Brasil e no exterior. Desenvolveu pesquisas sobre a lírica de Carlos Drummond de Andrade e, mais recentemente, tem feito estudos sobre a ficção brasileira pós-64, literaturas marginais e teorias do trauma. Coorganizou as seguintes obras: Literatura e outras linguagens (EdURI, 2014), Ensaios (in)conjuntos (Paco Editorial, 2013), Excluídos e marginalizados na literatura: uma estética dos oprimidos (Ed. UFSM, 2013), Violência e memória na produção cultural: o autoritarismo na Alemanha e no Brasil (Ed. PPGL-UFSM, 2012) e Estética e política na produção cultural: as memórias da repressão (Ed. UFSM, 2011). De 2009 a 2014, foi professor titular de Literatura da Graduação e do PPGL da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI-FW), assumindo os cargos de subcoordenador e de coordenador do Mestrado em Letras. Atualmente, é professor de Língua e Literatura no Colégio Politécnico da UFSM e no Programa de Pós-Graduação em Letras (Mestrado e Doutorado) da mesma instituição.

LUANA TEIXEIRA PORTO
Doutora em Letras (Literatura comparada) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Possui artigos publicados em periódicos especializados no Brasil e no exterior, abrangendo a literatura brasileira contemporânea. Desenvolveu pesquisas sobre a narrativa curta de Caio Fernando Abreu e a representação da ditadura militar na literatura brasileira. Atualmente, dedica-se a investigar narrativas literárias, cinematográficas e televisivas brasileiras que tratam direta ou indiretamente da violência em pesquisa voltado ao comparatismo. Coorganizou as seguintes obras: Literatura e outras linguagens (EdURI, 2014), Pensando as Américas: narrativas e violência (Catarse, 2016), Novos olhares: leitura, ensino e mundo digital (EdURI, 2017). Colaborou com capítulos para livros, como Excluídos e marginalizados na literatura: uma estética dos oprimidos (Ed. UFSM, 2013), Voz, memória e literatura: narrativas sobre a violência na América Latina (Appris, 2015), Ave, Rosa! Leituras, registros, remates... (7Letras, 2016) e Cultura e identidade: subjetividades e minorias sociais (FACOS-UFSM, 2018). É professora na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, campus de Frederico Westphalen, onde atua como docente pesquisadora na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Letras, nível de Mestrado. É editora da revista Literatura em Debate e publicou livro sobre o conto de Caio Fernando Abreu, intitulado Morangos mofados: crítica social e melancolia, pela Ed. UFRGS.

JORGE IVÁN LONDOÑO PARRA
Graduado em Educação pela Universidad de Tolima, Colômbia. Mestre em Literatura pelo Instituto Caro y Cuervo e mestre em Filosofia pela Universidad Tomás de Aquino/USTA. Especialista em Psicolinguística pela Universidad Distrital e Especialista em Crítica literaria pela Universidad del Rosario. Desde 2004, é articulista do jornal El Tiempo y colunista da revista Lecturas Dominicales. Atualmente, escreve para o blog De libros y autores. http://blogs.eltiempo.com/de-libros-y-autores/2018/05/24/legado-literario-gigante-llamado-philip-roth/. Professor de produção de textos na Universidad Distrital e na Facultad de filosofía y lengua castellana, e no curso de mestrado em estrudos literários da USTA, onde também dirige a pesquisa “Narradoras” e investiga os escritores da revista Granta em espanhol. Desde 2013, é assesor pedagógico do Colegio Nueva Inglaterra. Autor do livro Cien remedios para la soledad e do romance Crónica contra el olvido.

RAFAEL EISINGER GUIMARÃES
Doutor em Literatura Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É professor do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Santa Cruz (UNISC). Suas pesquisas concentram-se nas áreas de literatura brasileira, literatura platina e literatura comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura gauchesca, estudos pós-coloniais, crítica feminista e estudos de gêneros (gender studies).

RICARDO LÍSIAS
Autor dos romances Cobertor de estrelas, Duas praças, O livro dos mandarins, O céu dos suicidas, Divórcio e A vista particular. Ganhou os prêmios Portugal Telecom de Literatura Brasileira e o de Melhor Romancista da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). É autor do folhetim publicado por meio de uma série de ebooks chamado “Delegado Tobias”. Publicou também o livro-objeto “Inquérito Policial – Família Tobias”. É autor da peça-performance Vou,com meu advogado, depor sobre o delegado Tobias, em que atuou também como um dos atores. Foi selecionado como um dos Melhores jovens escritores brasileiros pela revista inglesa Granta. Esteve como escritor e professor visitante na Universidade de Viena, na University College London, na Universidade de Rosario, na Universidade de Princeton e na Universidade da Pennsylvania. É mestre em Teoria e História Literária pela Unicamp e doutor em Literatura Brasileira pela USP, com estágio de pós-doutorado na Unifesp. É o criador do “Eduardo Cunha (pseudônimo)”, autor do romance Diário da cadeia.

ROSANE MARIA CARDOSO
Doutora em Teoria da Literatura pela Universidade Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Pós-doutorado na Universidad de Granada, Espanha. Professora de Letras na Universidade do Vale do Taquari/UNIVATES e na Universidade de Santa Cruz do Sul/UNISC. Membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Letras/UNISC: Mestrado e doutorado em Leitura: estudos literários e midiáticos. Atua nas áreas de: literatura espanhola e hispano-americana e literatura infantil e juvenil. Coordena pesquisas sobre violência e memória na narrativa hispano-americana contemporânea, contemplando principalmente a literatura peruana e colombiana, e também sobre literatura infantil e juvenil. Publicou Princesas que viram monstros: o corpo feminino no conto de fadas (APPRIS, 2014), Voz, memória e literatura: narrativas sobre a violência na América Latina (APPRIS, 2014), além de vários artigos sobre os temas de pesquisa.

VALÉRIA SILVEIRA BRISOLARA
Bacharelado em Letras com ênfase em tradução pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Mestrado em Letras e Doutorado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É Tradutora Pública e Intérprete Comercial do Estado do Rio Grande do Sul (JUCERGS-RS) e membro da Associação de Tradutores Juramentados do Rio Grande do Sul (ASTRAJUR-RS). Tem experiência em Língua Inglesa, Literaturas de Língua Inglesa e Tradução de Língua Inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: tradução, autoria e literatura contemporânea. Foi professora titular no Centro Universitário Ritter dos Reis, atuando como docente e pesquisadora no curso de Letras e como docente permanente no Mestrado e Doutorado em Letras (2011-2017). É membro da Associação Brasileira dos Professores Universitários de Inglês (ABRAPUI) e da Associação Brasileira de Linguística Aplicada (ALAB). Atualmente atua como tradutora e professora do Curso de especialização em Estudos em Tradução da PUCRS.

VALERIE MILES
Escritora, editora, tradutora e docente, nascida nos Estados Unidos e radicada em Barcelona. Cofundadora da versão em espanhol da revista Granta, em 2003, que continua coordenando na Galaxia Gutenberg. Colabora com The New York Times, El País, La Nación, Paris Review, Brick e Lithub. Traduziu para o inglês as obras de Enrique Vila Matas, Fernando Aramburu, Milena Busquets, Marina Pérezagua e Rafael Chirbes. Foi curadora da exposição «Archivo Bolaño», ocorrida no Centro de Cultura Contemporánea de Barcelona (CCCB), em 2013. Também é autora do livro Mil bosques en una bellota, publicado em inglês com o título A thousand forests in one acorn, em 2014.

VINÍCIUS PAULO CORRÊA ALMEIDA
Mestrando em Letras (Literatura e Memória Cultural) pela Universidade Federal de São João del-Rei e Graduado em Letras pela mesma instituição. Concentra seu trabalho nos estudos de Literatura e Cosmopolitismo, especificamente na produção brasileira contemporânea – englobando a prosa, a poesia e os espaços deslizantes que se desdobram dessa relação.