Capa do livro: REPRODUÇÃO ASSISTIDA E RELAÇÕES DE GÊNERO NA AMÉRICA LATINA

REPRODUÇÃO ASSISTIDA E RELAÇÕES DE GÊNERO NA AMÉRICA LATINA

Autores: Cecilia Straw, Eliane Vargas, Mariana Viera Cherro, Marlene Tamanini (Organizadoras)

A ideia do livro Reprodução assistida e relações de gênero na América Latina, surgiu a partir do Grupo de Trabalho número 34, da última Reunião de Antropologia do Mercosul, realizada no Uruguai em 2015. A ocasião permitiu uma reflexão que impôs às organizadoras o desafio de sistematizar e atualizar o debate em torno de um conjunto de questões que vêm se modificando com as tecnologias conceptivas em reprodução assistida e com as tecnologias de preservação da fertilidade. A relevância desta iniciativa reside no fato de persistir, apesar de iniciativas nesta direção, uma quase ausência reflexiva nos espaços diversos da sociedade e, particularmente, na academia, na qual sempre emerge secundarizado em relação às demais problemáticas relacionadas à experiência reprodutiva. Do ponto de vista público falar sobre reprodução humana parece ser assunto secundário. Dificilmente os discursos em torno das práticas, ou do tema, se conectam aos desafios demográficos, sanitários, de cuidado, de políticas públicas ou aos desafios e controvérsias legislativas a estes relacionados. Tampouco apresentam conexões com os arranjos familiares necessários ao processo de tratamento, ou com as discussões no campo da sexualidade, da bioética, da filiação, do parentesco, do direito, das políticas públicas e ou das próprias pesquisas dos profissionais das clínicas e dos pesquisadores de diferentes áreas. Somando-se a estas as relações com a indústria farmacêutica, da circulação de gametas, úteros e embriões. Isto significa que o tema da reprodução e do desejo de filhos, de casais homossexuais e heterossexuais e das pessoas solteiras que querem ter filhos, parece configurar-se, ainda hoje, como de foro privado e íntimo, ainda que as pesquisas no âmbito das ciências sociais já tenham indicado sua relevância social e apontado as dimensões éticas, políticas, econômicas e socioculturais implicadas.

Impresso
de R$ 82,47 por
R$ 63,44
Digital
de R$ 82,47 por
R$ 57,73

Confira nosso catálogo na Amazon!

Amazon Kindle
Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete
Consultar frete e prazo de entrega:

Desconto no frete*!

Nas Compras de:

3 livros - 50% de desconto

5 livros - frete gratuito

* O desconto será aplicado no envio da modalidade Impresso Normal
(Sem rastreio e sem aviso de entrega)

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-1225-1
DOI: 10.24824/978854441225.1
Ano de edição: 2016
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 290
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

REPRODUÇÃO ASSISTIDA E RELAÇÕES DE GÊNERO NA AMÉRICA LATINA

CECILIA STRAW
Doctora en Ciencias Sociales, Facultad de Ciencias Sociales, Universidad de Buenos Aires (Buenos Aires, Argentina); Magíster en Relaciones Internacionales (Universidad de Bologna-Italia), y Politóloga (UBA). Profesora en la Carrera de Ciencia Política, y en la Carrera de Ciencias de la Comunicación (FCS-UBA). Investigadora Externa en el Área de Salud, Economía y Sociedad del Centro de Estudios de Estado y Sociedad (CEDES), e Investigadora del Proyecto UBACYT: Realidad y Legalidad: instrumentación, articulación e implementación de las Técnicas de Reproducción Humana Asistida en el Código Civil y Comercial de la Nación Argentina. Especialista en investigación cualitativa en temas de salud (RHMA, Cáncer y VIH) para la elaboración de políticas públicas en ámbitos públicos y privados, nacionales e internacionales. Ha publicado su tesis doctoral —Público y privado en la reproducción asistida: oposición permanente. Estudio cualitativo en mujeres de sectores populares y medios residentes en el AMBA. Berlín: Editorial Publicia, 2014—, y artículos sobre temas de su especialidad en revistas argentinas y extranjeras.


ELIANE  VARGAS
Doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social - IMS/UERJ na área de concentração em Ciências Sociais e Humanas e Saúde (2006). Pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz. Docente permanente da Pós-Graduação Stricto sensu em Ensino em Biociências e Saúde/IOC/Fiocruz exercendo a função de Coordenadora Adjunta (2010-2012). Desenvolve linha de pesquisa antropológica sobre corpo, gênero, sexualidade, reprodução e tecnologias reprodutivas, família, comunicação e ensino em ciências. Investigou o tema da infertilidade na perspectiva das relações familiares e de gênero no universo das camadas populares (1999) e camadas médias (2006) no Rio de Janeiro tendo publicado diversos artigos relacionados ao tema. Coordena o projeto de pesquisa 'Gênero, saberes e práticas reprodutivas: mediações implicadas no agenciamento de tecnologias reprodutivas' (FAPERJ). Ministra disciplinas em Programas de Pós-graduação stricto sensu sobre: corpo, gênero, ciência, sexualidade, reprodução, fundamentos da pesquisa social e pesquisa qualitativa sobre temas de saúde. Atua nos seguintes grupos de pesquisa: Estado, proteção social e políticas públicas (ENSP/DAPS/Fiocruz) e Núcleo de Estudos sobre Cultura e Alimentação (Nectar/UERJ).


MARIANA VIERA CHERRO
Doctoranda en Antropología, Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad de la República (UdelaR), Uruguay. Magister en Ciencias Humanas con énfasis en Estudios Latinoamericanos por la misma universidad. Docente e investigadora del Departamento de Antropología Social, donde integra el Programa “Género, cuerpo y sexualidad”, y coordinadora de la Sección de Género del Centro Interdisciplinario Latinoamericano, de la Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación de la UdelaR. Docente del Departamento de Trabajo Social de la Facultad de Ciencias Sociales, de la misma Universidad.

Ha publicado su tesis de maestría “Lejos de París. Tecnologías de reproducción asistida y deseo del hijo en el Rio de la Plata” en 2015, mediante el Programa de apoyo a la publicación de trabajos de investigación de la Comisión Sectorial de Investigación Científica de la UdelaR y artículos sobre reproducción asistida en diferentes revistas arbitradas.

MARLENE TAMANINI
Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós doutorado na Universidade de Barcelona  com  bolsa Capes. Pesquisadora, professora e coordenadora do Núcleo de Estudos de Gênero da UFPR/PR, vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPR.  Ministra disciplinas na área de sociologia, epistemologia e metodologia da pesquisa. Pesquisa e ministra disciplinas com ênfase em gênero, família, trabalho, sexualidade e corpo. É autora do livro: Reprodução Assistida: uma perspectiva de gênero: O olhar das Ciências Humanas pela editora da UFSC/SC.  Tem  inúmeros  artigos  no campo  da reprodução  humana assistida  em laboratório, na área  de  gênero  e  trabalho,   de  violência  e  direitos  sexuais  e  reprodutivos com transversalidades  em  bioética, cuidado  e  tecnologias.