Capa do livro: METODOLOGIAS DE PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CAMPOS, PROBLEMAS E OBJETOS

METODOLOGIAS DE PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CAMPOS, PROBLEMAS E OBJETOS

Autores: Esmael Alves de Oliveira - Mário Martins Viana Júnior - Patrícia Rosalba Salvador Moura Costa

livro impresso
de R$ 52,90 por
livro digital
de R$ 52,90 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Método em sua etimologia grega remete a caminho, percurso, trajeto e, nesse sentido, apresenta aos pesquisadores e às pesquisadoras um universo variado de possibilidades analíticas e epistemológicas. Enquanto caminho, não está condicionado a uma única orientação. Pelo contrário, evoca caminhos múltiplos e criativos. Imersa num duplo movimento de criação e recriação, onde desafia o/a pesquisador/a permanecer atento aos desafios de sua própria pesquisa, a metodologia nos interpela sempre à construção de novos pressupostos sem que isso signifique abrir mão da clareza, coerência e fundamentação teórica.

Aqui, portanto, é que se encontra uma das propostas fundamentais desse livro. Ao apresentar uma série de capítulos cujos autores/as pertencem a diferentes áreas de atuação e reflexão das Ciências Humanas, quisemos apresentar ao leitor um amplo leque de vertentes teóricas e metodológicas em seu cruzamento com diferentes objetos/campos de investigação e, desse modo, possibilitar o diálogo interdisciplinar entre diferentes tradições epistemológicas.

Num cenário plural, em que presente e passado mesclam-se buscando responder aos desafios da pesquisa propomos uma pergunta de partida: o que os diferentes campos de conhecimento teriam a nos comunicar em suas distintas concepções, propostas e práticas metodológicas? Pois bem, este é o desafio aceito por aqueles/as que integram esta obra: pensar metodologias de pesquisa. Mas ao invés de respostas prontas e acabadas o/a leitor/a encontrará debates e problematizações, a partir de diferentes campos, métodos e epistemologias. Trata-se, portanto, de um livro que traz no seu bojo debates sobre metodologias nas Ciências Humanas.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-0233-7
DOI: 10.24824/978854440233.7
Ano de edição: 2015
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 216
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

METODOLOGIAS DE PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CAMPOS, PROBLEMAS E OBJETOS

Autores

ESMAEL ALVES DE OLIVEIRA

Professor Adjunto-1, em regime de dedicação exclusiva, no curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS, Campus de Naviraí). Possui graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2007). Especialização em Antropologia, 2008 (UFAM). Mestrado em Antropologia Social, 2009 (PPGAS/UFAM). Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (PPGAS/UFSC) onde defendeu uma tese sobre o HIV/Aids no cinema moçambicano, 2014. Pesquisador vinculado ao Núcleo de Estudos de Identidades e Relações Interétnicas (NUER/UFSC). Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Antropologia e Cinema (GEPAC/UFMS). Áreas de interesse: Antropologia do Cinema, Antropologia Visual, Cinema Moçambicano, Teoria Pós-Colonial, Antropologia Urbana, Gênero, Sexualidade, HIV/Aids.

MÁRIO MARTINS VIANA JÚNIOR

Professor Adjunto A do Departamento de História da Universidade Federal do Ceará, setor de estudos História do Brasil. Possui doutorado em História Cultural (UFSC-2013) e mestrado em História Social (UFC-2009). Foi professor Assistente da Universidade Federal do Ceará (2009-2011) e lecionou no ensino de Pós-Graduação da Faculdade do Vale do Jaguaribe (FVJ). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nas seguintes temáticas e temporalidades: gênero, história das mulheres, masculinidades, América Portuguesa e Brasil República.

PATRÍCIA ROSALBA SALVADOR MOURA COSTA

Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012), possui Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Sergipe (2006), Graduação em Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Sergipe (2003) e graduação em Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Sergipe (2003). Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe-IFS. Desenvolve pesquisas na área interdisciplinar em Humanidades, com ênfase em Sociologia e Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Sociologia Rural, gênero, relações de poder, violências, sexualidades, homofobia familiar, meio ambiente e educação no campo, formação do professor/a. É pesquisadora do grupo de pesquisa SONMA- IFS/CNPq (Sociedade Natureza e Meio Ambiente). Publicou e organizou livros e artigos nas área de Gênero, violências, relações de poder, educação no campo. Foi aluna bolsista PDEE no ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa em 2010 e 2011.

MARCOS ALEXANDRE DOS SANTOS ALBUQUERQUE

Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) no departamento de Ciências Sociais. Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Possui graduação em Ciências Sociais, com habilitação em antropologia, pela Universidade Federal de Campina Grande (2002) e mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (2005). Atualmente é vice-coordenador do INARRA (Imagens, Narrativas e Práticas Culturais) - UERJ; Coordenador de pesquisa do PROÍNDIO - UERJ, também é filiado ao NEPI (Núcleo de Estudos das Populações Indígenas) - UFSC, e ao LEME (Laboratório de Estudos Em Movimentos Étnicos) - UFCG. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Etnicidade, Performance, Antropologia da Arte e Antropologia Visual, atuando principalmente nos seguintes temas: indígenas em contexto urbano, arte étnica e vídeo etnográfico.

DEBORA BREDER BARRETO

Possui graduação em Comunicação Social, habilitação Cinema, pela Universidade Federal Fluminense (2000); mestrado e doutorado em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense (2003/2008), com estágio doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales (2006). Formada em Cinema pela Escuela Internacional de Cine,Televisión y Video de San António de Los Baños, Cuba (1992). Trabalhou em curtas e médias-metragens, exercendo diversas funções. Foi Professora Visitante junto ao Departamento de Sociologia e Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais. É membro do Grupo de Análises de Políticas e Poéticas Audiovisuais (GRAPPA/UFRRJ). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia do Cinema e Relações de Gênero, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema, corpo, gênero, sexualidade, incesto, identidade.

ANTÓNIA PEDROSO DE LIMA

Doutorada em Antropologia pelo ISCTE/Lisboa (2001). Professora no Departamento de Antropologia do ISCTE, onde leciona desde 1989. Foi Presidente do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA), sendo atualmente membro da Direção. As suas áreas de especialização são: relações familiares em sociedades contemporâneas, relações sociais em contextos urbanos, elites, empresas familiares, gênero, sexualidade, cuidado, emoções, migrações e patrimônio imaterial. Coordenadora de vários projetos de investigação científica, Antónia Pedroso de Lima tem diversas publicações, em livros e revistas nacionais e internacionais, sobre a família portuguesa em contextos urbanos, tendo como objetos de análise contextos tão diversificados como os bairros populares de Lisboa e as famílias da elite empresarial portuguesa. Atualmente, a sua pesquisa orienta-se para a área do cuidado e das situações de crise e precariedade.

AMANDA CHRISTINNE NASCIMENTO MARQUES

Professora Universidade Federal da Paraíba - UFPB, campus Bananeiras. Doutoranda em Geografia, pelo Núcleo de Pós-Graduação em Geografia-NPGEO da Universidade Federal de Sergipe - UFS. Mestre em Geografia na linha de pesquisa intitulada: território, trabalho e ambiente, pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGG) na Universidade Federal da Paraíba. Bacharel e Licenciada em Geografia pela Universidade Federal da Paraíba. Membro dos grupos de pesquisa do CNPq, GESTAR: Território, Trabalho e Cidadania e do Cidadania e Direitos Humanos (UFPB) e Territórios étnicos e Estudos Rurais - TERRA (IFAL).Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Agrária e do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, questão agrária, campesinato, territorialidade étnica indígena e quilombola, movimentos sociais, ensino e geografia do Brasil.

JOSÉ RODORVAL RAMALHO

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (1988), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (1996) e doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Sergipe. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: cidadania, maçonaria - religião - modernidade, doutrina social da igreja católica e ONGs.

RAQUEL DE BARROS PINTO MIGUEL

Possui graduação e mestrado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Doutora em Ciências Humanas pela mesma universidade. Pós-doutora pela Université Paris Diderot - Paris 7. Docente do curso de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisadora vinculada ao Laboratório de Pscicologia Escolar e Educacional, ao Laboratório de Estudos de Gênero e História, ao Instituto de Estudos de Gênero (UFSC) e ao Laboratoire Identités, Cultures, Territoires (Université Paris Diderot - Paris 7). Desenvolve pesquisas interdisciplinares que abrangem as seguintes temáticas: relações de gênero, subjetividade, memória, adolescência, publicidade, saúde, educacão e mídia/ imprensa feminina. Tem experiência na área da saúde realizando atendimentos clínicos (crianças, adolescentes e adultos) e atuando na coordenação de grupos de educação em saúde com adolescentes.

JOANA MARIA PEDRO

Possui graduação em História pela Universidade do Vale do Itajaí (1972), mestrado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1979) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1992). Fez pós-doutorado na França, na Université dAvignon, entre 2001 e 2002. Atualmente é professora titular da Universidade Federal de Santa Catarina e Pró-Reitora de Pós-Graduação da UFSC. É professora do Programa de Pós-Graduação em História e do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. É também pesquisadora do IEG - Instituto de Estudos de Gênero www.ieg.ufsc.br Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil República, atuando principalmente nos seguintes temas: feminismo, gênero, relações de gênero, história das mulheres, memória, história oral, história do tempo presente e história comparativa.

TELMA BESSA SALES

Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000) e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Social, atuando principalmente nos seguintes temas: Brasil, experiências sociais, memória, cultura, historia oral e reestruturação produtiva.

AUGUSTO MARCOS FAGUNDES OLIVEIRA

Licenciado e bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1987/88), mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2002). Professor na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Atualmente realiza curso de Doutorado através do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/PPGAS, na Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC, cuja pesquisa está vinculada ao Núcleo de Estudos de Identidade e Relações Interétnicas/NUER. Atua nas áreas de Ciências Sociais e Educação, com ênfase em Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, educação, religião, etno-história, povos indígenas, teatro.

CLÁUDIO LEITE LEANDRO

Doutorando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012) e licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (2007). Na graduação, trabalhou com os seguintes temas: literatura política, racismo, religião e sexualidade; participou de projeto de Iniciação Científica sobre os temas natureza/cultura, humanidade/animalidade, publicidade e propaganda. No mestrado, desenvolveu pesquisa etnográfica sobre missões cristãs, pornografia e inclusão, na interface entre religião, gênero e sexualidade. Atualmente, desenvolve pesquisa etnográfica sobre deficiência física, erotismo, corporalidades e direitos sexuais, na intersecção entre sexualidade, gênero e outros marcadores sociais da diferença. Participou de capacitação técnica em pesquisa sobre violência, gênero e erotismos contemporâneos (2013-2014) através do estudo de relações fetichistas e sadomasoquistas na cidade de São Paulo.

MARCELO JOSÉ MONTEIRO FERREIRA

Licenciatura e Bacharelado em Educação Física pela Universidade de Fortaleza/UNIFOR (2006). Residente em Saúde da Família e Comunidade no município de Fortaleza - SMS (2009-2010). Mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará - Departamento de Saúde Comunitária (DSC)/ Faculdade de Medicina (2012). Pesquisador e membro efetivo do Núcleo TRAMAS (Trabalho, Meio Ambiente e Saúde para a Sustentabilidade) - DSC/UFC. Docente do curso de graduação em Medicina, onde ministra a disciplina Saúde, Trabalho, Ambiente e Cultura na Universidade Federal do Ceará. Atuou como Bolsista da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz, onde desenvolve e coordena o curso de formação técnica em Meio Ambiente, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Possui experiência no serviço de saúde atuando principalmente nos campos da Saúde do Trabalhador, Saúde Ambiental, Atenção Primária em Saúde e Estratégia Saúde da Família. Atualmente destina sua produção acadêmica para a Epistemologia na Saúde Coletiva em interface com os campos da Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental. Guarda também interesse pela ontologia marxiana bem como a lukácsiana.