Capa do livro: PENSANDO AS AMÉRICAS DESDE O CARIBE

PENSANDO AS AMÉRICAS DESDE O CARIBE

Autores: Simone Rodrigues Pinto - Rebecca Forattini Igreja (Org.)

livro digital
de R$ 0,00 por

Disponibilidade: 1 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Pensar as Américas desde o Caribe implica abrir a nossa perspectiva e ampliar  o nosso conhecimento não somente para outras realidades, como a vivenciada pelos países caribenhos, mas também para outras visões e interpretações sobre nós mesmos.  Incluir em nossos debates sobre as ciências sociais no Brasil a perspectiva de países caribenhos, especialmente no que diz respeito às formas de produção de conhecimento e de realização de estudos empíricos, é uma maneira de enrequicimento e de construção de um diálogo mais do que necessário para  renovação desse campo científico.
Abordar esse espaço de terras e ilhas chamado América Latina e Caribe, no entanto, exige abranger as diversas perspectivas com que costuma ser estudado.  O olhar interdisciplinar dos autores dessa coletânea procura dar conta da diversidade da região do Caribe, que apresenta uma história comum de domínio imperialista e de resistência constante, de condição periférica e de desenvolvimento desigual, de confluência de raças, etnias e culturas, que se misturam para formar esse grande caleidoscópio chamado América Latina.
Por isso, pensar as Américas a partir do Caribe é uma proposta de buscar nas características históricas, geográficas e estratégicas de uma região que sempre foi objeto de disputa pelas potencias hegemônicas, desde sua “descoberta”. Os textos partem de problemáticas, de teorias e categorias atuais e históricas sobre geopolítica, raça, etnia, gênero, migrações para trazer para as ciências sociais brasileiras algo novo, apresentado por autores nacionais e estrangeiros, que têm uma longa trajetória de estudos sobre o Caribe e a América Latina. Nas palavras do grande José Martí em sua obra sobre Nuestra América, “os povos que não se conhecem têm que se apressarem para se conhecerem, como os que vão lutar juntos.”

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2466-7
DOI: 10.24824/978854442466.7
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 290
Formato do Livro: 14x21 cm
Número da edição:1

Sumário

PENSANDO AS AMÉRICAS DESDE O CARIBE

Autores

SIMONE RODRIGUES PINTO
Professora associada da Universidade de Brasília, atuando junto ao Departamento de Estudos Latino-Americanos (ELA). Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1996), mestrado em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1998), doutorado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2004). Foi visiting scholar na Yale University/EUA (2002), com quem mantém intercâmbios de pesquisa e realizou estágio pós-doutoral no então Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas da Universidade de Brasilia. Atualmente é pesquisadora colaboradora da FLACSO República Dominicana e Co-gestora do Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra). Participa da Rede Latino-Americana de Justiça de Transição (RLAJT), é membro da CSA - Caribbean Studies Association e compõe o Grupo de Trabalho do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) sobre Pensamiento Crítico y Decolonizador Caribeño, coordena o Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas (Leijus) e participa do Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil (MeCACB), onde desenvolve pesquisas sobre teoria social, identidade e geopolítica na região do Caribe. Atualmente é editora chefe da Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas. Discute, como eixo de suas pesquisas, colonialidade, racismo e etnocentrismo nas Ciências Sociais e no Direito a partir dos estudos da memória, história e formações discursivas no direito e na política, com enfoque nas experiências latino-americanas e caribenhas.

REBECCA LEMOS IGREJA
Antropóloga, professora e coordenadora da Pós-Graduação do Departamento de Estudos Latino-Americanos - ELA/ Universidade de Brasília. Mestre em Antropologia pelo CIESAS/México (2000); doutora em Antropologia - /UnB (2005); Pós-doutora no CADIS/ EHESS/ França e INCT-INEAC, da UFF/Brasil. Professora da Universidade de Harvard, em Cambridge, EUA (2010-2011). Pesquisadora e professora visitante da FMSH, EHESS, INED (França) e CIESAS (México). Coordenadora do Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas - LEIJUS/ ELA/UnB. Coordenadora do Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil - MeCACB (CNPq/Brasil), Grupo associado ao LMI-MESO/IRD, coordenado por Odile Hoffmann. Membro fundador da Rede Empírica do Direito - REED (Brasil) e do Justice For Afrodescendants In Latin America Institute - OJALA (Florida International University [FIU]). Integra também o grupo de estudo internacional "Les statistiques ethniques" e o projeto "Identité et Altérité" apoiado pela Fondation Maison des Sciences de l’Homme - FMSH e o Institut national d’études démographiques- INED/França. Membro do International Research Group - Justice And Indigenous Peoples Rights (EHESS-França). Pesquisadora associada à Rede Latino Americana de Antropologia Jurídica - RELAJU e ao Centro de Estudios Mexicanos y Centroamericanos - CEMCA- México. Seus estudos concentram-se na discussão sobre categorias sociais, étnicas e raciais, discriminação e racismo, direitos coletivos no âmbito das políticas públicas e direitos; acesso à justiça e reformas judiciárias. Possui experiência com pesquisas no Brasil, México, França, Argélia e Estados Unidos

FELIX VALDÉS GARCIA
Graduado em Filosofia pela Universidade Estatal da Bielorrússia, Minsk. Mestre em Filosofia e graduado em Língua Russa por esta mesma universidade. Professor e investigador titular de Filosofia no Instituto de Filosofia de Havana. Doutor em Ciências Filosóficas. Se dedica ao estudo da filosofia cubana, caribenha e latino-americana. É chefe de redação e editor principal da Revista Cubana de Filosofia e da Biblioteca Virtual de Filosofia e Pensamento Cubanos. Coordenador do Grupo de Trabalho sobre Pensamento Crítico e descolonizador caribenho do Conselho Latinoamericano de Ciências Sociais (CLACSO).

JOSÉ MATOS ARÉVALOS
Doutor em Filosofia pelo Instituto de Filosofia de Havana. Graduado em Filosofia e Mestre em Filosofia pela Universidade Estatal da Bielorrússia, Minsk. Pesquisador e coordenador principal do grupo de estudos sobre o Pensamento Cubano no Instituto de Filosofia de Havana. Atualmente colabora com a Fundação Fernando Ortiz na publicação dos escritos inéditos deste autor.

EDDY TEJEDA
Mestre em Administração Internacional, estudou direito internacional e europeu nas Universidades de Paris I e Paris II. Pesquisador associado da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-República Dominicana e do Observatório Migrantes del Caribe. Autor de: Jovenes en el Mapa (FLACSO-2010).

SONIA RONCADOR
Doutora em Literatura Comparada pela Universidade de Nova York (1999). Autora dos livros A doméstica imaginária: literatura, testemunhos, e a invenção da empregada doméstica no Brasil (1889-1999) pela Editora da Universidade de Brasília, 2008 e Poéticas do empobrecimento: a escrita derradeira de Clarice Lispector pela Annablume, 2002.  Se dedica ao estudo da Literatura e cultura luso-brasileira; gênero e raça; questões de imigração, servidão doméstica e educação feminina; Estudos culturais brasileiros e transatlânticos.

ANA CATARINA ZEMA DE RESENDE
Doutora em História Social pela Universidade de Brasília (2014). Bacharelado (1994) e Mestrado (1996) em História pela Universidade de Brasília. Diplôme d'Etudes Approfondies en Histoire Sociale, des idées, des cultures et des religions pela Université Paris Nord/Sorbonne (1997). Pesquisadora Visitante na Université Libre de Bruxelles (2007/2008). Membro do Groupe Décolonial de Traduction. Pesquisadora Membro do Grupo de Estudos em Direitos Étnicos Moitará da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. Pesquisadora Membro do Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas - LEIJUS do Departamento de Estudos Latino-americanos da Universidade de Brasília. Pesquisadora membro do Grupo de Trabalho do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) sobre Pensamiento Crítico y Decolonizador Caribeño. Desenvolve pesquisa sobre direitos dos povos indígenas e pensamento crítico e decolonial latino-americano e caribenho.

CARLOS FEDERICO DOMÍNGUEZ AVILA
Possui graduação em História (1995), mestrado em Estudos Sociais e Políticos Latino-americanos (1999) e doutorado em História (2003). Também realizou estágios de pós-doutorado em Ciência Política (Ufpe-2013, e Ufg-2017), em Estudos Comparados sobre as Américas (Ceppac/Unb) e em Relações Internacionais (Uerj). Atualmente é docente e pesquisador integral do Mestrado em Ciência Política do Instituto Euro-Americano de Educação, Ciência e Tecnologia. Tem experiência na área de Estudos Políticos e Sociais Latino-americanos, Qualidade da Democracia, e Direitos Humanos, Cidadania e Violência. Membro do Conselho Editorial da CRV e da Global South Press.

LUÍS FELIPE PERDIGÃO DE CASTRO
Doutorando em Ciências Sociais - área de concentração de Estudos Comparados sobre as Américas, pela Universidade de Brasília (Departamento de Estudos Latino-Americanos/UnB). Advogado (OAB-DF). Integra os seguintes grupos de pesquisa no CNPq: Estudos Comparados de Sociologia Econômica; BICAS - Iniciativa BRICS de Estudos sobre Transformações Agrárias; LEIJUS: Acesso à justiça e direitos nas Américas e, ainda, o Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil (MeCACB), todos vinculados à Universidade de Brasília (UnB). Possui mestrado em Agronegócios pela Universidade de Brasília (2013). Graduado em Direito pela Universidade Federal de Ouro Preto (2010), onde atuou no Núcleo de Direitos Humanos (NDH/UFOP), em projetos de iniciação científica e extensão. Especialista em Direito Constitucional, pela UCAM-Prominas (2015-2016). Docente de instituições de ensino superior, sendo membro de Núcleo Docente Estruturante de cursos de Direito (2015-2017). Integra a equipe de edição do periódico ABYA-YALA (ISSN 2526-6675), dedicado ao tema do acesso à justiça e direitos nas Américas (2017). Ex-assessor de Juiz de Direito, da comarca de Luziânia/GO, com atuação na área cível, fazenda pública estadual, infância e juventude, além de assessoramento a junta eleitoral e turma recursal (2010-2015). Membro associado à Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER) e ao Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Direito (CONPEDI). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Agronegócio e Agricultura Familiar, bem como na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional, Administrativo e Agrário. Possui interesse nas temáticas jurídicas e sociológicas, em especial as voltadas à luta pela terra, terra e território, desenvolvimento, direitos humanos, direito de propriedade, construção social de mercados, Direitos e Justiças nas Américas.

MIQUELLY BARBOSA SILVA
Mestranda em Ciências Sociais, pela Universidade de Brasília (DELA/UnB). Mestranda em Ciência Política (Unieuro). Integra o Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil (MeCACB), vinculado ao Departamento de Estudos Latino-Americanos (ELA) da Universidade de Brasília (UnB). Desenvolve atividades junto à equipe do periódico Abya-yala: Revista sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas, no âmbito das atividades do Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre acesso à Justiça e direitos nas Américas - LEIJUS. É advogada (OAB-DF) e defensora pública no Centro de Assistência Judiciária de Novo Gama/GO. Atua em juizados especiais (cíveis e criminais), bem como Tribunais do Júri. Especialista em Direito Administrativo, pela Faculdade de Ciências de Wenceslau Braz (2014). Bacharel em Direito, pelas Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central - FACIPLAC (2010). Professora de Direito Tributário, Teoria Geral do Processo, Antropologia Jurídica e História do Direito, em instituição de ensino superior. Tem experiência na área de Direito Público, com ênfase em TGP, Direito Penal e Tributário. Possui interesse nas temáticas de pesquisa sobre: acesso à justiça e direitos na América Latina, direitos humanos, gênero, antropologia jurídica e história do direito.

GIANMARCO LOURES FERREIRA
É mestre em Direito, Estado e Constituição, pela Universidade de Brasília, com foco em Direito e Relações Raciais. Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Atua como Procurador de Estado em Minas Gerais.

MARIA DO CARMO REBOUÇAS DOS SANTOS
Professora Adjunta nas áreas de Direito Constitucional, Direito Administrativo e Propedêutica Jurídica da Universidade Federal do Sul da Bahia. Doutora em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional pelo Centro de Estudos Avançados e Multidisciplinares da Universidade de Brasília. Mestre em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional (CEAM/UnB). Especialista em Estado, Governo e Políticas Públicas pelo Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília. Especialista em Direitos Humanos pela Universidade do Estado da Bahia/Ministério Público da Bahia. Bacharel em Direito pela Universidade Católica do Salvador. Advogada inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil Seção Bahia desde 1994. Foi becária Romulo Gallegos e advogada especialista da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA em Washington, DC, Oficial de Programa e Consultora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Diretora de Cooperação Internacional da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Gerente de Articulação Institucional junto ao PNUD e à Secretaria de Governo da Presidência da República. Atuou, como advogada de direitos humanos, por longos anos no Brasil e internacionalmente nas áreas de promoção da igualdade racial e proteção aos direitos humanos. Foi condecorada pela Casa dos Representantes e do Senado do Estado de South Caroline dos EUA pela dedicação pessoal e profissional para a proteção dos direitos humanos particularmente no tema racial. Na Universidade de Brasília participou da gestão da Associação de Pós-Graduandos Ieda Delgado como diretora internacional. Politica e socialmente continua atuando em favor do reconhecimento étnico-racial, advogando pelo respeito à pluralidade religiosa e à inter-epistemicidade. A trajetória profissional também propiciou a especialização na área da cooperação internacional para o desenvolvimento, particularmente a cooperação Sul-Sul. Na pesquisa e docência atua nos campos de Desenvolvimento, Direito Internacional dos Direitos Humanos, Direito Público Internacional, Política Internacional, Políticas Públicas, Cooperação Sul-Sul, Estudos de Desenvolvimento sobre Guiné-Bissau e Estudos Étnico/Raciais, ministrando palestras e produzindo textos acadêmicos sobre os referidos temas. Participa da Rede Sul-Sul e é integrante do Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil - MECACB/CNPq do ELA/ICS/UnB.

MARINA BOLFARINE CAIXETA
Pesquisadora na área da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (CID), notadamente a Cooperação Sul-Sul em que se envolve o Brasil, a partir de uma abordagem interdisciplinar e crítica, com a contribuição das epistemologias Sul global. Tanto sua linha de pesquisa acadêmica, quanto sua prática profissional estão ligadas às temáticas: desenvolvimento social e sustentável; cooperação técnica internacional; gestão pública, monitoramento e avaliação. No campo acadêmico, epistemologias do Sul; política externa brasileira; teoria das relações internacionais; cooperação internacional e cooperação Sul-Sul do Brasil estão entre seus temas de pesquisa e de docência. Graduada em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Brasília (2005); especialista em desenvolvimento sustentável pelo Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS) da Universidade de Brasília (2009); mestre em cooperação internacional, pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (CEAM) da Universidade de Brasília (2014) e doutoranda em estudos comparados latino-americanos do Departamento de Estudos Latino-americanos (ELA/ICS) da Universidade de Brasília (início 2017). Bolsista do CNPq desde junho de 2017. Como profissional, trabalhou com gestão de projetos de Cooperação Técnica Sul-Sul no Ministério da Saúde do Brasil - Assessoria de Assuntos Internacionais/Divisão de Projetos de CSS e no Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crimes (UNODC), quando também representou a agência no Grupo Interagencial sobre a cooperação Sul-Sul do Sistema ONU no Brasil. Atualmente, se dedica a pesquisas e docência como coordenadora e professora do Curso de Pós-Graduação (especialização), ensino à distância, da Universidade Estácio de Sá e integra o grupo de pesquisadores do Centro de Estudos e Articulação da Cooperação Sul-Sul (ASUL).

NATHALIA VINCE ESGALHA FERNANDES
Doutoranda em Ciências Sociais pelo Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas (CEPPAC/ICS) da Universidade de Brasília (UnB) e Mestra pelo mesmo centro. Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Atualmente é Assistente de pesquisa no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). É membro do Grupo de Estudos Comparados México, Caribe, América Central e Brasil (MeCACB/CEPPAC) e do Grupo de Estudos e Extensão sobre Religiões Afrobrasileiras - Calundu. Tem experiência na área de Discriminação, Discriminação étnico-racial, Racismo Institucional, Migrações Internacionais, Políticas Públicas, Direitos Humanos, Acesso à Justiça e em criação e desenvolvimento de projetos na área de Cooperação Internacional.

RENATA DE MELO ROSA
Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1997), mestrado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999), doutorado em Antropologia da América Latina e Caribe pela Universidade de Brasília (2003) e pós-doutorado pelo Institute National de Adminstration, Géstion et Hautes Études Internationales da Universidade do Estado do Haiti (2007). Atualmente é professor A2 do Centro Universitário de Brasília, coordenadora do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário de Brasília, Editora da Revista Universitas - Relações Internacionais. Tem experiência na área de Antropologia, Sociologia e Relações Internacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: fluxos migratórios contemporâneos com recorte de gênero e raça, história política do Haiti; estados frágeis; insuficiência do Estado; participação das mulheres na política, análise de missões de estabilização civil da ONU.

RICARDO SEITENFUS
Possui graduação em Ciência Política - Universidade de Genebra (1973), graduação em Economia do Desenvolvimento - Universidade de Genebra (1973), graduação em História Moderna e Contemporânea - Universidade de Genebra (1978), e doutorado no Institut des Hautes Etudes Internationales (IHEI) - Universidade de Genebra (1980). Foi Professor Adjunto na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1981-89) e Professor titular na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Santa Maria (1993-2016). Fundador e Primeiro Secretário da Secretaria de Assuntos Internacionais do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Foi Vice Presidente da Comissão Jurídica Interamericana (CJI) da Organização dos Estados Americanos (OEA). Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Política Externa do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: Mercosul, relações internacionais, diplomacia brasileira, organizações internacionais, relações Brasil-Haiti e Direito Internacional Público. Aposentou-se em setembro de 2016.

SUSANA MARTÍNEZ MARTINEZ
Professora Assistente Efetiva do curso Línguas Estrangeiras Aplicadas ao Multilinguismo e à Sociedade da Informação (LEA/MSI) da Universidade de Brasília (UnB). Possui Mestrado em Gênero e Desenvolvimento pela Universidade Complutense de Madrid. Doutoranda em Estudos Comparados sobre as Américas no Departamento de Estudos Latino-americanos (ELA), na UnB. Pesquisadora do Laboratório de Estudos sobre Migrações Internacionais (LAEMI) e do MOBILANG, membro do Grupo de Estudos Interdisciplinares sobre Gênero (GRIEG) e Coordenadora do Projeto de Extensão Universitária Migrações e fronteiras no Distrito Federal: a integração linguística como garantia dos direitos humanos.

ANA LUIZA PESSATO PENA L. HYPPOLITE
Mestranda em Ciências Sociais no Departamento Estudos Latino-Americanos - ELA do Instituto de Ciência Sociais da Universidade de Brasília - UnB. Graduada em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília - UnB (2013). Desde 2015 é Conselheira Política na Embaixada da Dinamarca no Brasil. Possui interesse nas áreas de Ciência Política, Migração, Gênero e Política Internacional.

ZAIRE ZENIT DINZEY-FLORES
Professora Associada do Departamento de Estudos Latinos e Caribenhos e do Departamento de Sociologia na Rutgers University. Sua pesquisa enfoca a compreensão de como o espaço urbano medeia a vida comunitária e a raça, a classe e a desigualdade social. Seu interesse de pesquisa gira em torno de projetos residenciais e residenciais urbanos (habitação e vizinhança), as lógicas e políticas subjacentes que orientam o design, como o design é interpretado, usado e experimentado, e suas consequências para a desigualdade entre comunidades e moradores das cidades. Seu livro, Locked In, Locked Out: Gated Communities in a Puerto Rican City (University Of Pennsylvania Press: 2013), foi vencedor do Prêmio Robert E. Park de 2014 da Community and Urban Sociology Section (CUSS) da American Sociological Association e obteve Menção Honrosa do Prêmio de Livros Frank Bonilla de 2014 da Associação de Estudos Porto-Riquenhos.