Capa do livro: A PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES DO ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL DO UTINGA (PEUT) Ananindeua-Pará

A PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES DO ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL DO UTINGA (PEUT) Ananindeua-Pará

Autores: Tadeu Henrique Pinheiro Santos - Cyro de Barros Rezende Filho

livro impresso
de R$ 58,19 por
livro digital
de R$ 58,19 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

     A série de livros intitulada Questões Ambientais na Amazônia foi organizada pelos Professores Doutores Cyro de Barros Rezende Filho e Maria Dolores Alves Cocco, do Programa de Mestrado em Ciências Ambientais da Universidade de Taubaté (SP).

 

     Reúne as mais significativas dissertações de mestrado defendidas junto ao Programa desde 2010, que versam sobre vários aspectos da temática ambiental na região, tais como percepção ambiental, pesca artesanal, questão indígena, comunidades quilombolas, agricultura familiar, turismo sustentável, entre outros.

 

O segundo volume da série analisa a percepção ambiental dos moradores que ocupam o entorno do Parque Estadual do Utinga (PEUT), localizado na Região Metropolitana de Belém, onde se encontram os Mananciais do Utinga (Lago Bolonha e Lago Água Preta), que abastecem com água potável a cidade de Belém e 70% da Região Metropolitana de Belém (RMB).

A ocupação da região data de bem antes da criação do Parque, viabilizada pela construção da Estrada de Ferro Belém-Bragança que passava a 500 metros das principais nascentes de mananciais, e posteriormente pelo traçado da Rodovia Federal BR-316, que facilitou o acesso à área, estimulando a ocupação inicial desordenada nas proximidades do atual PEUT.

          Devido a precária fiscalização nessa área, mesmo depois da criação do PEUT em 1993, surgiram várias zonas de ocupação irregular dentro dos limites do Parque Estadual do Utinga (PEUT). O problema das invasões foi um dos motivos para a criação do Batalhão de Policia Ambiental, que tem suas instalações físicas dentro da área do mesmo, especificamente para a segurança  e manutenção do PEUT. A criação do PEUT desencadeou uma questão socioambiental na área, pois as ocupações que já existiam antes de sua institucionalização continuaram em grau acentuado, resultando em diversos problemas ao meio ambiente provocados pela ação antrópica dos moradores do seu entorno.

                               O foco desse estudo é avaliar a percepção ambiental que os moradores do entorno do PEUT possuem, através da aplicação de questionários pré-elaborados e da análise de seus resultados, para se obter um parâmetro da relação deles com o meio ambiente, e de como eles convivem com a natureza que os cerca. Espera-se que motivados por ações nas quais eles sejam ouvidos e considerados como atores participantes do processo conservacionista, adotem uma atitude positiva.

        

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-8042-273-3
DOI: 10.24824/978858042273.3
Ano de edição: 2011
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 122
Formato do Livro: 14x21 cm
Número da edição:2

Sumário

A PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS MORADORES DO ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL DO UTINGA (PEUT) Ananindeua-Pará

Autores

Tadeu Henrique Pinheiro Santos

 

Natural de Vigia de Nazaré, Pará é graduado em História pela UFPA, com Especialização em Prática de Ensino pela Facinter de Curitiba-PR e Mestrado em Ciências Ambiental pela Universidade de Taubaté (Unitau-SP) é professor efetivo  da Escola Tenente Rêgo Barros (Aeronáutica), da Rede Estadual em Belém do Pará e com larga experiência pedagógica no ensino superior de algumas faculdades da Grande Belém.

 

 

 

Cyro de Barros Rezende Filho

 

É doutor em História Social pela USP, coordenador do curso de Pós-Graduação Política e Sociedade no Brasil Contemporâneo, e coordenador da linha de pesquisa Transformação e Construção do Ambiente Humano do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, ambos da Universidade de Taubaté