Capa do livro: “CRUZANDO A LINHA”:<br>afrorreligiosidade, implementação da Lei 10.639/03 e as fronteiras da educação escolar – um estudo com professores da educação básica

“CRUZANDO A LINHA”:
afrorreligiosidade, implementação da Lei 10.639/03 e as fronteiras da educação escolar – um estudo com professores da educação básica

Autores: Ilka Joseane Pinheiro Oliveira - Carlos Jorge Paixão

Este estudo se constitui uma reflexão acerca do papel da afrorreligiosidade na educação como um tema capaz de repensar a noção de sujeito, educação e cultura nos espaços institucionais de ensino, promovendo o debate das diferenças étnico-raciais voltado a professores da educação básica, tendo como sujeitos desta pesquisa alunos da Turma de Especialização “Políticas de Igualdade Racial na Escola – III Turma  do Curso Saberes Africanos e Afro-Brasileiros na Amazônia: implementação da Lei 10.639/03”, promovida pela Universidade Federal do Pará – UFPA, a partir do Grupo de Estudos Afro-Amazônicos – GEAAM em parceria Grupo de Estudos Sociedade, Cultura e Educação – GESCED, nos anos de 2015 a 2016 . O lócus da pesquisa se deu no polo de Castanhal.
A pesquisa se desenvolveu a partir de uma perspectiva teórica dos estudos culturais com categorias que debatem cultura, identidade e poder, as quais ajudaram a pensar o campo religioso, e mais especificamente as tramas e significados produzidos pelos professores acerca das religiões afro-brasileiras a partir desta especialização. A pesquisa se insere em uma perspectiva pós-crítica em educação e é de cunho qualitativa. Das fontes escritas lançamos mão de relatórios da disciplina “Cultura e religiões afro-brasileiras” e das produções dos trabalhos finais apresentados pelos professores. As primeiras constatações dão conta de pensar educação e afrorreligiosidade, perpassa como uma fronteira da diferença na escola, que tem construções histórico-sociais específicas, dos lugares aceitos de onde deveriam os negros e os afrorreligiosos ocupar. A afrorreligiosidade não está colocada como um ponto específico e separado no texto das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-raciais ou da Lei 10.639/03 que se deva ensinar nas escolas. Mas num movimento dos processos culturais onde os símbolos são apropriados de várias formas, tomam corpo sobre as vivências pedagógicas dos professores que vão sendo marcadas e (re)marcadas pela Lei 10.639/03, surgindo em meio aos movimentos da política da diferença. Os processos formativos junto a professores da educação básica performatiza os sujeitos, (re)colocando as subjetivações, os corpos, as experiências culturais nas instituições escolares.

Impresso
de R$ 45,60 por
R$ 39,60
Digital
de R$ 45,60 por
R$ 31,92

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2390-5
DOI: 10.24824/978854442390.5
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 130
Formato do Livro: 14x21 cm
Número da edição:1

“CRUZANDO A LINHA”:<br>afrorreligiosidade, implementação da Lei 10.639/03 e as fronteiras da educação escolar – um estudo com professores da educação básica

CARLOS JORGE PAIXÃO
Doutor em Educação pela UNESP; Pós-Doutorado pela Faculdade de Educação/UNICAMP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGED e do Curso de Pedagogia do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará – ICED/UFPA. 

ILKA OLIVEIRA
Profª  de História da Rede Básica de Ensino- SEDUC/PA. Mestra em Educação -PPGED/UFPA