Capa do livro: TORÇÕES:<BR>a psicanálise, o barroco e o Brasil

TORÇÕES:
a psicanálise, o barroco e o Brasil

Autores: Denise Maurano Mello

Depois de Nau do desejo, e de A face oculta do amor, Denise Maurano nos oferece Torções - a psicanálise, o barroco e o Brasil. Com esse livro, compõem-se a trilogia – desejo, amor e gozo –, forças que movem o sujeito, que psicanaliticamente abordado, inclui no si mesmo o Outro em suas diferentes faces, com todos os reviramentos que tem direito. Assim, abrem-se questões relativas à ética, à arte e à cultura, com a particularidade de nessa obra ser focalizada a especificidade da conexão da ética da psicanálise com a brasilidade. Foi enfatizado o caráter excêntico, efusivo, desmesurado e, sobretudo, paradoxal de nossa cultura, dita muito propriamente – barroca, para daí depreender-se a especificidade do acolhimento da psicanálise em nosso país.

 

Se olharmos a arte barroca não apenas como estilo de época que serve ao catolicismo, mas como expressão da queda de uma racionalidade que pretendia definir o sujeito, poderemos pensá-la como apresentação artística da tragédia da subjetividade. O que aí se sublinha é uma posição ética de abordagem da vida e da condição humana, que privilegia a emoção ao invés da precisão da razão. O que se focaliza é a inconsistência do sujeito, que nela se encontra sempre remetido a um mais além – de olho em “Outra cena”, dividido entre o sagrado e profano, entre o carnal e o espiritual, entre a obscuridade e a luz.

 

A subjetividade, na perspectiva psicanalítica, tal como proposta por Lacan, não é o que identifica ou faz consistir o sujeito, mas o que modula seu estilo de gozo. Somos o que gozamos, não apenas sexualmente, afirmando de forma viril a nós mesmos, mas somos também a ânsia de um gozo que se evade em uma entrega de nós mesmos – gozo fora do sexo, dito feminino, apontando uma certa evasão subjetiva, que tem uma função fundamental na orientação ética da clínica psicanalítica e em sua intervenção na cultura.

 

A expressão barroca é explorada como um veículo fecundo para dar visibilidade a esse sujeito em evasão, tocado pelo feminino, pelo enigma, e pelo movimento que introduzindo um jogo lúdico anunciou a modernidade e seus desdobramentos na pós-modernidade, e marcou os modos de constituição de nosso país e de nossos costumes. A forma como a psicanálise aqui se encontra, certamente, não se furta às implicações da brasilidade tanto nos caminhos do que esta última nos facilita, quanto nos que nos dificulta. Será que muito do que julgamos como desordem no nosso jeito brasileiro de funcionar, não corresponde na verdade, a um outro modo de ordenação?

 

 http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1231656

Impresso
de R$ 59,51 por
R$ 56,29
Digital
de R$ 59,51 por
R$ 41,66

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-8042-101-9
DOI: 10.24824/978858042101.9
Ano de edição: 2011
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 152
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

TORÇÕES:<BR>a psicanálise, o barroco e o Brasil

Denise Maurano Mello

Nascida no Rio de Janeiro, é psicanalista e professora associada da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), ministrando a disciplina de Filosofia Geral e Ética Geral e também Psicologia Jurídica no Centro de Ciência Jurídicas e Políticas para o Curso de Direito e atuando também com pesquisa e Seminários no Programa de Pós-Graduação em Memória Social. Tem doutorado em Filosofia pela Universidade de Paris XII e PUC/RJ. Pós-doutorado em Letras, também pela PUC/RJ.  É membro do Corpo Freudiano do Rio de Janeiro e Membro Correspondente  de Association Insistance (Paris).  Autora dos livros: Nau do desejo: o percurso da ética de Freud a Lacan (Ed. Relume Dumará, 1995); La face cachée de l’amour: investigation philosophique de la tragédie à la lumière de la Psychanalyse (Presses Universitaires de Septentrion, FR, 2000); A face oculta do amor: a tragédia à luz da psicanálise (RJ, Imago ed./UFJF, 2001) ; Para que serve a Psicanálise (Col. Passo-a-passo em psicanálise, RJ, Jorge Zahar ed., 2003); A transferência (Col. Passo-a-passo em psicanálise, RJ, Jorge Zahar ed., 2006); A Histeria, Col. Para ler Freud, Ed. Civilização Brasileira (no prelo). Coordenou e organizou algumas publicações dentre elas a Agenda de Psicanálise (I Ed. Xenon, 1989 e II Ed. Relume Dumará,1990). Dirige o site www.psicanaliseebarroco.pro.br, no qual é editora-chefe da revista eletrônica Psicanálise&Barroco qualificada pela Capes.  Concebeu e dirigiu os vídeos: Torções do gozo: uma imersão no barroco, 2001, financiado pela FUNALFA/JF e Banco do Brasil; Desdobramentos de Vênus: uma viagem rumo ao continente negro, e também Matriarcado de Pindorama: a presença do feminino na cultura brasileira, esses últimos com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.  Atua ainda proferindo palestras pelo Brasil e ainda em outros paises como: França, Estados Unidos, Bélgica, Áustria e Argentina, conforme pode ser verificado em seu currículo lattes